Meteora

Meteora

Meteora é um incrível conjunto de mosteiros, cada um situado no alto das montanhas gregas em uma área de extraordinária beleza natural. Na verdade, “Meteora” significa literalmente “suspenso no ar”.

Acredita-se que os locais em que os mosteiros de Meteora foram construídos tenham sido habitados por um grupo de monges que viviam em reclusão, no século XI. No entanto, muitos dos mosteiros de Meteora vistos hoje datam dos séculos XIV, XV e XVI.

O mais importante dos mosteiros de Meteora é talvez o do Santo Mosteiro do Grande Meteoron, construído em meados do século XIV e que hoje é um museu. Outros mosteiros de Meteora incluem Agias Triados, Agiou Nikolaou, Varlaam, Agias Varvaras Rousanou e Agiou Stefanou.

Ao visitar Meteora, é necessário que as mulheres usem saias cobrindo os joelhos e que tanto os homens quanto as mulheres se cobram em geral. Este site também é uma das 10 principais atrações turísticas a se visitar na Grécia.


Visite Meteora com nossos guias

Meteora é um Patrimônio Mundial e o maior e mais importante complexo de mosteiros de toda a Grécia depois do Monte Athos. O santuário religioso protegido pela Igreja Ortodoxa é um elo vivo entre o Império Bizantino e o mundo moderno. As rochas de Meteora são um milagre das forças naturais da geologia, um aglomerado de pináculos rochosos adornados pela comunidade monasterial sacrossanta. Os gigantes de pedra de Meteora ficam parados, silenciosos e orgulhosos com seu aspecto imponente que quebra a monotonia da paisagem da vasta planície da Tessália logo acima de Kalabaka e da pitoresca Kastraki, causando espanto e êxtase. A formação de Meteora inclui eventos que ocorreram ao longo de 700 milhões de anos do passado geológico e os primeiros pontos de vida eremita na coplexia dessas rochas foram no século IX. No início, monges eremitas escalaram as rochas de Meteora para viver no topo dos pináculos, abrigando-se em fissuras erosivas nas próprias formações sagradas. Entre os séculos 11 e 17 foram construídos vinte e quatro mosteiros, oito deles ainda de pé, mas seis em uso até hoje dando continuidade à vida monástica: o mosteiro do Grande Meteoro, Varlaam, Santo Estêvão, São Nicolau Anapafsas ' , Rousanou e Santíssima Trindade. Além disso, outros dois mosteiros (São Nicolau Badovas e Mosteiro de Ipapandi) foram renovados e são preservados pelos maiores, que os tomaram como dependências. A terra de Meteora e sua geologia fornecem a fonte do reino espiritual e ambientalmente único que é a metade do caminho para o céu.

Guia de Pós-Graduação, completo com formação científica e especialização nos mosteiros de Meteora responsável por:

  • Passeie pelos mosteiros de Meteora
  • Passeie pelo sítio arqueológico de Vergina
  • Passeie pela mágica e histórica Ioannina
  • Passeio por todos os pontos turísticos do norte da Grécia

Kalafati Domniki é um guia turístico qualificado com sede em Kalambaka, que respeita a cultura e principalmente a tradição religiosa do nosso país, dá-lhe as boas-vindas e acredita que irá proporcionar-lhe visitas memoráveis ​​aos mosteiros de Meteora e aos locais de interesse histórico e arqueológico do norte da Grécia!

Oferecemos: MEIO DIA E PASSEIOS DE DIA INTEIRO

Línguas:
O passeio, além da língua grega e inglesa, é oferecido em quase todas as línguas em combinação com um tradutor. Você pode selecionar qualquer idioma para o tour


Contato:
Você pode entrar em contato todos os dias nos seguintes números de telefone: +30 6972587873 e amp +30 6932850035.

Kalafat i Domniki Guia

tel .+30 6972587873

+30 6932850035

[email protected]


Conteúdo

Em 2000, o Linkin Park trabalhou com o produtor musical Don Gilmore para gravar e lançar seu álbum de estreia, Teoria híbrida. A composição inicial de um segundo álbum datava do início de 2001, enquanto ainda estava em turnê para divulgar Teoria híbrida. A banda escreveu cerca de oitenta demos diferentes durante sua Hybrid Theory World Tour e LP Underground Tour, no espaço de apenas oito meses. [4] Idéias grosseiras de músicas escritas então encontrariam seu caminho para o álbum final, notavelmente a introdução de "Somewhere I Belong". Bennington gravou notas de guitarra para ele, [ citação necessária ] mas achei muito folk rock soando. No entanto, Shinoda e Joe Hahn o retrabalharam, adicionando efeitos a ele, e então o tocaram ao contrário, moldando-o em algo com o qual a banda estava feliz. Como explicado por Shinoda: "Como eu inverti, ele estava tocando em 4-3-2-1. A progressão de acordes foi invertida. Então eu cortei em quatro partes e toquei 1-2-3-4. E foi isso por que tem aquele som arrebatador. " [5] [1]

- Brad Delson, falando sobre o histórico de escrita do álbum com MTV

Antes de lançar um segundo álbum, a banda optou por lançar um álbum de remix, Reanimação, em 2002, produzido pelo membro da banda Mike Shinoda. A experiência levou a banda a querer co-produzir seu segundo álbum, enquanto ainda trabalhava com Gilmore, na esperança de expandir o som de Teoria híbrida com mais ideias experimentais. [6] No início de 2002, após a turnê, a escrita continuou no estúdio caseiro de Mike, a pré-produção do álbum começou lá. A banda trabalhou em pares durante o processo de composição, enquanto Shinoda sempre esteve envolvido em todas as canções. A gravação das músicas utilizou principalmente Pro Tools, enquanto a banda utilizou o método tradicional de composição, em estúdio principal. Em junho, a pré-produção foi encerrada e a banda partiu para a produção principal. A banda finalizou Don Gilmore como seu produtor. Quando Reanimação foi lançado, a banda começou a escrever o conteúdo principal. Rob Bourdon passou oito horas por dia no estúdio para a gravação do álbum. Em agosto, a banda entrou no NRG Studios quando Bennington também começou a escrever canções com a banda. [7] [8] [9]

Sabíamos o que queríamos e sabíamos como executar até certo ponto. No entanto, nós também estávamos indo para lá. Nós realmente não nos importamos com o que os outros estavam fazendo. Também não nos importamos se as músicas se encaixam estilisticamente como um todo ou uma coleção de músicas. Era mais como, "Este riff é doentio!" Então, nós apenas gritaríamos sobre ela, e a próxima música seria uma balada mid-tempo e você cantaria da maneira que aquela música precisava ser cantada. Estávamos testando. Éramos estudantes na faculdade. Estávamos no laboratório e por acaso tropeçamos em algo que todos gostaram e funcionou. eu penso Meteora foi uma extensão disso.

O Linkin Park terminou as versões de muitas músicas antes do processo de gravação real ter começado, mas eles escreveram as músicas finalizadas incluídas na lista de faixas do estúdio. Em outubro, a bateria foi finalizada e as partes de guitarra foram introduzidas por Brad na sala de controle do estúdio. No final de outubro, as partes do baixo foram introduzidas. O próprio Don Gilmore sendo baixista ajudou Farrell em sua gravação. A parte de amostragem de Hahn foi introduzida apenas um mês antes do prazo, então Mike terminou a gravação de "Breaking the Habit" com arranjo de cordas por David Campbell, a canção tinha sido trabalhada por Shinoda por cinco ou seis anos. [10] A produção vocal começou em novembro. O processo de mixagem, assim como o álbum em si, foi finalizado na cidade de Nova York.

Liricamente, o álbum contém elementos que incluem emoções deprimentes, raiva e recuperação. Explicando à MTV, Bennington disse: "Não falamos sobre situações, falamos sobre as emoções por trás das situações. Mike e eu somos duas pessoas diferentes, então não podemos cantar sobre as mesmas coisas, mas ambos sabemos sobre a frustração e raiva e solidão e amor e felicidade, e podemos nos relacionar nesse nível. " Na mesma entrevista, Shinoda explicou como: "O que realmente queríamos fazer era nos empurrar e empurrar uns aos outros para realmente encontrar novas maneiras de ser criativos." Ele continuou: "Queríamos que cada amostra de cada música fosse algo que pudesse animar seus ouvidos - algo que você talvez nunca tenha ouvido antes." [11]

Em uma entrevista promocional, Rob Bourdon declarou: "Queríamos um grupo de músicas que se encaixassem bem porque queríamos fazer um disco que você pudesse colocar em seu CD player e, do começo ao fim, nunca haveria um lugar onde você começa a sonhar acordado. " [11]

Ao intitular o álbum, Mike disse que "Meteora foi uma palavra que chamou minha atenção porque parecia enorme". Dave, Joe e Chester elaboraram que, assim como Meteora, as formações rochosas na Grécia, é muito épico, dramático e tem uma grande energia, a banda queria que o álbum tivesse o mesmo sentimento. [1]

A promoção do álbum começou bem antes de seu lançamento, quando as fotos da gravação da banda foram distribuídas para a mídia. Para divulgar o álbum, foram realizadas várias sessões de fotos da banda no dia 29 de outubro no Ambassador Hotel, onde a banda fez uma pausa de dois dias nas gravações do álbum, para o design da capa do álbum. "The Flem" e "Delta" ajudaram a banda pelos trabalhos de arte, pelo álbum e também pelos singles gerados por ele. Um comercial de TV para o álbum foi lançado em 1º de janeiro de 2003.

"Somewhere I Belong" foi lançado como o primeiro single, estreando nas rádios dos Estados Unidos em 18 de março de 2003. Tendo sido lançado apenas nove dias antes do lançamento do álbum, influenciou o desempenho de vendas do álbum em todo o mundo. O segundo single do álbum foi "Faint", lançado antes da banda começar sua turnê mundial. O terceiro single "Numb" foi lançado quando o Linkin Park tocou ao vivo em Madrid. "From the Inside" foi lançado como o quarto single do álbum antes da parte norte-americana da turnê mundial. "Breaking the Habit" foi lançado enquanto a banda estava na Indonésia. O álbum foi lançado com vários conteúdos de edição limitada para fins promocionais.

Existe uma edição especial de Meteora, que inclui o "Making of Meteora"Documentário em DVD. O pacote da edição especial foi embalado em uma caixa tingida de azul com o Meteora capa que pode ser encontrada em algumas partes da Ásia, Estados Unidos e, mais comumente, na Índia. Uma versão indiana alternativa contém um DVD alternativo e uma capa alternativa embalados em uma caixa fina com o disco na embalagem original. A "Edição Tour" de Meteora é embalado em um conjunto de dois discos. O segundo disco, que é um Video CD, contém os videoclipes de "Somewhere I Belong", "Faint", "Numb" e "Breaking the Habit". A edição tour é embalada em uma caixa de CD padrão, ao invés de sua caixa digipak marca registrada. O álbum também foi lançado em uma quantidade muito limitada de discos de vinil (distribuídos em dois LPs) pela Warner Brothers. São cobiçados por colecionadores e alcançam altos preços em leilões. Em 2014, o Linkin Park lançou uma versão demo de Shinoda cantando a música, em seu 14º CD anual do fã-clube, LPU XIV.

A banda promoveu o álbum com sua Meteora World Tour e várias outras turnês de apoio. A turnê mundial foi apoiada por Hoobastank, P.O.D. e história do ano. A banda fez shows em Edifício Pellissier e Wiltern Theatre no dia anterior ao lançamento do álbum e na data de lançamento. Os programas foram chamados de "Show de Lançamento de 'Meteora'". A perna européia foi cancelada porque Chester estava tendo fortes dores nas costas e abdominais. Como resultado, metade do videoclipe de "Numb" foi filmado em Los Angeles e na República Tcheca. O álbum também foi promovido pelo festival Projekt Revolution. Um álbum ao vivo foi lançado em apoio ao álbum intitulado Mora no texas. O Linkin Park fez vários shows especiais em todo o mundo, incluindo "Reading Ireland", bem como durante a Kerrang! Prêmios, "Livid", "X-103's Not So Silent Night", "The End's Deck The Hall Ball" e "KROQ Almost Acoustic X-Mas", na promoção do álbum.

Avaliações profissionais
Pontuações agregadas
FonteAvaliação
Metacrítico62/100 [16]
Avaliar pontuações
FonteAvaliação
Todas as músicas [17]
O A.V. Clubemisto [18]
Liquidificador [19]
E! ConectadosA [20]
Entretenimento semanalB + [21]
Melódico [22]
NME7/10 [23]
Q [20]
Pedra rolando [14]
Sputnikmusic [24]

Meteora recebeu críticas geralmente positivas, embora os críticos notassem que o estilo musical do álbum era semelhante ao de seu antecessor, Teoria híbrida (2000). A pontuação geral do Metacritic é 62. [16] E! Conectados avaliou-o como A e esperava que "disparasse direto para as estrelas". [20] [25] Entretenimento semanal descreveu-o como "perfeição amigável ao rádio". [21] Dot Music descreveu-o como uma "fonte garantida de sucessos de rádio onipresentes". [26] Pedra rolando disse que a banda "espremeu a última vida restante dessa fórmula quase extinta". [14] Revista Billboard descrito Meteora como "um prazer para o público pronto". [27] O Novo Expresso Musical disse que tinha "apelo comercial massivo", mas deixou o revisor "desapontado". [23]

Escrevendo para AllMusic, Stephen Thomas Erlewine descreveu o álbum como "nada mais e nada menos que um Teoria híbrida parte 2. ", mas acrescentou que a banda" tem disciplina e habilidades de edição, mantendo este recorde em 36 minutos e 41 segundos, um movimento que o torna consideravelmente mais ouvível do que seus pares. já que eles sabem onde concentrar sua energia, algo que muitas bandas de nu-metal simplesmente não sabem. "[17] Sputnikmusic o escritor Damrod criticou o álbum por ser muito semelhante a Teoria híbrida, mas elogiou a qualidade de produção e cativação do álbum, afirmando que "as músicas simplesmente invadem seu cérebro". [24]

Liquidificador descreveu-o como "mais duro, mais denso, mais feio", [28] enquanto Q descreveu-o como "menos um esforço artístico do que um exercício de marketing direcionado". [29] Entretenimento semanal deu ao álbum um B +, chamando-o de "álbum estrondosamente anzol que combina perfeitamente os elementos sonoros díspares do grupo em perfeição amigável ao rádio" [21]

Edição de elogios

A música "Session" foi indicada ao Grammy de Melhor Performance Instrumental de Rock em 2004. O single do álbum "Somewhere I Belong" ganhou o prêmio de Melhor Vídeo de Rock no MTV Video Music Awards de 2003. No MTV Video Music Awards de 2004, "Breaking the Habit" foi nomeado para Melhor Vídeo de Rock, mas ganhou a Escolha do Visualizador da MTV. [30]

Em sua primeira semana, Meteora estreou como número um no Painel publicitário 200. O álbum vendeu 810.400 cópias nos Estados Unidos e 36.700 no Canadá na primeira semana de lançamento. [31] Em sua segunda semana, vendeu mais 265.000 cópias nos Estados Unidos e permaneceu no topo por mais uma semana. [32] Em junho de 2014, o álbum vendeu 6,2 milhões de cópias nos Estados Unidos, [33] e cerca de 16 milhões de cópias em todo o mundo. [34] O álbum foi classificado em 36º lugar em Painel publicitário's 200 melhores álbuns da década. [3]

Todas as faixas são escritas pelo Linkin Park.

Não. TítuloComprimento
1."Prefácio"0:13
2."Não fique"3:07
3."Um lugar onde eu pertença"3:33
4."Mentindo por você"2:55
5."Acerte o chão"2:44
6."Mais facil correr"3:24
7."Desmaiar"2:42
8."Figura.09"3:17
9."Quebrando o hábito"3:16
10."De dentro"2:55
11."Ninguem está escutando"2:58
12."Sessão (Instrumental)"2:24
13."Entorpecido"3:07
Comprimento total: 36:35
Faixas bônus de luxo digital [35] [36] [37]
Não. TítuloComprimento
14."Lying from You" (LP Underground Tour 2003 ao vivo) 3:04
15."From the Inside" (LP Underground Tour 2003 ao vivo) 3:05
16."Easier to Run" (LP Underground Tour 2003 ao vivo) 3:22
Comprimento total: 46:14
Faixas bônus da edição deluxe do iTunes 2013 [38]
Não. TítuloComprimento
14."Step Up" (ao vivo) 4:14
15."Somewhere I Belong" (ao vivo em Milton Keynes) 3:41
DVD bônus de edição limitada
Não. TítuloComprimento
1."A fabricação de Meteora"34:19
VCD bônus da edição da turnê asiática
Não. TítuloComprimento
1."Um lugar onde eu pertença"3:44
2."Desmaiar"2:56
3."Entorpecido"3:06
4."Quebrando o hábito"3:18

Edição da parte multimídia

  • A Arte de Meteora - 17:04
  • Vídeo "Somewhere I Belong"
  • LPTV
  • Kit de ferramentas do site
  • Extra
  • Mercadoria
  • LP Underground

Meteora - Live Around the World é um álbum ao vivo que apresenta versões ao vivo de sete canções do segundo álbum de estúdio, Meteora, semelhante ao lançamento ao vivo anterior Hybrid Theory - Live Around the World . Eles foram gravados em várias cidades ao redor do mundo de 2007 a 2011. O álbum foi lançado exclusivamente no iTunes.

"Prefácio" foi incluído antes de "Don't Stay"

Editar lista de faixas

Todas as faixas são escritas pelo Linkin Park.

Meteora - Live Around the World [39]
Não. TítuloComprimento
1."Don't Stay" (ao vivo em Xangai, 2007) 3:16
2."Somewhere I Belong" (ao vivo em Colônia, 2008) 4:09
3."Mentindo de Você" (ao vivo em Nova York, 2008) 2:57
4."Faint" (ao vivo em Hamburgo, 2011) 3:41
5."Quebrando o hábito" (ao vivo em Hamburgo, 2011) 4:15
6."From the Inside" (ao vivo em Sydney, 2010) 3:28
7."Numb" (ao vivo em Nova York, 2008) 3:41

Créditos adaptados de AllMusic. [40]

    - vocais principais (2-11, 13) - bateria, percussão - guitarra principal (2-11, 13) - baixo (2-11, 13) - toca-discos, amostras, programação - co-líder e piano vocal rap (3 , 8-10, 12, 13), amostras, guitarra base (3, 5–7, 10, 12), teclado (2, 5, 6, 8-10, 12), arranjo de cordas (7, 9)
    - arranjo de cordas (7, 9), Charlie Bisharat, Alyssa Park, Sara Parkins, Michelle Richards, Mark Robertson - violinos
  • Evan Wilson, Bob Becker - violas
  • Larry Corbett, Dan Smith - violoncelos
  • David Zasloff - flauta shakuhachi (11)
    por Don Gilmore e Linkin Park
  • Gravado por Don Gilmore
  • John Ewing, Jr. - engenheiro
  • Fox Phelps - engenheiro assistente - mixando no Soundtrack Studios, Nova York, NY
  • Steve Sisco - assistência de mixagem - masterização, edição digital na Bernie Grundman Mastering
  • Tom Whalley e Jeff Blue - A & ampR
  • Marny Cameron - Coordenação de A & ampR
  • Peter Standish e Kevin Sakoda - diretores de marketing
  • Representação mundial: Rob McDermott para a empresa com servidão adicional de Ryan Saullo, Ryan Demarti e Noah Edelman
  • Agente de reservas: Michael Arfin para Artist Group, International
  • Danny Hayes - legal para Davis, Shapiro, Lewit, Montone e amp Hayes
  • Michael Oppenheim e amp Jonathan Schwartz - gerentes de negócios da Gudvi, Sussman e amp Oppenheim
  • Licenciamento e merchandising mundial: Bandmerch
  • Mike Shinoda e The Flem - direção criativa
  • The Flem - direção de arte e design de amp
  • Delta, Mike Shinoda, Joseph Hahn e The Flem - artistas de instalação
  • James R. Minchin III - fotografia
  • Nick Spanos - spray de tinta pode fechar fotos

Edição de gráficos semanais

Gráfico (2003) Pico
posição
Álbuns australianos (ARIA) [41] 2
Álbuns austríacos (Ö3 Áustria) [42] 1
Álbuns belgas (Ultratop Flanders) [43] 1
Álbuns belgas (Ultratop Wallonia) [44] 1
Álbuns canadenses (Painel publicitário) [45] 2
Álbuns dinamarqueses (Hitlisten) [46] 3
Álbuns holandeses (Top 100 do álbum) [47] 2
Álbuns europeus (Painel publicitário) [48] 1
Álbuns finlandeses (Suomen virallinen lista) [49] 2
Álbuns franceses (SNEP) [50] 3
Álbuns alemães (Top 100 da Offizielle) [51] 1
Álbuns gregos (IFPI) [52] 2
Álbuns húngaros (MAHASZ) [53] 2
Álbuns irlandeses (IRMA) [54] 1
Álbuns italianos (FIMI) [55] 1
Álbuns japoneses (Oricon) [56] 6
Álbuns da Nova Zelândia (RMNZ) [57] 1
Álbuns noruegueses (VG-lista) [58] 1
Álbuns poloneses (ZPAV) [59] 3
Álbuns portugueses (AFP) [60] 1
Álbuns escoceses (OCC) [61] 2
Álbuns espanhóis (AFYVE) [62] 1
Álbuns suecos (Sverigetopplistan) [63] 1
Álbuns suíços (Schweizer Hitparade) [64] 1
Álbuns do Reino Unido (OCC) [65] 1
Álbuns de rock e metal do Reino Unido (OCC) [66] 1
nós Painel publicitário 200 [67] 1
Gráfico (2009) Pico
posição
Álbuns mexicanos (100 melhores do México) [68] 98
Gráfico (2017) Pico
posição
Álbuns australianos (ARIA) [69] 5
Álbuns austríacos (Ö3 Áustria) [70] 11
Álbuns canadenses (Painel publicitário) [71] 12
Álbuns tchecos (ČNS IFPI) [72] 11
Álbuns dinamarqueses (Hitlisten) [73] 14
Álbuns finlandeses (Suomen virallinen lista) [74] 22
Álbuns alemães (Top 100 da Offizielle) [75] 15
Álbuns irlandeses (IRMA) [76] 11
Álbuns italianos (FIMI) [77] 13
Álbuns da Nova Zelândia (RMNZ) [78] 13
Álbuns noruegueses (VG-lista) [79] 26
Álbuns poloneses (ZPAV) [80] 16
Álbuns portugueses (AFP) [81] 26
Álbuns escoceses (OCC) [82] 12
Álbuns suecos (Sverigetopplistan) [83] 14
Álbuns suíços (Romandie) [84] 13
Álbuns suíços (Schweizer Hitparade) [85] 13
Álbuns do Reino Unido (OCC) [86] 7
Álbuns de rock e metal do Reino Unido (OCC) [87] 2
nós Painel publicitário 200 [88] 11
Principais álbuns alternativos dos EUA (Painel publicitário) [89] 4
Principais álbuns de catálogo dos EUA (Painel publicitário) [90] 2
Principais álbuns de hard rock dos EUA (Painel publicitário) [91] 2
Os melhores álbuns de rock dos EUA (Painel publicitário) [92] 3
Álbuns do Top Tastemaker dos EUA (Painel publicitário) [93] 18

Editar gráficos de fim de ano

Gráfico (2003) Posição
Álbuns australianos (ARIA) [94] 14
Álbuns australianos de Heavy Rock e Metal (ARIA) [95] 1
Álbuns austríacos (Ö3 Áustria) [96] 14
Álbuns belgas (Ultratop Flanders) [97] 14
Álbuns alternativos belgas (Ultratop Flanders) [98] 7
Álbuns belgas (Ultratop Wallonia) [99] 10
Álbuns dinamarqueses (Hitlisten) [100] 31
Álbuns holandeses (Top 100 do álbum) [101] 42
Álbuns europeus (Painel publicitário) [102] 6
Álbuns finlandeses (Suomen virallinen lista) [103] 17
Álbuns franceses (SNEP) [104] 26
Álbuns alemães (Top 100 da Offizielle) [105] 7
Álbuns húngaros (MAHASZ) [106] 23
Álbuns italianos (FIMI) [107] 27
Álbuns japoneses (Oricon) [108] 82
Álbuns da Nova Zelândia (RMNZ) [109] 20
Álbuns suecos (Sverigetopplistan) [110] 31
Álbuns e compilações suecas (Sverigetopplistan) [111] 41
Álbuns suíços (Schweizer Hitparade) [112] 8
Álbuns do Reino Unido (OCC) [113] 35
nós Painel publicitário 200 [114] 6
Álbuns mundiais (IFPI) [115] 3
Gráfico (2004) Posição
Álbuns australianos (ARIA) [116] 63
Álbuns franceses (SNEP) [117] 92
Álbuns alemães (Top 100 da Offizielle) [118] 59
Álbuns da Nova Zelândia (RMNZ) [119] 23
nós Painel publicitário 200 [120] 33
Chart (2005) Posição
Álbuns do Midprice belga (Ultratop Wallonia) [121] 35
nós Painel publicitário 200 [122] 199
Gráfico (2007) Posição
Álbuns do Midprice belga (Ultratop Wallonia) [123] 37
Gráfico (2017) Posição
Álbuns alternativos dos EUA (Painel publicitário) [124] 36
Top álbuns de rock dos EUA (Painel publicitário) [125] 46
Gráfico (2020) Posição
Álbuns de Hard Rock dos EUA (Painel publicitário) [126] 17

Editar gráficos de fim de década

* Valores de vendas baseados apenas na certificação.
^ Números de embarques baseados apenas na certificação.
Dados de vendas + streaming baseados apenas na certificação.


História de Kalampaka

Kalampaka é uma das cidades mais antigas da Tessália. Uma cidade, que antigamente se chamava Eginio.
Nos tempos bizantinos, durante o século 9, Eginio é chamado de Stagi como um local do episcope Stagon, (ele pertence ao povo santo) como algumas pessoas explicaram, (tubo de trigo) como alguns outros explicaram, (cavernas ou buracos nas rochas) como outras pessoas explicaram.

Durante a dominação turca, o nome mudou para Kalampaka e recebeu o nome de uma família bizantina, família Kalampaka como algumas pessoas acreditam ou (levou o nome) da couve turca mpak que significa castelo de prestígio como alguns outros acreditam. É um castelo de prestígio, uma vez que está rodeado pela imponente local de Meteora. Um enorme conjunto de rochas com cerca de 30000000 m2.

É um lugar que se impõe, tendo uma vista maravilhosa, como lugar espiritual e de culto a Deus, desde os tempos antigos até os dias de hoje. É um local repleto de beleza natural e harmonia de rochas tão escarpadas e imponentes. Aos pés das rochas fica Kalampaka, hoje uma cidade de 15.000 habitantes.


História de Meteora

Na Grécia central e particularmente na parte noroeste da Tessália, entre o Nordeste de Hasia e a Oeste de Pindos, onde termina a planície da Tessália, erguem-se rochas gigantescas (Meteora), que criam um espetáculo que pode ser único no mundo.

Não existe nenhuma referência sobre essas rochas, nem na mitologia, nem por alguns historiadores gregos ou estrangeiros.

Historiadores e geólogos começaram a se interessar pela criação dessas rochas há cerca de 1000 anos, expressando várias teorias.

A teoria prevalecente é a do geólogo alemão Philipson, que veio para a Grécia no final do século XIX. Segundo sua teoria, um grande rio teve seu estuário nesta área que durante milhões de anos foi coberto por uma parte estreita e profunda do mar. As águas do rio colocam matéria, pedras e geralmente vários materiais que foram transferidos por suas águas no estuário das partes do norte da Europa central primordial. A partir do acúmulo desses materiais formaram-se cones deltaicos.

25-30 milhões de anos atrás, depois que algumas mudanças geológicas ocorreram durante os séculos, a parte central da Europa de hoje foi erguida. Foi assim que foi criada a abertura de Tempi, tendo como resultado o derramamento das águas no mar Egeu de hoje.

Durante o período terciário, na época das orogenias alpinas, os volumes sólidos das rochas & # 8220 & # 8221 foram cortados da cadeia montanhosa de Pindos que foi criada e com o passar dos séculos, a planície do rio Pinios foi formada entre eles.

Com a corrosão contínua pelo vento e pela chuva, bem como por outras mudanças geológicas, essas rochas tomaram sua forma atual ao longo de milhões de anos.

Nas cavidades, fissuras e picos das rochas, o povo daquele local encontrava proteção contra os ataques de vários conquistadores e de quem passava da região.

Além disso, vários eremitas e anacoretas corajosos encontraram abrigo nessas rochas, buscando calma mental, tranquilidade e enquanto oravam defendiam a perfeição cristã.

No início, os eremitas ficavam isolados e oravam em pequenas capelas chamadas & # 8220prosefhadia & # 8221 (em grego significa lugares para orar) não apenas por sua salvação, mas também pela salvação de todas as pessoas. A vida deles era simples e o trabalho doloroso.

Não se sabe a hora exata em que as rochas foram habitadas, mas de acordo com os roteiros existentes o monge é apresentado quando já organizado.

Segundo os bizantinologistas, os primeiros eremitas devem ter se refugiado nas rochas no final do primeiro milênio.

De acordo com algumas informações, Barnabé é mencionado como o primeiro eremita por volta de 950-970 DC, que estabeleceu o claustro do Espírito Santo seguido pelo estabelecimento do claustro da Transfiguração de Jesus pelo monge Andrônico de Creta no início de 1000 DC . Mais tarde, por volta de 1150-1160 DC, o Claustro de Stagi ou Doupiani é estabelecido.

Exceto os claustros mencionados, outros também existiram em várias cavidades ao redor da rocha de Doupiani, do Espírito Santo e da rocha de & # 8220Sourloti & # 8221.

No início do século XII, na região de Meteora formou-se um pequeno estado ascético que tinha como centro de culto a igreja da Mãe de Deus, que formava o & # 8220Kyriako & # 8221 (igreja ou templo) ou o & # 8220Protato & # 8221 (o primeiro lugar) que existe até hoje e está na parte norte da rocha de Doupiani.

Eles estavam fluindo para esta pequena igreja de seus eremitas para realizar seu culto comum a Deus, para discutir os vários problemas que os preocupavam e para pedir a ajuda de outros eremitas para realizar o trabalho árduo.

O líder do claustro de Doupiani ou claustro de Stagi tinha o título de & # 8220primeiro & # 8221 e aquele sob a orientação do Mosteiro da Mãe de Deus de Doupiani.

Quase 200 anos depois, em meados do século 14 (1340-1350 DC), o Santo Mosteiro da Transfiguração de Jesus no monte foi estabelecido por Santo Atanásio, que deu à grande rocha & # 8220Wide Stone & # 8221 o nome de Meteoro e desde então todas as rochas têm esse nome.

Mais tarde, temos a criação de muitos Mosteiros Sagrados em um período de 2 séculos (14 a 15), uma época de grande prosperidade para o monge em Meteora. Seu número chega a 24.

Em meados do século XIV, o monge Nilos, que é o fundador e proprietário do Santo Mosteiro da Ascensão (o Santo Mosteiro de Ipapanti - Missa da Vela - hoje) com muito importante Frescos, entra em ação.

Os primeiros eremitas escalaram as rochas usando andaimes que sustentavam em vigas que ficavam entaladas em buracos na rocha.

Mais tarde, eles usaram escadas de corda e rede, até que as primeiras escadas foram esculpidas no início do século XX.

Com o passar dos anos e passando por várias dificuldades da época, como vários conquistadores da área, ataques de ladrões & # 8217 e outros fatores, muitos dos florescentes Mosteiros Sagrados foram levados ao abandono e à destruição (o período de declínio após o século 17) .

Hoje, a tradição da ortodoxia é mantida ininterrupta por mais de 600 anos pelo Santo Mosteiro do Grande Meteoro ou (a Transfiguração de Jesus no monte), o Mosteiro de Varlaam, o Mosteiro de Santo Estêvão, o Mosteiro da Santíssima Trindade, o São Nicolau Anapafsas Mosteiro e o Mosteiro de Roussano.

Além disso, com o esforço generoso dos monges, do Bispo Serafim e a contribuição do Estado, da União Europeia e de vários cidadãos, muitos dos Santos Mosteiros foram mantidos e restaurados.

Também restaurados são: 1) o mosteiro de São Nicolau Badovas (dependência do mosteiro da Santíssima Trindade) e 2) da Missa da Vela de Ipapanti (dependência do mosteiro da Transfiguração ou Grande Meteoro).


Monasticismo em Meteora

Ao longo dos séculos, os mosteiros de Meteora foram canteiros de santidade para uma multidão de monges, um bastião da fé e da civilização, tesouros dos valores e virtudes do espírito ortodoxo grego. Aqui, a riqueza natural incomparável de Meteora coexiste em absoluta harmonia com a discreta intervenção humana. O intenso esforço espiritual e a devoção a Deus se justapõem ao amor pela beleza e pela cultura. , com o único propósito de glorificar o Criador.

As lutas ascéticas dos monges foram caracterizadas pelo heroísmo, sua espiritualidade por um espírito de auto-sacrifício, abnegação e apoio às almas perturbadas que buscaram refúgio nessas fortalezas da Ortodoxia. Assim, os mosteiros de Meteora tornaram-se os vigilantes guardiães e guardiães da tradição: tornaram-se escolas para as crianças gregas sob o domínio turco e um refúgio para os perseguidos, ofereceram provisões aos lutadores pela liberdade e ao mesmo tempo deram uma educação na santidade e na salvação .

A valiosa tradição ascética de Meteora, o grande número de santos que viveram nas torres sagradas, sua rica vida litúrgica e muitas relíquias, que são seus tesouros mais preciosos, juntos fazem dos mosteiros centros vitais da espiritualidade ortodoxa.

Meteora é uma terra sagrada, um espaço sagrado criado e guardado por Deus, seus penhascos, cavernas e ravinas santificados pela hoste de sagrados ascetas e mártires da Tebaida grega que os habitaram. Um santo contemporâneo, Santo Porfírio, costumava dizer: “Falo com as rochas, pois elas têm muito a contar da vida ascética dos primeiros pais”.

Nos últimos cinquenta anos, um notável programa de restauração foi realizado nos mosteiros de Meteora, como resultado do trabalho árduo e incansáveis ​​esforços dos enérgicos e dignos abades e monges, do cuidado vigilante e da bênção do Metropolita Serafim de Stagoi e Meteora e a excelente colaboração do Eforato de Antiguidades de Larissa (ex-Trikala). Este importante empreendimento inclui um extenso trabalho de reconstrução, a preservação de afrescos e tesouros nas coleções dos mosteiros e melhorias no espaço circundante, tornando Meteora um dos destinos mais espirituais e atraentes do mundo.

As comunidades monásticas de Meteora participam da vida litúrgica e atendem com amor e sensibilidade os numerosos visitantes. Além disso, preservam e mantêm os sítios, pintam ícones, bordam com fios de ouro, criam miniaturas, produzem velas de cera de abelha, incensos e pequenos ícones, cultivam os jardins do mosteiro e criam abelhas. Suas publicações incluem estudos de história, teologia e hinografia. No entanto, seu propósito principal é oferecer um testemunho vivo de Cristo em uma época que é espiritualmente estéril, quando as pessoas perderam seu senso de identidade nacional e religiosa e estão passando por uma crise que não é apenas econômica, mas também espiritual. Os monges se esforçam para preservar o precioso legado de sua fé e rica tradição e para destacar seu valor inestimável nos tempos modernos.


Rota B: Mosteiro de Varlaam de Kastraki

Esta é uma vista de Varlaam tirada da Rota C & # 8211, deixamos as câmeras para trás nesta caminhada na Rota B

Recomendo esta caminhada ao pôr do sol & # 8211, especialmente se você já visitou o mosteiro no final e só quer aproveitar a caminhada em si. Com a magia da hora dourada subindo e nuvens rosa atrás dos monólitos e mosteiros no topo (e descendo & # 8211 é um longo pôr do sol), o esplendor natural é tão encantador.

Saímos cerca de 1:30 horas antes do pôr do sol em Kastraki. Virando à esquerda antes da igreja central da cidade & # 8217s, seguimos uma estrada (comparativamente) larga que logo se tornou um caminho rochoso. Isso leva você ao início da trilha oficial (não marcada).

Um caminho mais estreito e íngreme do que a rota A, este é ainda mais incrível. Stone steps that look like they were likely laid hundreds of years ago, gnarled ancient trees, and leafy canopies above made us feel like we were in a magical wonderland – or a very sacred, historic space (and it is!).

As you get closer to the top of the trail, and your destination monastery, the trees start to lighten. For us, this was right at golden hour, and we got to move between trees filtering through gold light, and a far-stretching view of distant monasteries, rocks and caves. It’s fantastically beautiful.


The meteor of professor Vrahitanuaa hits the earth, in the Middle of the Atlantic Ocean. Three islands and numerous smaller islands now rise above the Ocean.

The United Nations decide that the survivors can colonize the meteor as an independent nation. The leader of this project is Arnold Ziffer, who is declared "Temporary President". The first democratic elections of Meteora are held in 2930 (see below) The first city that the colonizers build is Baigate, in the then founded Oldest District, on the west coast of Midlle Island

Foundation of the cities of Longbai, Axes Gap and Axebai (all in Oldest District). Foundation of the Metropolis District, although not yet inhabited. The Constitution of Meteora is written. Till 2925, Meteora used the Standard UN-laws, which do show a great simularity with the Constitution.

Foundation of the cities Inpact, which later became the federal capital, Meteor Sity, which later became capital of the province, and Lill Inpact, which later became capital of the Metropolis District.

Further expansion of the Oldest District, with the foundation of these cities: Awaiting Hoapfel, Wydal, Hydroforze , Lowwydal and Delta Sity. President Arnold Ziffer makes a plan about the political organization of Meteora, by dividing the country in Three Provinces and several District. The first province to be achieved is that of the Midlle Island.

First Colonization of the Zouthern Island, as the cities of Across Axesgap and Bowlan are founded. The 2nd Province, the Zouther Island, is achieved, and a new District, the Bow District. Later the cities of Westbowlan and Midllebow are founded. Pres. Arnold Ziffer makes a plan about which "Ministryes" will be installed. His "Temporary Governement" moves from Baigate to Inpact.

City of Wydair founded. Untill 2931, Wydair is part of the Metropolis District. First colonization of the Nortern Island, as the cities of Tinglow and Southern Tinglow are founded, thus creating the 3rd Province and another District, the Tinglow District

First democratic elections are held. Pres. Arnold Ziffer is replaced by President Greakman. City of Frenchaw (Tinglow District) founded.

Cities of Hangoaver and Angled Port are founded, thus forming the Angled District. The city of Wydair joins this District. Cities of Valleirock, Shafterstown and Trackmine are built, thus forming the Track District.

City of Midllenort (Oldest District) founded. The council of the Midlle Island province moves from Longbai to Meteor Sity.

Further expansion of the Nortern Island, as the cities of Somedimes Port and Stripe are founded, who form the Stripe District, and as the cities of Haidstrech and Judas Port are founded, who form the Judas District.

Haidtown and Zouthwest (Nortern Island) are founded. Although pres. Greakman insist they join Judas District, Governor Erin Avoc decides to form another District, the Zouthwest District. This District will always remain quite a poor one. Later this year, Maladd is founded here as well. 2nd elections, were Greakman is replaced by Joan Sanxez. City of Nuclus founded. Untill 2938 Nuclus is part of the Stripe District.

With the foundation of Shelter Sity, in the new Shelter District (Zouthern Island), problems arise. Self-declared President Ismail Jebaazh doesn't his district want to become a member of the Federation. Twelve Years of harsh dictatorship in Shelter District begin. Although the federal government, in particular the Ministrye of Defence, does start the organization of a Federal Army, and several military bases and excersize areas are created, in these notorious, infamous 12 years nothing is done against the cruelty of Ismail Jebaazh, who eliminates and erases several dissidents of his regime.

Downbow (Bow District) and Westcutting are founded. Westcutting becomes one of the first and most important industrial centres of the nation, but it is not yet part of any District

By the foundation of Old Buxus, Woodring and Bios the new Buxus District is created. After some fierce disagreements between Buxus and Bow District, the governors agree that Westcutting will be part of Buxus District.

Great expansion on the Northern and Midlle Island, via the foundations of Angled (Angled District), Sharpwirl (in the new Cape District, Midlle Island) and High Arcades and Low Arcades (both in the new Arcades District, Nortern Island). Nuclus joins the Arcades District. 3rd Elections, where pres. Sanxez is replaced by Antony Smith.

Frastuck, Northend and Swirllan are founded, in the Northern Island. Until 2950, these cities are part of Stripe District

Yet another district is founded, the Waveswirl District on the Zouthern Island. First cities here are Downwave and Upwave.

Yet another district is founded, the Norteese District on the Northern Island. First cities here are Thizeese and Felborg and Downmine. 4th elections, where Antony Smith is replaced by Sined Tatthi.

Potatonia and Somewhat Harbour, in the new Somewhat District (Zouthern Island), are founded. Just like Shelter District, where the dictatorship of Ismail Jebaazh still goes on and on, the self-declared president of Somewhat District, Tim Oxean refuses to join the Federation.

2944 is one of the most important years in the history of Meteora. In order to get the still resisting Somewhat and Shelter District to join the Meteora Federation, President Sined Tatthi, minister Jan van Aarle (Communication, Infrastructure, Transporting and Environment and regent Sal Arath (Zouthern Island) create a large Plan for the Improvement of Infrastructure in the Zouthern Island. The Zouthern Island Railroad COrporation is organized. Railroads will be build on the Zouthern Island, but only in the Buxus, Bow and Waveswirl District, thus excluding the still Shelter and Somewhat Districts. The city of Railtake Harbour is build in order to industrially produce all railroad facilities. The required materials are brought in from Track District and the new city of Alive Mines (Buxus District). All this causes an enormous improvement of wealth and the economy in the Federation of Meteora. As pres. Tatthi declares, the only way for Shelter and Somewhat District to enjoy this "wealth and glory" is to join the Federation. In spite of all the effort, both Tim Oxean and Ismail Jebaazh refuse. As Ismail Jebaazh says: "Independence is, obviously, more important than wealth or a booming economy. If I was asked what would be more important: to live in freedom or to live in luxury, such would be an easy decision. Freedom, I would say. Freedom, which will fade away as we join this Federation, whose arrogance is beyond our limits of tolerance!" Nevertheless, the rest of the world considers Jebaazh himself as very arrogant, but the Federal government is considered as weak and anxious.

Swirlwave and Buxus Fields are founded, both in the Waveswirl District. Originally, Buxus Fields was intented as a supplementary industrial centre, besides Railtake Harbour, but Buxus Fields develops itself into a more commercial centre. In 2946, it will become the Provincial Capital.

Buxus Fields becomes the Capital of the Zouthern Island province. The First Railroad is completed. Soon, the building of the Bow Railroad and later the Zouth Bow Railroad starts.


The origin of the monastic community

Lifting system with ropes in Meteora to pray and meditate. They were living in caves like hermits, with little human relations. Beginning of the 12th c. they started to congregate and create the first monasteries. To make things more difficult, they decided to build their communities on top of rocky peaks, apparently inhospitable places to live in, but with more protection from the outside world, and amazing views to enjoy daily.
Approching Meteora the visitor wonders how could they manage at that time to climb these steep peaks with very little equipment and later to carry the materials to build the monasteries. The cliffs are as high as 600m (1800 feet) from the plain level, and hardly accessible even today to equipped rock climbers. Originally entrance to the monasteries was possible only with ladders, or ropes connected to nets, used to lift goods and people. Not only it was adventurous, but also really dangerous, since the legend say that the ropes were changed only “when the Lord let them break”. The advantage of such an access system was that the ropes could easily be lifted to protect the monks from external threats. The biggest expansion of the monasteries had place at the end of the 14th c, when Greece was threatened by Turkish invaders, and monks from other areas of Greece took refugee in Meteora, building a total of 24 monasteries, progressively abandoned in the last two centuries.

While walking in Meteora you see buses packed with tourists going from one monastery to the other without even stopping on the way to enjoy the amazing views. They miss the magic of this place, the fusion of the human-made monasteries perfectly integrated on top of incredible rock formations. We advise every visitor not to do the same mistake and to try and enjoy the route in between the monasteries!


Founded in Athens 1958

T. O. License 02.06.E.61.00.0107400
48 Stadiou str., Athens,Greece
Phone: + 30 210 3250380
[email protected]

CLICK and see our location
Mon-Fri 09:30-18:00 = OPEN
Saturday 10:00-14:00 = OPEN
Sat 14.00-Mon 09:30 = CLOSED


Assista o vídeo: Linkin Park Meteora Full Album HD