Livro «Homo Evolutis»

Livro «Homo Evolutis»

O novo estágio evolutivo do homem já está aqui, ou é, pelo menos, o que afirmam Juan Enriquez e seu colega Steve Gulans, em seu livro "Homo Evolutis", a nova escada do desenvolvimento humano, que ultrapassará o Homo Sapiens Sapiens.

Daquele Protohumano chamado "Homo Habilis”, Que começou a manipular seu ambiente, criando ferramentas para facilitar a vida, até aparência do humano moderno, a Homo Sapiens Sapiens um homem duplamente sábio, tem sido pouco mais do que um milhão e meio de anos.

Enquanto outras espécies animais de mamíferos já estão no planeta há muito mais tempo, dificilmente passando por mudanças evolutivas drásticas, o homem é o animal que mais evoluiu e que o fez de forma exponencial, tanto do ponto de vista de visão qualitativa (vamos comparar esses rudes hominídeos primitivos conosco) como quantitativo (Somos sem dúvida a espécie dominante mais difundida no planeta).

Porém, longe de ter atingido o teto evolutivo como muitos cientistas presumiram dada a perfeição alcançada pelo corpo humano, estamos prestes a dar um salto para outro tipo de humano, mais perfeito se possível.

Porém, desta vez não será uma evolução causada por uma determinada mutação genética. Estamos falando sobre um evoluçãoauto-induzido”Pelo próprio homem. Uma interação do próprio Homo Sapiens com seu próprio corpo. Da mesma forma que nosso antecessor Homo Habilis usou sua habilidade de criar ferramentas para manipular seu ambiente, o homem moderno fará o mesmo com a tecnologia que desenvolveu, criando uma nova geração de humanos: meio orgânico, meio robótico, o ciborgue.

Juan Enriquez Y Steve Gulans argumentam em seu livro, que será a combinação de genômica, robótica e outras novas disciplinas, como nutrigenômica, que transformará o Homo Sapiens Sapiens em uma forma mais evoluída de hominídeo. Os dois cientistas afirmam que a substituição das partes do corpo que deixam de funcionar, será a norma em um futuro próximo.

Da mesma forma, a nutrigenômica, ou seja, a aplicação da nutrição ao nosso mapa genético, nos permitirá ser cada dia mais saudável, prevenir doenças e retardar a degeneração celular.

Essas afirmações parecem coisas de ficção científica, mas a verdade é que já estão sendo desenvolvidas e aplicadas agora. Já existem olhos cibernéticos e a tecnologia exoesquelética e membros artificiais estão sendo desenvolvidos. Existem também testes nutrigenômicos que nos dizem quais alimentos são mais benéficos para uma pessoa específica, e que podem nos levar, por nossa disposição genética particular, a desenvolver doenças futuras que melhorem nossa saúde.

Em suma, o amanhã não está tão longe quanto parece, e na próxima década o ser humano não será limitado pelos defeitos físicos, sendo cada vez mais forte, resistente e longevo e com uma qualidade de vida superior. Em alguns anos seremos uma nova espécie, Homo Evolutis, e o teremos alcançado graças à ciência e ao nosso intelecto.


Vídeo: Levoluzione umana è stata TROPPO veloce?