Eles encontram uma possível doca pré-hispânica em Veracruz

Eles encontram uma possível doca pré-hispânica em Veracruz

No Tabuco, um lugar pré-hispânico de veracruz, um grupo de arqueólogos mexicanos pertencentes ao Instituto Nacional de Antropologia e História encontraram um muro de contenção, quatro salas de culto e pisos de estuque de cerca de 1.000 anos de idade.

Os restos mortais podem ser um antigo cais onde o tráfego de marinheiros e mercadorias era controlado, antecedente do porto de Tuxpan, se assim fosse seria o primeiro com essas características na costa do Golfo.

O local foi encontrado na década de 1940 por Gordon Ekholm, que por meio de seus estudos determinou que o local foi ocupado nos períodos Protoclássico (100 AC a 250 DC) e Pós-clássico (900 - 1200 DC).

Em 2012, um campanha de resgate arqueológico para encontrar e reabilitar os vestígios que, embora não estivessem expostos à superfície, eram conhecidos pelos levantamentos efectuados.

Através de escavações pouco a pouco eles descobriram o que a princípio parecia inexistente. Primeiro, eles encontraram restos de cerâmica, animais, conchas e ostras. Mais tarde, na parte noroeste do local da escavação, eles encontraram uma parede de mais de 15 metros de comprimento, composta por grandes pedras e conglomerados de conchas terrestres. Paralelo à parede, havia três salas em forma de círculo e destinadas ao culto, localizadas no que poderia ser a entrada de um centro cerimonial.

Na parte ocidental Foi encontrada o que poderia ser uma residência de elite, uma estrutura circular de 15 metros de diâmetro e 60 metros de altura, com uma pequena escadaria e uma rampa na parte sul do edifício.

Foi encontrado 50 esqueletos de homens, mulheres e crianças que foram enterrados de forma ampla e flexível, mas suas afiliações culturais e suas causas de mortalidade ainda não foram estudadas.

O motivo do abandono do local pode ser devido a uma enchente uma vez que as plantas contêm materiais orgânicos nas zonas superiores.

Nasci em Madrid em 27 de agosto de 1988 e desde então comecei uma obra da qual não há exemplo. Fascinado por números e letras e amante do desconhecido, sou um futuro graduado em Economia e Jornalismo, interessado em compreender a vida e as forças que a moldaram. Tudo fica mais fácil, mais útil e mais emocionante se, olhando para o nosso passado, pudermos melhorar o nosso futuro e para isso… História.


Vídeo: Malinche: da História aos Estudos de Tradução