A Liga das Nações, o embrião da ONU

A Liga das Nações, o embrião da ONU

o Sociedade das nações criado em 1919 foi um sucesso ideológico, com uma proposta pacifista que perdura até hoje. Sua mentalidade supôs uma mudança com as idéias expansionistas e imperialistas do século XIX e propôs parar a política de alianças iniciada por Bismarck em meados do século anterior. No entanto, foi apenas um triunfo ideológico, já que o projeto acabou fracassando na década de 1930.

o Primeira Guerra Mundial foi um dos piores guerras da história. No entanto, deixou para trás uma mudança na mentalidade da sociedade ocidental que acabou nos levando ao momento histórico em que nos encontramos.

Depois da guerra, a maioria dos soldados, cidadãos e líderes políticos acabaram desencantados. A imagem tradicional da guerra como purificação e forma de resolução de conflitos foi questionada. Ficou demonstrado que ele não poderia continuar tudo como antes.

O primeiro a perceber essa situação foi o presidente americano Woodrow wilson. Estava claro para ele que a ideia de nação e forma de gestão política herdada do século XIX era obsoleta. Por isso, escreveu os quatorze pontos, pelo qual proclamou uma série de valores que deveriam ser reconhecidos mundialmente. Com essa mentalidade, no Conferência de Paris 1919, Wilson obteve os regulamentos para o Sociedade das nações.

o Sociedade das nações foi o embrião do que agora conhecemos como Organização das Nações Unidas. Para o presidente americano, a nova organização internacional pretendia unir todas as nações e garantir a independência e integridade de todas. Os seus estatutos foram redigidos por uma comissão presidida pelo próprio Wilson e com plenos poderes em caso de questões ou situações que ameaçassem a paz alcançada em 1919.

Inicialmente, o Sociedade das nações, batizado como Liga das Nações em inglês, ele nasceu com a convicção de que a diplomacia secreta era um fracasso e que a política de alianças deveria ser erradicada. O campo de ação foi estendido às colônias, para que pudessem intervir nos negócios de qualquer parte do mundo, desde que houvesse unanimidade nas decisões. Justamente esse ponto, a unanimidade, foi um incentivo para que várias nações se unissem, pois garantia a soberania de cada país.

A instituição era composta pela Assembleia, pelo Conselho e pela Secretaria Permanente. O Conselho consistia em nove estados, dos quais 5 eram permanentes e quatro rotativos. As permanentes eram Estados Unidos, Inglaterra, Itália, França e Japão. A sede da Assembleia foi estabelecida em Genebra.

Mesmo com toda a carga ideológica do presidente Wilson, os Estados Unidos não aderiram à Liga das Nações, embora fariam isso em órgãos afiliados, como o Conselho. No entanto, essa perda privou a organização de autoridade, que acabou em crise nos anos 1930 e na ascensão do totalitarismo e do nacionalismo.

Apaixonado por História, é formado em Jornalismo e Comunicação Audiovisual. Desde pequeno amou história e acabou explorando os séculos XVIII, XIX e XX sobretudo.


Vídeo: Marcelo Ricci - História, Geografia e Atualidades PMSP - Aula Demonstrativa