Conhecendo ‘Confluentia’ através do Museu de Segóvia

Conhecendo ‘Confluentia’ através do Museu de Segóvia

Por meio das conferências realizadas pelo Museu de Segovia com o nome de "Encontros de arqueologia no museu”Em 18 de abril, às 19h30, o herança Segoviana enriquecida.

O encontro ocorreu na sala de conferências, enquadrada no bloco com o título "Das primeiras cidades às terras do Império: Segóvia na Antiguidade"E com a cidade romana de Duratón como protagonista principal,"Confluentia”, Que teve seu local de assentamento no Cidade de Sepúlveda.

Santiago Martínez Caballero, diretor do Museu de Segovia, explicou aos presentes como esta cidade se desenvolveu, progrediu e finalmente teve seu declínio, apoiando seus argumentos sobre achados arqueológicos. Interessado e especializado em Geografia e História, Martínez Caballero sempre se concentrou na área de Arqueologia clássica apostando numa grande dedicação à época romana. Além de ser conhecido por suas atribuições como autor e coautor de diversos livros, tem se destacado por seus projetos de pesquisa em escavações em Tiermes e Duratón.

Durante as conferências foram apresentadas as últimas pesquisas realizadas desde 2000 pelo diretor do Museu e pelo professor da Universidade Complutense de Madrid, Julio Mangas Maniarrés. Enquanto essas investigações estavam sendo realizadas, características arquitetônicas que ocorreram em cidades romanas. No protagonista Confluentia Destaca uma rampa de acesso à cidade, algumas fontes termais das quais foram obtidos os mosaicos que faziam parte da decoração do Palácio de Aranjuez e do Fórum Pecuarium-campus utilizado como mercado de gado.

O desenvolvimento econômico desta cidade foi possível graças ao tráfico comercial inter-regional, atividades pecuárias e atividades artesanais realizadas com materiais animais. Depois de povoamento dos visigodos no centro da Hispânia a partir do século V dC, a população da cidade começou a diminuir até que finalmente abandonaram o local para se estabelecer no nascente cidade de Sepúlveda.

Imagem Manuel González Olaechea na Wikimedia

Nasci em Madrid em 27 de agosto de 1988 e desde então comecei uma obra da qual não há exemplo. Fascinado por números e letras e amante do desconhecido, sou um futuro graduado em Economia e Jornalismo, interessado em compreender a vida e as forças que a moldaram. Tudo fica mais fácil, mais útil e mais emocionante se, olhando para o nosso passado, pudermos melhorar o nosso futuro e para isso… História.


Vídeo: MUSEU DO TITANIC. Belfast, Irlanda do Norte ENGLISH SUB