Livros de filosofia

Livros de filosofia

Rosa Luxemburgo, talvez a figura mais notável e original entre os pensadores e ativistas marxistas alemães, foi uma das primeiras vítimas do fascismo, assassinada em Berlim, em 1919. Este volume apresenta ensaios políticos selecionados, escritos anteriormente indisponíveis em inglês. Eles revelam a aversão de Luxemburgo a divisões no movimento trabalhista, particularmente na Alemanha e na Rússia, e aspectos de seu pensamento sobre cultura, nacionalismo e direitos das mulheres. Cada ensaio é anotado, introduzido e colocado no contexto.

As raízes do imperialismo contemporâneo afirmam que a presença de homens como George W. Bush e tudo o que se segue em termos de repressão popular e dominação empresarial não é o resultado de uma regressão autoritária da política dos Estados Unidos, supostamente iniciada sob Reagan: é, em vez disso, o prosseguimento de um projeto que surgiu na época dos Pais Fundadores, cuja preocupação principal não era a liberdade das pessoas, mas, sim, a elaboração de mecanismos constitucionais destinados a defender as propriedades, riquezas e privilégios das elites econômicas. A recente eleição de Barack Obama como indicado por uma das duas alas do único "partido empresarial", apesar da retórica sobre "mudança" e "esperança", seguiu exatamente o mesmo padrão.

Uma crítica do dogma religioso fornece historicamente a base para a investigação racional do mundo físico e social. "Crítica do Design Inteligente" é a chave para a compreensão das forças do irracionalismo que procuram minar as ciências naturais e sociais. Este livro ilumina a evolução histórica da crítica materialista - ou seja, explicando o mundo em termos de si mesmo - desde a antiguidade até o presente, envolvendo a obra de Platão, Aristóteles, Epicuro, Lucrécio, Francis Bacon, Isaac Newton, David Hume, Charles Darwin, Karl Marx, Sigmund Freud e Stephen Jay Gould, entre outros. Os defensores do "design inteligente" - criacionismo em sua aparência contemporânea - reacenderam uma guerra milenar na qual afirmam elevar sua doutrina à verdade empírica e, assim, incorporar nos currículos de ciências. Eles atacam a visão científica moderna, elevando uma renovação pseudo-científica e cultural em linha com sua orientação teológica e o que eles percebem como uma ordem moral reconhecível. "Crítica do Design Inteligente" é um relato convincente do debate entre materialismo e religião como bem como uma visão geral da luta contemporânea relativa à natureza, ciência, história, moralidade e conhecimento. Os autores demonstram como o materialismo histórico é uma base social crucial para confrontar o design inteligente. Eles fornecem um relato fascinante do desenvolvimento da ciência em oposição aos proponentes da "sabedoria recebida". "Critique of Intelligent Design" oferece ferramentas capacitadoras para compreender e defender o raciocínio crítico e científico.

"O mundo que desejamos ver" apresenta uma visão abrangente da história política do século XX e um apelo estimulante para levar a cultura política a sério. Samir Amin oferece uma análise provocativa da resistência ao capitalismo e ao imperialismo e apela a uma nova política de oposição. O capitalismo é um sistema global, portanto, em última análise, qualquer desafio bem-sucedido a ele deve ser organizado no mesmo nível: um "internacionalismo dos povos". Ao longo do século XX, as internacionais socialistas e comunistas, os movimentos de libertação nacional e as grandes revoluções apresentaram desafios aos ordem mundial. Amin fornece uma discussão sucinta dos sucessos e fracassos dessas mobilizações, a fim de avaliar a luta atual. O neoliberalismo e a busca pela hegemonia militar dos Estados Unidos geraram novos movimentos políticos e sociais de resistência e tentativas de organização internacional por meio do Fórum Social Mundial. Amin avalia o potencial e as limitações desses movimentos para enfrentar o capitalismo global no século XXI. "O mundo que desejamos ver" faz uma distinção entre "culturas políticas e conflito" e "culturas políticas de consenso". Uma nova política de luta é necessária; aquele que não tem medo de enfrentar o poder do capitalismo, aquele que é crítico e autocrítico. Nesse argumento persuasivo, Amin explica que a oposição efetiva deve se basear na construção de uma “convergência na diversidade” dos oprimidos e explorados - sejam eles trabalhadores, camponeses, estudantes ou qualquer outro oponente do capitalismo e do imperialismo. O que é necessário é um novo "internacional" que tenha uma estrutura organizacional aberta e flexível para coordenar o trabalho dos movimentos de oposição em todo o mundo. "The World We Wish to See" é um livro ousado, apelando a um movimento internacional que pode transcender com sucesso a ordem mundial atual, a fim de buscar um mundo melhor. A análise lúcida de Amin fornece uma base sólida para promover esse objetivo.

O julgamento e a morte de Sócrates juntos formam um momento icônico na civilização ocidental. A imagem que temos dele - criada por seus seguidores imediatos e perpetuada em incontáveis ​​obras de literatura e arte desde então - é que um homem nobre foi executado em um ataque de loucura pela antiga democracia ateniense. Mas um ícone, uma imagem, não é realidade. O julgamento foi, em parte, uma resposta a tempos difíceis - uma guerra catastrófica e mudanças sociais turbulentas - e, portanto, fornece uma boa lente para explorar a história do período; os fatos históricos nos permitem retirar um pouco do verniz que por tanto tempo nos negou vislumbres do Sócrates real. Escrito por um estudioso, mas não apenas para estudiosos, este é um relato acessível e confiável de um dos períodos de definição da civilização ocidental.

Por que rimos? De onde vêm as piadas? E sempre rimos das mesmas coisas? Neste livrinho único, espirituoso e fascinante de história e filosofia, Jim Holt revela tudo - e conta as melhores piadas dos últimos 2.000 anos. Um padre, um rabino e um ministro entram no bar. 'O que é isso', diz o barman, 'algum tipo de piada?' Enquanto ri ao longo da história das piadas, Jim Holt descobre que a maioria dos que comercializamos tem, na verdade, centenas de anos: Palamedes, um herói grego da Guerra de Tróia, é responsável por ter inventado a piada (antes de ser apedrejado até a morte) e foi Filipe, o Grande, da Macedônia, no século 4 aC, que pagou para compilar o primeiro livro de piadas. Ao descrever como eles mudaram ao longo do tempo (uma das coisas mais engraçadas para o público antigo era a alface), encontramos não apenas os mais antigos, mas também os mais rudes, os mais curtos e, supostamente, os mais engraçados. E por que rimos dessas piadas? Holt explora as várias teorias: para Freud, o riso nos liberta de pensamentos e sentimentos proibidos. Para Platão, sentimos uma glória repentina quando vemos, digamos, alguém tropeçando em uma casca de banana. Para Kant, rimos quando o lógico se dissolve no absurdo. Holt também discute uma nova forma de combinar essas teorias (e olha para aqueles que não riem - Isaac Newton riu apenas uma vez na vida, e Jesus pode ter chorado, mas ele riu?). vem, uma teoria é que eles são compostos por prisioneiros que têm muito tempo livre e um público cativo.

John Stuart Mill foi o "Santo do Racionalismo" de acordo com William Gladstone. Mas na primeira biografia definitiva do maior intelectual público da Grã-Bretanha, Richard Reeves revela Mill como um apaixonado homem de ação: um filósofo, parlamentar radical e um reformador que moldou profundamente a sociedade vitoriana e continua a iluminar a nossa. Para entender John Stuart Mill e sua contribuição, Richard Reeves explora sua vida e trabalho em conjunto. Este livro é uma biografia fascinante e confiável de um homem criado para promover a felicidade, cuja vida foi passada em busca da verdade e da liberdade para todos.


    por Platão
  1. Ética a Nicômaco por Aristóteles
  2. Uma História da Filosofia Ocidental por Bertrand Russell
  3. Além do bem e do mal por Friedrich Nietzsche
  4. Zen e a arte da manutenção de motocicletas por Robert M. Pirsig por Rene Descartes
  5. Mundo como vontade e representação por Arthur Schopenhauer por Marcus Aurelius por Laozi
  6. Os irmãos Karamazov por Fyodor Dostoyevsky

Esses pensadores da filosofia afetaram o curso da história com seu trabalho, e o legado de muitos de seus estudos é agora mais relevante do que nunca.

Para obter uma boa compreensão de filosofia ocidental , você deve cobrir os ensinamentos básicos de alguns dos filósofos mais influentes. Abaixo, compilamos uma lista de 10 melhores livros de filosofia todos devem ler para obter uma melhor compreensão da filosofia ocidental.



Melhores introduções à filosofia

Aqui estão as principais introduções e guias que pude encontrar sobre filosofia de várias partes do mundo. Regiões organizadas em ordem alfabética.

FILOSOFIA AFRICANA
Principalmente não egípcio, não islâmico e não cristão.

    (1970), John S. Mbiti
    288 páginas. Avaliado com 3,8 mais de 200 avaliações no Goodreads. (1991), Tsenay Serequeberhan
    As leituras essenciais
    250 páginas. Avaliado com 3,8 avaliações sobre & lt100 no Goodreads.

LESTE ASIÁTICO e FILOSOFIA INDIANA
Existem BASTANTE de grandes guias para as muitas, profundas e variadas tradições filosóficas do Leste Asiático e da Índia (Hinduísmo, Budismo, Taoísmo etc ...). Eu me limitei a pesquisas aqui para dar uma visão geral mais ampla possível.

    (1968), Satischandra Chatterjee
    424 páginas. Avaliado 4,0 mais de 200 comentários no Goodreads. (1997), John M. Koller
    364 páginas. Avaliado com 3,8 avaliações sobre & lt100 no Goodreads.

FILOSOFIA ISLÂMICA
Principalmente focado na filosofia islâmica medieval.

    (1970), Majid Fakhry
    472 páginas. Avaliado 4,0 mais de 100 comentários no Goodreads. (1996), Seyyed Hossein Nasr
    1.211 páginas. Avaliado com 4,1 sobre & lt100 avaliações no Goodreads.

FILOSOFIA MESOAMERICANA
Não consegui encontrar nada ótimo que não fosse sobre os astecas. Sugestões bem-vindas!

    (1956), Miguel León-Portilla
    Um Estudo da Antiga Mente Nahuatl
    272 páginas. Classificado com 4,1 mais de 200 avaliações no Goodreads. (2013), James Maffie
    Compreendendo um mundo em movimento
    512 páginas. Avaliado com 4,1 sobre & lt100 avaliações no Goodreads.

FILOSOFIA OCIDENTAL
As duas histórias clássicas e obrigatórias da filosofia ocidental.

    (1926), Will Durant
    As vidas e opiniões dos maiores filósofos do mundo
    704 páginas. Avaliado com 4,1 mais de 13.400 avaliações no Goodreads. (1945), Bertrand Russell
    906 páginas. Avaliado com 4,1 mais de 30.000 comentários no Goodreads.

Quer saber qual livro de história da filosofia é melhor para um iniciante.

Olá a todos, estou muito interessado em filosofia e quero obter uma compreensão geral da filosofia ocidental antes de mergulhar nas áreas nas quais estou particularmente interessado. Os três principais livros que encontrei são The Story of Philosophy, de Will Durant, A History of Western Philosophy de Bertrand Russel e A Brief History of Western Philosophy de Anthony Kenny. Qual desses livros vocês recomendariam? Existem outros livros que devo ler?

O Kenny é provavelmente o melhor trabalho acadêmico. É legível, justo, abrangente. É muito bom e provavelmente o melhor livro para obter posições de autoridade sobre muitos filósofos.

O Durant é menos erudito. É muito legível.

O Russell fica em um lugar estranho: é influente e legível. É conhecido por representar erroneamente uma série de números de forma ampla. Mas ainda há muito valor nisso: Russell está se envolvendo com figuras históricas e escreve de uma maneira que considera estar no nível deles. Algumas partes são muito engraçadas, e há muita filosofia criativa acontecendo enquanto ele reconta a & quotistória & quot à sua própria maneira.

Alguém mencionou Sophie & # x27s World: super legível, não super acadêmico. A parte da história envolve uma história.

Na verdade, a resposta é: escolha aquele que você vai realmente ler. Muitas pessoas começam um desses livros, mas nunca vão muito longe porque escolheram o livro errado para eles. Qualquer um dos livros acima é bom para sua primeira visão geral histórica - apenas tenha em mente que um livro não é a fonte definitiva de tudo e você deve ficar bem.

Se você tivesse que escolher entre Durant e Kenny como um jovem leitor, qual você escolheria?

Em termos de legibilidade, Uma Breve História da Filosofia é amigável para alguém com quase nenhuma experiência em filosofia?

Locke, Leibniz, Berkeley e especialmente Hume são todos cobertos em detalhes históricos e teóricos (embora vistos puramente como prelúdio de Kant). Seu rápido resumo deles é provavelmente a parte mais brilhante do livro. A falta de Descartes é quase imperdoável, exceto pelo fato de que realmente não se precisa de uma fonte secundária para Descartes. Meditações é sobre a extensão do que seria um bom capítulo sobre Descartes, e infinitamente mais fecundo de ler (eu sempre recomendo que as pessoas leiam Meditações na mesma compra que Durant).

Sophie’s World de Jostein Gaader é uma opção legal para iniciantes que procuram algo com uma leitura um pouco mais narrativa e menos densa. Bertrand Russel também faz um ótimo trabalho em ser claro e conciso ao cobrir o tópico se você olhar seu livro.

Eu NÃO recomendo a história da filosofia de Russell, ele não entende Hegel e outros de quem discorda. Will Durant tem uma bela história da filosofia que é melhor em

Sim, gostei muito da Sophie e do mundo # x27s.

Há um trabalho muito bom do Frank Thilly também. Foi publicado no início do século 20, mas cobre tudo, desde Thales a Bergson. Eu o recomendo, ele vai muito a fundo com os pré-socráticos também, e é uma boa fonte para ver a transição da filosofia medieval para a moderna.

Comentarei em apoio completo e total de Durant.

A História da Filosofia é definida por seu valor literário extremo e sua pobreza abjeta de relevância para o pensamento do século 21. Em A História da Filosofia, recebemos uma desvalorização imperdoável de Nietzsche, uma elevação idiossincrática de Espinosa sobre Descartes, uma minimização insondável de Hume e Hegel, uma compreensão desatualizada do significado histórico de Platão, um isto insondável e um aquilo deplorável.
Agora, com isso fora do caminho, aqui & # x27s porque Durant é, independentemente, a escolha. Ler The Story of Philosophy levará o iniciante médio pelo menos alguns meses, é & # x27s mais de 400 páginas. Depois de terminar, o leitor provavelmente irá para Descartes, Platão, Aristóteles ou algum outro grande pensador, embora relativamente iniciante. Depois de algum tempo com quem quer que seja, o interesse pelo pensamento existencialista, anglo-analítico ou pós-estruturalista inevitavelmente invadirá a mente do leitor. Um breve mergulho em qualquer uma dessas disciplinas produzirá uma experiência filosófica absolutamente gloriosa: o leitor, tendo estudado filosofia há menos de um ano, olhará para trás em Durant e perceberá algo: eles conhecem filosofia que ele não conhecia - eles terão , ao que tudo indica, melhores noções de verdade, linguagem e / ou ontologia do que o próprio Durant. Esse é um momento poderoso e, em minha opinião, o suficiente para inspirar um hobby à paixão pela filosofia.
O que restará então, depois de perceber que Durant leu traduções de Nietzsche que ainda não foram purificadas da alteração fascista, nada sabia sobre o século da Teoria Crítica e dos Conjuntos que se seguiria a seu livro, e falhou totalmente em suas previsões para o futuro de Filosofia? Um tratamento inestimável de Kant, um grande conhecimento de vários dos "cortes profundos" inestimáveis ​​da Filosofia que, de outra forma, poderia levar anos para abordar (Schopenhauer, Bacon, Spinoza) e a experiência de que em Filosofia está ok estar errado, mas é absolutamente sublime para provar que outra pessoa está.


Livros de Filosofia - História

Procure recomendações de livros:

  • Filosofia Antiga
  • Crenças
  • Ética e filosofia moral
  • Grandes filósofos
  • Como viver
  • Novos livros de filosofia
  • Questões filosóficas e tópicos de amplificação
  • Filosofia da mente
  • Filosofia de.
  • Filosofia Social e Política
  • O iluminismo

Você pode usar nossas listas de leitura abaixo para encontrar os melhores livros de filosofia já escritos, recomendados por filósofos como Peter Singer, Simon Blackburn, Mary Warnock e muitos mais.

Nossa cobertura remonta ao início do assunto, com os melhores livros sobre os pré-socráticos, Sócrates, Platão e Aristóteles. Com o objetivo de desafiar o preconceito ocidental, também temos recomendações de livros para a filosofia chinesa antiga, filosofia islâmica e filosofia mundial. Nossas recomendações de livros de filosofia vão desde o mundo antigo até as áreas mais prósperas da filosofia hoje. Isso inclui a filosofia da ciência, filosofia política e filosofia da mente.

Ou você pode estar interessado em ler sobre um filósofo em particular. Oferecemos recomendações de leitura envolventes para muitos grandes filósofos (como Hume, Kant, Hegel, Nietzsche, Beauvoir e Wittgenstein).

Procuramos manter a tradição milenar da filosofia não apenas como disciplina acadêmica, mas como forma de conduzir sua vida (veja nossas entrevistas sobre a arte de viver, o sentido da vida e a filosofia da vida cotidiana).

Também temos uma lista selecionada dos melhores novos livros de filosofia à medida que são publicados. Eles dão uma amostra dos excelentes livros populares de filosofia que estão sendo publicados atualmente, tornando a filosofia disponível para um público muito mais amplo.

Se você é novo no assunto, pode começar com nossas 'Introduções à Filosofia', com recomendações de livros que apresentam maneiras filosóficas de pensar. Nossas entrevistas sobre filosofia são editadas pelo filósofo britânico Nigel Warburton. Quer você seja um filósofo experiente ou apenas começando, temos os livros para você.


Livros de Filosofia - História

Procure recomendações de livros:

  • Filosofia Antiga
  • Crenças
  • Ética e filosofia moral
  • Grandes filósofos
  • Como viver
  • Novos livros de filosofia
  • Questões filosóficas e tópicos de amplificação
  • Filosofia da mente
  • Filosofia de.
  • Filosofia Social e Política
  • O iluminismo

A filosofia no mundo antigo não era exclusividade dos gregos, embora seja freqüentemente apresentada como tal. Nossas entrevistas sobre o assunto corrigem isso. Bryan van Norden escolhe seus melhores livros sobre filosofia mundial, incluindo duas obras da antiga filosofia chinesa, duas da Europa e uma da Índia. Michael Puett escolhe seus melhores livros sobre filosofia chinesa, argumentando que as investigações filosóficas de Confúcio na China foram impulsionadas por mudanças socioeconômicas que afetaram toda a massa de terra da Eurásia no final da idade do bronze.

Daniel A Bell escolhe seus melhores livros sobre Confúcio e discute seu legado duradouro e impacto na cultura chinesa. Ele também explica a distinção entre confucionismo e legalismo na filosofia política chinesa e argumenta que as tradições autoritárias na política chinesa devem mais ao último do que ao primeiro.

Peter Adamson fala sobre filosofia no mundo islâmico e a interação da tradição filosófica no mundo de língua árabe com a filosofia da Grécia antiga. Ele explica o que era original naquela tradição e por que ele pensa que Avicena foi o mais importante filósofo medieval de qualquer religião.

MM McCabe fala sobre Sócrates e Angela Hobbs discute os pré-socráticos. Melissa Lane escolhe seus melhores livros sobre Platão. Outros entrevistados apontam para o apelo duradouro da filosofia antiga para encontrar uma maneira de viver. Edith Hall discute como Aristóteles a ajudou a desenvolver uma moralidade viável depois de perder sua fé cristã quando adolescente. Massimo Pigliucci fala sobre como o estoicismo ainda é uma regra de vida útil e Jules Evans, em sua entrevista sobre filosofia antiga para a vida moderna, explica como a terapia cognitivo-comportamental foi inspirada por Sócrates.


A História da Filosofia

& quotEste compêndio é especialmente impressionante porque apresenta resultados justos devido à filosofia analítica e continental. Começando com os pré-socráticos, vai desde a teoria filosófica antiga até a contemporânea, unindo o pensamento ocidental e oriental. Embora não forneça uma análise exaustiva sobre cada escola particular de pensamento, o livro de Grayling fornece um resumo satisfatório dos principais movimentos dentro da filosofia. É um grande presente para os fãs de filosofia que desejam ampliar sua base de conhecimento. & Quot

A primeira história da filosofia em um único volume confiável e acessível para cobrir as tradições ocidentais e orientais, de um dos pensadores mais eminentes do mundo

A história da filosofia é a história de quem somos e por quê. Um conto épico, abrangendo civilizações e continentes, ele explora algumas das mentes mais criativas da história. Mas não desde o popular clássico Bertrand Russell & # 39s Uma História da Filosofia Ocidental, publicado em 1945, tem havido uma história abrangente e divertida em um único volume dessa grande jornada intelectual que molda o mundo.

Com clareza e elegância características, AC Grayling leva o leitor das visões de mundo e moralidades anteriores à era de Buda, Confúcio e Sócrates, através da captura do cristianismo da mente europeia, da Renascença e Iluminismo até Mill, Nietzsche, Sartre e, finalmente, a filosofia hoje. Reunindo esses muitos fios que muitas vezes correm em paralelo, ele examina em conjunto as grandes tradições filosóficas da Índia, China e do mundo persa-árabe.

Acessível para estudantes e reveladora para entusiastas da filosofia, a narrativa de Grayling & # 39s traz à vida o trabalho de figuras históricas famosas e pensadores menos conhecidos, mas influentes, fazendo uma ponte entre epistemologia, metafísica, ética, estética, lógica, filosofia da mente, o filosofia da linguagem, filosofia política e a história dos debates nessas áreas de investigação. Ele dramatiza o intercâmbio entre e dentro de eras e épocas, tornando emocionante a grande dança do pensamento humano. Ele pergunta o que aprendemos, mas também que progresso ainda precisa ser feito.

Destinada a ser a magnum opus Grayling & # 39s, e surpreendente em seu alcance e acessibilidade, esta é uma obra marcante.


Melhores livros de filosofia para ler com melhor classificação

Alguns dos pensadores mais importantes da história viveram dentro do tema da filosofia. Ao analisar os melhores livros de filosofia, podemos tentar compreender as maneiras como as civilizações antes de nós entendiam o significado de suas próprias vidas.

A maneira como pensamos e agimos é muito afetada pela cultura em que nascemos. A filosofia pode revelar-nos os motivos que sustentam as maneiras como agimos e, ao fazê-lo, ajuda-nos a conhecer melhor o nosso eu interior e a forma como nos ligamos ao nosso planeta.

Aqui está uma lista dos melhores livros de filosofia de todos os tempos que o Pennbook sugeriu para você:

A History of Western Philosophy de Bertrand Russell

O livro de Bertrand Russell ocupou um lugar de reverência porque foi o primeiro romance em 1945. Abrangente, erudito e mostra que esta é uma história escrita por uma pessoa que se tornou um filósofo favorito por seus próprios méritos .

Sophie & # 8217s World por Jostein Gaarder

Mais de vinte milhões de cópias impressas & # 8211 este melhor livro de filosofia segue a norueguesa de 14 anos Sophie Amundsen em um quebra-cabeça de perguntas desconcertantes. Profundamente entrincheirado e mostrando o cânone da doutrina ocidental, esta é uma introdução fantástica para investigar de forma inteligente algumas das maiores questões feitas como a pedra angular da doutrina no curso da história.

Cinco Diálogos de Platão

Alfred Whitehead afirmou que a filosofia ocidental é apenas uma nota de rodapé para Platão. Isso é mais do que um pequeno exagero, e duvido seriamente que alguém possa gostar de filosofia sem estudar Sócrates & # 8217 o aluno mais famoso. Esses cinco diálogos são ilustrações fabulosas da prosa e da perspicácia filosófica de Platão & # 8217.

O Eutífron apresenta um debate, ainda válido hoje, de que a moralidade não pode derivar dos deuses, independentemente de estes existirem ou não. A Apologia apresenta a defesa de Sócrates & # 8217 no julgamento em que ele foi acusado de impiedade e corrupção em sua juventude, e onde foi condenado à morte.

O Crito é um diálogo no qual Sócrates investiga a noção de justiça e propõe uma variante inicial da teoria do contrato social. O Mênon é uma ilustração fantástica do método socrático, centrado na investigação dessa noção de mérito, embora também tenhamos a famosa definição de conhecimento como crença verdadeira justificada.

Por fim, o Fédon nos apresenta os últimos minutos da vida de Sócrates & # 8217, nos quais o filósofo fala sobre o espírito e a vida após a morte. A coleção é um caso surpreendente de muito boa escrita e grande doutrina.

The Stranger de Albert Camus

A principal abordagem para mergulhar na doutrina é estudar os filósofos historicamente e, portanto, recomendo uma pequena História da Filosofia de Nigel Warburton. Mas, outra maneira maravilhosa de mergulhar nisso & # 8217s através da ficção filosófica, e para isso, sugiro fortemente que Camus & # 8217 compôs soberbamente O Estranho.

A publicação trata do absurdo, da mortalidade e também do reconhecimento: “Não existe amor à vida sem pesar pelo estilo de vida”, # 8221 lugar sob a luz do sol brilhante da Argélia.

O gene egoísta de Richard Dawkins

Não tenho certeza se, no entanto, defendo alguns dos pontos de vista significativos defendidos no clássico de Dawkins e # 8217. No entanto, é o primeiro livro que eu recomendo para alguém que gostaria de compreender a lógica e a força da seleção natural. Não é por acaso que mais de um milhão de cópias são vendidas. Dawkins captura seus leitores e não os deixa ir.

Nos 40 anos desde que a publicação foi lançada pela primeira vez, começamos a entender a escolha natural muito melhor. No entanto, Dawkins permanece habilidoso em nos mostrar exatamente quais são as preocupações que isso suscita.

Brainstorms de Daniel Dennett

Os documentos desta coleção foram escritos nos primeiros dias da engenharia cognitiva. Sempre independente, Dennett expõe os pontos fracos tão rápido quanto apresenta o programa. Sondando as lacunas entre as máquinas e as pessoas, ele nos torna um mistério sobre visão, compreensão, consciência e livre arbítrio. E para completar, você recebe a soberba fábula de ficção científica Onde posso? & # 8221, possivelmente o único artigo de doutrina a ser transformado em um filme. & # 8221

Meditações de Marco Aurélio

O estoicismo testemunhou um renascimento apaixonado nas últimas décadas, particularmente nos círculos corporativos. Ler Meditações & # 8217, uma função definidora do estoicismo, e não é difícil ver por quê.

O imperador romano Marco Aurélio escreveu meditações sobre a filosofia primeira ao longo de suas aventuras administrando o Império Romano e ao longo de sua vida como guerreiro. Ele resume uma filosofia clássica de devoção ao mérito sobre a alegria, tranquilidade, alegria e, possivelmente, acima de tudo, uma busca pela paz interior em face de um mundo caótico e em constante mudança. Altamente prático para a vida cotidiana.

Zen e a arte da manutenção de motocicletas, de Robert M. Pirsig

Tendo um nome um pouco enganador, este livro faz grandes perguntas sobre como vivemos nossas próprias vidas. Tendo como pano de fundo o noroeste dos Estados Unidos e # 8217, ele segue um pai e um filho em uma viagem de bicicleta cross country. Pirsig discute as noções de retórica, calibre, estratégia científica, tecnologia e vários pensamentos dos gregos na busca da verdade unificadora.

O Príncipe de Niccolo Machiavelli

Ocasionalmente, afirma-se que o Príncipe está entre as primeiras obras da filosofia contemporânea, particularmente da doutrina política moderna, em que o fato poderoso é considerado mais significativo do que qualquer perfeito abstrato. Maquiavel destacou a demanda por realismo, em vez de idealismo.

Esta é apenas uma das influências mais duradouras de Maquiavel na modernidade.

Tao Te Ching de Lao Tzu

Lao-tzu & # 8217s Tao Te Ching, ou Livro do Caminho, é o guia clássico para a arte de viver e entre as maravilhas da Terra.

Em oitenta e um capítulos curtos, o Tao Te Ching examina a situação básica de estar vivo e dá conselhos que transmitem equilíbrio e perspectiva, uma alma serena e generosa. Este livro é sobre sabedoria em ação. É um dos melhores livros de filosofia oriental para ler!

Comece com o porquê de Simon Sinek

Nesta publicação, Sinek investiga a semelhança entre indivíduos como Steve Jobs, os irmãos Wright e Martin Luther King Jr. - eles começaram sua conquista perguntando: & # 8220 Por quê? & # 8221

Usando ilustrações de homens e mulheres tão famosos, Sinek demonstra que sem responder ao & # 8220 por que & # 8221 por trás de um produto, pensamento, & # 8211 ou suporte, você não pode adquirir a lealdade do cliente ou possuir realizações duradouras.

Ele demonstra que os melhores líderes poderosos comunicam a lógica que apóia seus pensamentos, uma estratégia que você pode implementar em sua vida para ser um líder altamente eficaz ou alcançar um novo grau de excelência.

Ética a Nicômaco de Aristóteles

A questão mais importante de Aristóteles na Ética a Nicômaco é: o que é ideal para os indivíduos? Sua solução para essa questão é a capacidade de viver um tipo de estilo de vida especialmente excelente que proporciona felicidade completa.

Em seu debate, a alegria é composta por ações que permitem que os indivíduos valorizem seus pontos fortes. Ao fazer isso, os indivíduos podem florescer em suas comunidades participando de reflexões pertinentes para suas vidas.

Os leitores gostam deste romance, uma vez que é verdadeiro e, ao mesmo tempo, oferecem permissão. Embora alguns achem que a escrita é idiota ocasionalmente, esta publicação inclui notas de rodapé que ajudam a explicar as coisas em uma linguagem mais regular. Esta é uma excelente leitura para pessoas que estão tentando viver uma vida virtuosa.

Além do Bem e do Mal, de Friedrich Nietzsche

Esta publicação do filósofo Friedrich Nietzsche foi impressa em 1886 e se baseia em seus pensamentos, que foram impressos em obras anteriores. Nietzsche acusa os filósofos que chegaram antes de seu tempo de não terem bom senso e acreditar no cristianismo, o que influenciou fortemente suas ideias particulares de moralidade.

Nietzsche concentra-se especialmente nas tendências dos filósofos e # 8217 para implementar sistemas junto com o conceito de que o bem e o mal são opostos. Em vez disso, ele afirma que eles são iguais, simplesmente têm diferentes expressões de impulsos.

Skin in The Game por Nassim Nicholas Taleb

Enraizado em informações empíricas e encontros na vida real, Taleb atinge o estabelecimento pseudo-intelectual.

Sua prosa mordaz é estimulante de se ver, embora ele pudesse ser muito teimoso em seus pensamentos.

Se você tentar se equipar com pensamentos & # 8220 contemporâneos & # 8221, aplicáveis ​​a todas as partes de sua vida, & # 8220Skin at The Sport & # 8221 deve fazer parte de sua biblioteca.

Pense por Simon Blackburn

O que você receberá desta publicação: Uma publicação introdutória à doutrina. It’s different from other novels due to its focus on plausible discussions of philosophical problems and the way that it compels the reader to consciously think of the problem. This contrasts with the expositional design of other such books, which just list the concept and clarify it.

That said Think will not quite cover as much ground as Sophie’s World or History of Western Philosophy. Luckily, its most important topics are extremely appealing: the doctrine of the brain, free will, philosophy of religion, and epistemology.

The fundamental questions in Believe are: Who am I? What’s the world? Does God exist? Can I have free will?

The writing style itself is crystal clear and simple to follow along with the logical discussions are nicely constructed and the principal ideas come across quite well. It is written so well, you will probably quit here and there just so that you may ponder what you’ve read.

The Republic by Plato

Presented in the form of a dialogue between Socrates and three different interlocutors, this classic text is an inquiry into the notion of a perfect community and the ideal individual within it. During the conversation, other questions are raised: what is goodness? what is reality? and what is knowledge?

The Republic also addresses the purpose of education and the role of both women and men as guardians of the people. With remarkable lucidity and deft use of allegory, Plato arrives at a depiction of a state bound by harmony and ruled by philosopher-kings. This is one of the best philosophy books for beginners!

The Myth of Sisyphus by Albert Camus

In Greek mythology, Sisyphus was a trickster king who, among other things, managed to string and imprison Thanatos, God of Death, therefore briefly stopping all living beings out of perishing.

After equipping Thanatos, another Greek god chose to punish Sisyphus by forcing him to roll up a giant boulder up a mountain, then push it down the other side and then repeat this process for all eternity.

Beginning from this Greek story, Camus wrote The Myth of Sisyphus, which investigates the significance of life, or better explained, why life does not appear to have any significance.

It is opening words are “There is but one truly serious philosophical problem and that’s suicide”, therefore it does not start on a cheery note.

The Origin of Consciousness in the Breakdown of the Bicameral Mind by Julian Jaynes

In the center of the classic, the seminal publication is Julian Jaynes’s still-controversial thesis that human consciousness didn’t begin far back in animal evolution but rather is a learned process that came about just three thousand decades back and is still growing. The consequences of the revolutionary scientific paradigm expand into almost every aspect of our psychology, our culture and history, our faith – and our future

The story of philosophy by Will Durant

The product of twenty-five years of study, The Story of Philosophy is an endlessly inspiring and informative chronicle of the world’s best pioneers, from Socrates to Santayana. Composed of diligent and painstaking scholarship, it had been made to control the respect of teachers and also to catch the interest of this layman.

Durant lucidly describes the philosophical methods of these world-famous “monarchs of their brain” like Plato, Aristotle, Francis Bacon, Spinoza, Kant, Voltaire, and Nietzsche.

Together with their thoughts, he provides their flesh-and-blood biographies, putting their ideas inside their own time and set and elucidating their influence on our contemporary intellectual legacy. These pages are packed with wisdom and humor.

The Dream of Reason by Anthony Gottlieb

Already a classic, this milestone analysis of ancient Western notion seems in a new edition with expanded coverage of the Middle Ages. This landmark study of Western notion takes a new look in the writings of the excellent thinkers of classic doctrine and queries many parts of traditional wisdom.

The book invites comparison to Bertrand Russell’s monumental History of Western Philosophy,” however Gottlieb’s book is not as idiosyncratic and according to more recent scholarship” (Colin McGinn,” Los Angeles Times). A New York Times Notable Book, a Los Angeles Times Best Book, and a Times Literary Supplement Best Novel of 2001.

When Life Makes Sense by A. A. ALEBRAHEEM

Raise your fascination and open-mindedness to the max! This publication attempts to address the mystery which has remained unsolved since the start of contemporary humankind: what’s the significance of life? The significance of life is not any new subject for people there are numerous efforts to discover life’s significance.

This book reviews a number of those proposed conclusions to this look for the meaning of life in the viewpoints of mathematics fiction, philosophy, and religion.

As a consequence of this publication’s deep involvement with diverse resources, you may come in contact with a distinctive, easy, immediate, and purposeful answer which is reasonable.

The publication introduces a new concept of the significance of life, according to evidence from the Old Testament that is both approved by Judaism and Christianity, along with Quran texts. It explains the various pieces of our own lives and shows the maestro who (conducts and) harmonizes all life’s meanings.

With its clever and true writing style, this book may provide you true intellectual joy and invite you to reevaluate your vision and assignment when you understand the ultimate aim and purpose of life. Written for each human in a mature phase of the life who wants to revise their lifestyle management

Leo Strauss and the Retrieval of Medieval Political Philosophy by Joshua Parents

Leo Strauss is famous chiefly for reviving ancient political philosophy. Strauss recovered that excellent tradition of thought mostly lost to the West by starting his analysis of classical notions with its instruction on politics instead of its metaphysics. What attracted Strauss for this manner of reading the screenplay, nevertheless, was a discovery that he made as a young political scientist analyzing the vague texts of Jewish and Muslim medieval political thought.

Inside this volume, Joshua Parens examines Strauss’s diagnoses of medieval political philosophy, offering interpretations of his writings about the excellent thinkers of the heritage, such as interpretations of the most troublesome writings on Al Farabi and Maimonides.

Additionally, Parens explicates Strauss’s statements on Medieval Christian Thought and his argument for rejecting the Scholastic paradigm for a way of translating Jewish and Muslim thought.

Contrasting Scholasticism with Jewish and Islamic medieval political philosophy, Parens explains the subject of Strauss’s idea, what Strauss calls the “theologico-political problem,” and shows the importance of medieval political philosophy at the Western heritage. This is one of the best political philosophy books for reading!

The Enchiridion by Epictetus

The Enchiridion or Manual of Epictetus is a Brief guide of Stoic ethical information from the 2nd-century Greek Stoic philosopher Epictetus. The focus is on implementing philosophy in everyday life. The main theme is that you ought to take what happens. The Enchiridion, Together with the Meditations of Marcus Aurelius and Seneca’s Letters From A Stoic, is just one of three Important texts where the contemporary world understands Stoicism.

Grammar, Philosophy, and Logic by Bruce Silver

This publication argues that a simple grasp of logic and philosophy can produce spoken and written material that is both grammatically correct and strong. The writer investigates errors in grammar, word choice, phrasing, and phrases that the best authors can fail to detect focusing on subtle missteps and mistakes that may make the distinction between good and superb prose.

Every chapter addresses how ordinary words and long-established grammatical principles are often abused or dismissed altogether – including such common phrases as fascinating, potential, and clear.

By handling language in this manner, the writer provides an illuminating and functional stylistic guide that will interest scholars and students of grammar and doctrine, in addition to readers seeking to improve their technical writing skills.

The Meaning of Life by E.D. Klemke, Steven M. Cahn

Featuring twenty-five educational choices by prominent philosophers, literary characters, and spiritual thinkers, the book serves as a perfect core text for courses about the significance of life and introduction to philosophy classes where the subject is highlighted. In Section I the posts defend the view that without faith in God, life has no meaning or intention.

In Part II the choices oppose that particular claim, defending rather a nontheistic, humanistic choice – that life may have meaning even in the absence of theistic dedication.

In Part III the readings speech if the matter of the significance of life is meaningful. The fourth edition adds collections representing Buddhist and Confucian notion and also features a new Section IV at the end of lifestyle, raising concerns about the way our perspectives on departure affect our Comprehension of the meaning of life

Philosophies of Language and Linguistics by Ralph A. Hartmann

This book is all about what ten renowned philosophers or linguists in addition to the writer consider language and the way we must explore it. After outlining and assessing the significant eleven functions of the ten people on the subject in question.

The writer tries to answer the question if it’s the science of speech is possible according to his evaluation of the above mentioned eleven functions and the opinions expressed by Karl Popper and Thomas Kuhn, among their most distinguished names in the philosophy of mathematics fiction.


The Six Best Books on the History of Philosophy

From beginner-friendly introductions to comprehensive textbooks on the history of philosophy, this page features books to suit any learning style. It’s important to note that there is no single best book on the history of philosophy. The best book for you will depend heavily on your preferred learning style and the amount of time/energy you’re willing to spend reading. For example, if you tend to find classic works of philosophy difficult to understand, you might want to start with a short, beginner-friendly introduction. If you prefer more depth, you can choose a more comprehensive overview.

It’s also worth noting that it is not a list of personal recommendations. Personal book recommendations tend to be highly subjective, idiosyncratic, and unreliable. This list is part of a collection of over 100 philosophy reading lists which aim to provide a central resource for philosophy book recommendations. These lists were created by searching through hundreds of university course syllabi, internet encyclopedia bibliographies, and community recommendations. Links to the syllabi and other sources used to create this list are at the end of the post. Following these links will help you quickly find a broader range of options if the listed books do not fit what you are looking for.

Here are the best books on the history of philosophy in no particular order.

A Little History of Philosophy – Nigel Warburton

Category: Pop-Nonfiction | Length: 272 pages

Publisher description: Philosophy begins with questions about the nature of reality and how we should live. These were the concerns of Socrates, who spent his days in the ancient Athenian marketplace asking awkward questions, disconcerting the people he met by showing them how little they genuinely understood. This engaging book introduces the great thinkers in Western philosophy and explores their most compelling ideas about the world and how best to live in it.

In forty brief chapters, Nigel Warburton guides us on a chronological tour of the major ideas in the history of philosophy. He provides interesting and often quirky stories of the lives and deaths of thought-provoking philosophers from Socrates, who chose to die by hemlock poisoning rather than live on without the freedom to think for himself, to Peter Singer, who asks the disquieting philosophical and ethical questions that haunt our own times…

How the World Thinks: A Global History of Philosophy – Julian Baggini

Category: General Introduction | Length: 432 pages

Publisher description: One of the great unexplained wonders of human history is that written philosophy flowered entirely separately in China, India and Ancient Greece at more or less the same time. These early philosophies have had a profound impact on the development of distinctive cultures in different parts of the world. What we call ‘philosophy’ in the West is not even half the story. Julian Baggini sets out to expand our horizons in How the World Thinks, exploring the philosophies of Japan, India, China and the Muslim world, as well as the lesser-known oral traditions of Africa and Australia’s first peoples. Interviewing thinkers from around the globe, Baggini asks questions such as: why is the West is more individualistic than the East? What makes secularism a less powerful force in the Islamic world than in Europe? And how has China resisted pressures for greater political freedom? Offering deep insights into how different regions operate, and paying as much attention to commonalities as to differences, Baggini shows that by gaining greater knowledge of how others think we take the first step to a greater understanding of ourselves.

A New History of Western Philosophy – Anthony Kenny

Category: General History | Length: 1058 pages

Publisher description: The individual volumes of Sir Anthony Kenny’s acclaimed History of Western Philosophy have been hailed as “wonderful authoritative hugely rewarding” (Times Higher Education Supplement) and “genial and highly accessible” (London Review of Books) Now these four splendid books have been combined into one magnificent volume, providing a continuous sweeping account of the great thought of the Western world. Here readers will find not only an authoritative guide to the history of philosophy, but also a compelling introduction to every major area of philosophical inquiry. Kenny tells the story of philosophy chronologically, his lively narrative bringing the great philosophers to life and filling in the historical and intellectual background to their work. Kenny also looks closely at each of the main areas of philosophical exploration: knowledge and understanding science metaphysics mind and soul the nature and content of morality political philosophy and God.

An Illustrated Brief History of Western Philosophy – Anthony Kenny

Category: General Introduction | Length: 464 pages

Publisher description: Now in its 20th anniversary edition, world-renowned philosopher Anthony Kenny’s highly acclaimed survey of Western philosophy has been updated to provide essential coverage of contemporary Anglophone analytic and continental philosophy, and features a brand-new introduction on the history of philosophical sub-disciplines.

  • 20 th anniversary edition of Sir Anthony Kenny’s acclaimed survey of over 2,500 years of Western philosophical thought, featuring new chapters on Anglophone analytic and continental philosophy
  • Offers the most concise and compelling story of the complete development of philosophy available
  • Written by one of the most learned and pedigreed philosophers alive in Britain…

A History of Philosophy – Frederick Copleston

Category: Comprehensive History | Length: 9 Volumes

Publisher description: Conceived originally as a serious presentation of the development of philosophy for Catholic seminary students, Frederick Copleston’s nine-volume A History Of Philosophy has journeyed far beyond the modest purpose of its author to universal acclaim as the best history of philosophy in English.

Copleston, an Oxford Jesuit of immense erudition who once tangled with A. J. Ayer in a fabled debate about the existence of God and the possibility of metaphysics, knew that seminary students were fed a woefully inadequate diet of theses and proofs, and that their familiarity with most of history’s great thinkers was reduced to simplistic caricatures. Copleston set out to redress the wrong by writing a complete history of Western philosophy, one crackling with incident and intellectual excitement — and one that gives full place to each thinker, presenting his thought in a beautifully rounded manner and showing his links to those who went before and to those who came after him.”…

Classics of Western Philosophy – Steven M. Cahn

Category: Anthology | Length: 1376 pages

Publisher description: The Eighth Edition of Steven M. Cahn’s Classics of Western Philosophy offers the same exacting standard of editing and translation that made earlier editions of this anthology the most highly valued and widely used volume of its kind. But the Eighth Edition offers exciting new content as well: Plato’s Laches (complete), new selections from Aristotle’s Nicomachean Ethics (on courage), Descartes’ Discurso sobre o método (complete), all previously omitted sections of Berkeley’s A Treatise Concerning the Principles of Human Knowledge, Kant’s Prolegomena to Any Future Metaphysics (complete).

These additions―with no offsetting deletion of content of the Seventh Edition―yield an anthology of unrivaled versatility, the only one to offer the complete texts of: both Descartes’ Discurso sobre o método e Meditações sobre a filosofia primeira, both Berkeley’s A Treatise Concerning the Principles of Human Knowledge e Three Dialogues between Hylas and Philonous, Kant’s Prolegomena to Any Future Metaphysics and selections from the Critique of Pure Reason.

The following sources were used to build this list:

University Course Syllabi:

The Daily Idea aims to make learning about philosophy as easy as possible by bringing together the best philosophy resources from across the internet.

  • Find the best philosophy books on a wide variety of topics with this collection of over 120 philosophy reading lists.
  • Find free online philosophy articles, podcasts, and videos with this organised collection of 400+ free philosophy resources.

You can also follow The Daily Idea on Facebook and Twitter for updates.

A History of Western Philosophy in 500 Essential Quotations – Lennox Johnson

Category: Reference | Length: 145 pages | Published: 2019

Publisher’s Description: A History of Western Philosophy in 500 Essential Quotations is a collection of the greatest thoughts from history’s greatest thinkers. Featuring classic quotations by Aristotle, Epicurus, David Hume, Friedrich Nietzsche, Bertrand Russell, Michel Foucault, and many more, A History of Western Philosophy in 500 Essential Quotations is ideal for anyone looking to quickly understand the fundamental ideas that have shaped the modern world.


Assista o vídeo: Top 6 książek filozoficznych, które czyta się niczym dobrą powieść - Top Listy #2