Batalha de San Giorgio, 14-15 de setembro de 1796

Batalha de San Giorgio, 14-15 de setembro de 1796

Batalha de San Giorgio, 14-15 de setembro de 1796

A batalha de San Giorgio (14-15 de setembro de 1796) foi o fim desastroso para a segunda tentativa austríaca de levantar o cerco de Mântua. O marechal de campo Würmser esperava flanquear as forças francesas que cobriam o cerco avançando para o leste ao longo do vale de Brenta de Trento e, em seguida, virando para o sudoeste para chegar a Mântua, mas esse movimento ocorreu ao mesmo tempo que Napoleão avançava para Trento com a intenção de ingressar no exército francês do Reno no Danúbio. Quando os franceses chegaram a Trento, souberam do plano de Würmser e começaram a persegui-los. A retaguarda austríaca foi derrotada em Primolano (7 de setembro de 1796) e o exército principal em Bassano (8 de setembro de 1796). O exército austríaco foi dividido em dois, com uma divisão escapando para o leste enquanto Würmser tentava chegar a Mântua.

Apesar dos esforços franceses para capturá-lo, Würmser conseguiu chegar a Mântua em 13 de setembro. Ele então assumiu posições defensivas ao norte da cidade e se preparou para a batalha. A direita austríaca estava em frente ao faubourg de San Giorgio (ao nordeste da cidade), e a esquerda em torno de La Favorita (ao norte), com uma guarda avançada na aldeia de Due-Castelli.

O primeiro ataque francês ocorreu em 14 de setembro. A divisão de Masséna avançou de Castellaro para San Giorgio. Os austríacos foram expulsos de Due-Castelli, mas então o general Ott lançou um contra-ataque que interrompeu o avanço francês. A luta continuou durante o dia, mas ambos os lados se mantiveram firmes.

Em 15 de setembro, Napoleão assumiu o comando da batalha. O general Sahuguet avançou ao longo da estrada de Roverbella para atacar a ala esquerda austríaca, enquanto o general Augereau atacou a esquerda austríaca em San Giorgio. Depois que Würmser foi forçado a enfraquecer o centro para conter os ataques pelos flancos, a divisão de Masséna recebeu ordens para atacar. O ataque ao centro austríaco forçou Würmser a recuar para as fortificações de Mântua.

A guarnição de Mântua agora tinha 30.000 homens, maior do que o necessário para defender a cidade. Inevitavelmente, os suprimentos acabaram mais rápido e milhares morreram de doenças. Mais duas tentativas foram feitas para levantar o cerco, ambas sem sucesso, e em 2 de fevereiro de 1797 Würmser foi forçado a se render.

Página inicial napoleônica | Livros sobre as Guerras Napoleônicas | Índice de assuntos: Guerras Napoleônicas


União Soviética invade a Polônia

Em 17 de setembro de 1939, o Ministro das Relações Exteriores soviético Vyacheslav Molotov declara que o governo polonês deixou de existir, uma vez que os EUA exercem a & # x201Cfine print & # x201D do pacto de não agressão Hitler-Stalin & # x2014a invasão e ocupação do leste da Polônia.

As tropas de Hitler já estavam causando estragos na Polônia, tendo invadido no primeiro dia do mês. O exército polonês começou a recuar e se reagrupar para o leste, perto de Lvov, no leste da Galícia, tentando escapar das implacáveis ​​ofensivas aéreas e terrestres alemãs. Mas as tropas polonesas pularam da frigideira para o fogo & # x2014 quando as tropas soviéticas começaram a ocupar o leste da Polônia. O Pacto de Não-agressão Ribbentrop-Molotov, assinado em agosto, eliminou qualquer esperança que a Polônia tivesse de um aliado russo em uma guerra contra a Alemanha. Mal sabiam os poloneses que uma cláusula secreta desse pacto, cujos detalhes não se tornariam públicos até 1990, dava aos EUA o direito de marcar para si um pedaço da região oriental da Polônia & # x2019. A & # x201Crazon & # x201D dada foi que a Rússia teve que vir em ajuda de seus & # x201Cblood irmãos, & # x201D os ucranianos e bielo-russos, que estavam presos em território que havia sido anexado ilegalmente pela Polônia. Agora a Polônia foi espremida do oeste e do leste & # x2014 presa entre dois gigantes. Com suas forças oprimidas pelo moderno exército alemão mecanizado, a Polônia não tinha mais nada com que lutar contra os soviéticos.

Quando as tropas soviéticas invadiram a Polônia, eles inesperadamente se encontraram com tropas alemãs que haviam lutado para abrir caminho naquele extremo leste em pouco mais de duas semanas. Os alemães recuaram quando confrontados pelos soviéticos, entregando seus prisioneiros de guerra poloneses. Milhares de soldados poloneses foram levados ao cativeiro, alguns poloneses simplesmente se renderam aos soviéticos para evitar serem capturados pelos alemães.

A União Soviética ficaria com cerca de três quintos da Polônia e 13 milhões de seu povo como resultado da invasão.


Aniversários famosos

Aniversários 1 - 100 do 1,394

Pompeu o Grande

0106-09-29 aC Pompeu, o Grande [Gnaeus Pompeius Magnus], líder político e militar romano (1º triunvirato e cônsul), nascido em Picenum, Itália (falecido em 48 aC)

Horace

0065-12-08 AC Horácio, poeta romano republicano (Odes), nascido em Venosa, Itália (falecido em 8 AC)

Vespasiano

0009-11-17 Vespasiano, imperador romano (69-79 DC), nascido em Falacrina, Itália (falecido em 79 DC)

Calígula

0012-08-31 Calígula [Gaius Caesar], 3º imperador romano (37-41 DC), nascido em Anzio, Itália (falecido em 41)

Nerva

Nero

0037-12-15 Nero, 5º Imperador de Roma (54-68), nascido em Antium, Itália (falecido em 68)

Antoninus Pius

0086-09-19 Antoninus Pius [Titus Aurelius], 15º Imperador de Roma (138-161 DC), nascido em Lanuvium, Itália (falecido em 161)

Commodus

Francisco de assis

1181-09-26 São Francisco de Assis, fundador italiano da Ordem Franciscana, nascido em Assis, Sacro Império Romano (falecido em 1226) ou b. 1882

    Santa Clara de Assis, seguidora italiana de Francisco de Assis e fundadora da Ordem das Damas Pobres (as Clarissas), nascida em Assis, Itália (falecido em 1253) Frederico II, Sacro Imperador Romano, Rei dos Romanos (Alemanha), Sicília e Jerusalém, nascido em Lesi, Itália Salimbene di Adam, cronista italiano, nascido em Parma, Itália (falecido em 1288)

Tomás de Aquino

1225-01-28 Santo Tomás de Aquino, teólogo e santo italiano, nascido em Roccasecca, Itália (falecido em 1274)

Marco Polo

1254-09-15 Marco Polo, explorador italiano (Il Milione), nascido em Veneza, República de Veneza (falecido em 1324)

    Dante Alighieri, poeta e autor italiano (Dante's Inferno, Divina Commedia), nascido em Florença, República de Florença (m. 1321) Francesco Petrarca, poeta italiano (Italia Mia), nascido em Arezzo, Toscana (m. 1374) Catarina de Siena , Santo italiano (falecido em 1380) Francesco Zabarella, jurista italiano (falecido em 1417) Poggio Bracciolini, humanista italiano que redescobriu textos clássicos perdidos, nascido em Terranuova, República de Florença (falecido em 1459) São João de Capistrano, frade franciscano e católico sacerdote da cidade italiana de Capestrano, Abruzzo, nascido em Capestrano, Abruzos, Reino de Nápoles (falecido em 1456) Bernardino de Siena, sacerdote italiano e missionário franciscano, nascido em Massa Marittima, Itália (falecido em 1444) Ambrose Traversari, teólogo italiano e monge, nascido em Portico di Romagna, Forlì, Estados Papais (falecido em 1439) Nicolau V [Tommaso Parentucelli], Papa italiano (1447-55), nascido em Sarzana, República de Gênova (falecido em 1455) Luca della Robbia, italiano escultora (Madonna do Rose Garden), nascida em Florença, Itália (falecido em 1482) Tommaso Masaccio, pintor italiano, nascido em San Giovanni Valdarno, Itália (m. 1428) Leon B Alberti, humanista / arquiteto italiano (Della Pittura) Pio II [Aenea S Piccolomini], papa italiano (1458-64) (Cynthia) Matteo Palmieri, humanista e historiador florentino (Della vita civile / On Civic Life), nascido em Florença (falecido em 1475) Antonio Squarcialupi [Giovanni], compositor e organista italiano (Catedral de Santa Maria del Fiore, 1432-80), nascido em Florença (falecido em 1480) Alexandre VI [Rodrigo Borgia], papa espanhol / italiano ( 1492-1503) Luigi Pulci, poeta italiano (Morgante), nascido em Florença, Itália (falecido em 1484) Marsilio Ficino, filósofo italiano (falecido em 1499)

Julius II

1443-12-05 Júlio II, Papa italiano (1503-13) e patrono de Michelangelo, Bramante e Rafael, nascido em Albisola, República de Gênova (falecido em 1513)

    Domenico Ghirlandajo, pintor renascentista italiano e professor de Michelangelo, nascido em Florença (falecido em 1494)

Cristóvão Colombo

1451-10-30 Cristóvão Colombo, explorador e navegador italiano que descobriu o & quotNovo Mundo & quot para a Espanha e iniciou a colonização europeia, nascido na República de Gênova em ou pouco antes desta data (falecido em 1506)

Leonardo da Vinci

1452-04-15 Leonardo da Vinci, pintor, escultor, cientista e visionário italiano, nascido em Vinci, Florença, Itália (falecido em 1519)

Ludovico Sforza

1452-07-27 Ludovico Sforza [il Moro], duque italiano de Milão (1494-1508) que encomendou a Última Ceia, nascido em Vigevano (atual Lombardia), Itália (falecido em 1508)

Amerigo Vespucci

1454-03-09 Amerigo Vespucci, explorador italiano (América), nascido em Florença (falecido em 1512)

    Pietro Accolti, cardeal católico italiano (m. 1532) Jacopo Sannazaro, poeta italiano (Arcadia), nascido em Nápoles, Itália (m. 1530) Bernardo Accolti [Unico Aretino], escritor italiano (Virgínia), nascido em Arezzo, Itália (d. . 1535) Giovanni Pico della Mirandola, erudito / platonista italiano Alessandro Achillini, médico e filósofo italiano, nascido em Bolonha, Itália (falecido em 1512) Ottaviano Petrucci, impressor italiano, nascido em Fossombrone, Itália (falecido em 1539)

Niccolò Machiavelli

1469-05-03 Niccolo Machiavelli, político e escritor italiano (Príncipe), nascido em Florença, Itália (falecido em 1527)

Carlos VIII

1470-06-30 Carlos VIII, rei da França (1483-98) que invadiu a Itália, nascido no Château d'Amboise, França (falecido em 1498)

    Angela Merici, fundadora do mosteiro italiano / santo Ludovico Ariosto, poeta italiano (Orlando Furioso), nascida em Reggio Emilia, Itália (m. 1533) Mariotto Albertinelli, pintor italiano, nascido em Florença (m. 1515)

Michelangelo

1475-03-06 Michelangelo, escultor, pintor, arquiteto e poeta italiano da Alta Renascença (David, teto da Capela Sistina), nascido em Caprese, Toscana (falecido em 1564)

    Cesare Borgia, duque de Valentinois, aristocrata italiano, nascido em Roma, Estados Papais (falecido em 1507) Giovanni Rucellai, poeta italiano (Le Api)

Leo X

1475-12-11 Leão X [Giovanni de 'Medici], Papa italiano (1513-21), nascido em Florença, Itália (falecido em 1521)

    Papa Clemente VII [Giulio de 'Medici], Papa italiano (1523-34), nascido em Florença (m. 1534) Baldassare Castiglione, diplomata e escritor italiano, nascido em Casatico, Mântua, Itália (m. 1529) Giglio Gregorio Giraldi, Poeta italiano, nascido em Ferrara, Itália (m. 1552) Girolamo Aleandro, cardeal católico italiano, Treviso, Veneza, Itália (m. 1542) Baldassare Peruzzi, arquiteto e pintor italiano, nascido em Siena, Itália (m. 1536) Francesco Guicciardini , Procurador / presidente italiano da Romagna Raphael Sanzio, pintor e mestre construtor italiano (Escola Madonna Sistina de Atenas), nascido em Urbino, (falecido em 1520) Data do calendário gregoriano

Rafael

1483-04-06 Raphael Sanzio, pintor e mestre construtor italiano (Madonna Sistina, Escola de Atenas), nascido em Urbino (falecido em 1520) Data do calendário juliano

    Gasparo Contarini, diplomata e cardeal italiano (falecido em 1542) Antonio da Sangallo, o Jovem, arquiteto italiano, nascido em Florença (falecido em 1546) Júlio César Scaliger, médico e estudioso ítalo-francês (Sobre a Sutileza das Coisas), nascido em Riva , Itália (m. 1558) Veronica Gambara, poetisa italiana, nascida em Pralboino, Lombardia, Itália (m. 1550) Andrea del Sarto, pintor italiano (recoletos) Teofilo Folengo, poeta macarônico italiano, nascido em Mântua, Itália (m. 1544 ) Andreas Alicatus, escritor italiano Andrea Alciato, advogado e escritor italiano, nascido em Alzate Brianza, Milão, Itália (falecido em 1550) Agnolo Firenzuola, poeta e literato italiano, nascido em Florença, Itália (falecido em 1543) Bernardo Tasso, cortesão italiano e poeta, nascido em Bergamo, Veneza (m. 1569) Bartolomeo Bandinelli, escultor italiano (m. 1560) Il Bacchiacca [Franceso Ubertini], pintor italiano Jacopo da Pontormo [Carucci], pintor italiano (Sepultura de Cristo), nascido em Pontormo , Itália (falecido em 1557) Luigi Alamanni, poeta italiano (Opere Toscane, La Coltivazion e) Pio IV [Gianangelo de 'Medici], advogado italiano e Papa (1559-65), nascido em Milão (d. 1565) Cardeal Rodolfo Pio da Carpi, humanista italiano (m. 1564) Marcellus II [Marcello Cervini], humanista italiano e Papa (1555, 22 dias), nascido em Montefano, Marche, Estados Papais (m. 1555)

Girolamo Cardano

1501-09-24 Girolamo Cardano, matemático e astrólogo italiano (Ars Magna-1545), nascido em Pavia, Itália (falecido em 1576)

Gregory XIII

1502-01-07 Gregório XIII [Ugo Boncompagni], papa italiano (1572-85) que introduziu o calendário Gregoriano (Novo Estilo) em 1582, nascido em Bolonha, Estados Papais (falecido em 1585)

    Pierino Belli, soldado e jurista italiano (falecido em 1575) Francesco Parmigianino, artista italiano (Madonna com o Pescoço Comprido) Benedetto Varchi, humanista / historiador italiano (Storia Fiorentina) Antonio Francesco Grazzini, escritor italiano (falecido em 1583) Giovanni Della Casa, Poeta italiano (Galateo), nascido em La Casa, Mugello, Toscana (m. 1556) Annibale Caro, escritor e poeta italiano (Lettere familiare), nascido em Civitanova Marche, Itália (m. 1566) Giacomo Barozzi da Vignola, arquiteto italiano, nascido em Vignola, Itália (m. 1573) Pietro Carnesecchi, humanista italiano, nascido em Florença, Itália (m. 1567) Giovanni Morone, cardeal italiano, nascido em Milão, Itália (m. 1580) Bartolommeo Ammanati, escultor e arquiteto italiano, nascido em Settignano, Itália (falecido em 1592) Giorgio Vasari, pintor e historiador da arte italiano (Vidas de Vasari), nascido em Arezzo, República de Florença (falecido em 1574) Domenico Maria Ferrabosco, compositor e cantor italiano da Renascença, nascido em Bolonha (falecido em 1574) St Philippus Nerius [Philippo Neri], italiano comerciante / padre, nascido em Florença, Itália (d. 1595) Antonio Scandello, compositor italiano (Paixão de Johannes), nascido em Bérgamo, República de Veneza (atual Itália) (m. 1580) Carlo Carafa, cardeal italiano, nascido em Nápoles, Itália (m. 1561) Tintoretto, pintor maneirista italiano e notável expoente da escola renascentista, nascido em Veneza, República de Veneza (falecido em 1594)
  • Anterior
  • 1

Napoleão na Itália: os Sieges of Mantua, 1796-1799

No centro de Mântua, no norte da Itália, uma ponte coberta se estende sobre o estreito Rio, onde os vendedores vendem peixes em carrinhos, assim como os moradores locais faziam há mais de duzentos anos, quando Napoleão Bonaparte sitiou a cidade. Quatro balas de canhão saindo de uma parede adjacente oferecem um monumento tácito ao sofrimento dos habitantes da cidade durante o cerco de 1796-1797, quando a cidade, mantida pelas tropas austríacas, finalmente caiu sob o controle francês. Dois anos depois, Mântua foi novamente bombardeado, desta vez por um exército combinado austríaco e russo, que o retomou quatro meses depois. No Napoleão na Itália, Phillip R. Cuccia traz à luz dois aspectos pouco estudados desses períodos difíceis na história de Mântua: a guerra de cerco e as condições que ela criou dentro da cidade.

Com base em registros militares subutilizados em arquivos austríacos, franceses e italianos, Cuccia investiga esses conflitos importantes para integrar questões políticas e sociais com um estudo de campanha. Ao contrário de outras histórias militares da época, Napoleão na Itália traz à tona as palavras de soldados, líderes e cidadãos que vivenciaram os cercos em primeira mão. Cuccia também mostra como os cercos tiveram consequências muito depois de terminados. A rendição e a proposta de corte marcial de François-Philippe de Foissac-Latour, o general francês encarregado de Mântua em 1799, lança uma nova luz sobre o desdém de Napoleão pela derrota. Foissac-Latour enfrentou a ira de Napoleão, a expulsão do exército e duras críticas públicas.

Napoleão na Itália não é apenas a história da importância estratégica de Mântua. Mântua também simbolizava a determinação voraz de Napoleão em vencer e o desespero da Áustria em reter suas possessões. Ao colocar os cercos de Mântua em um contexto internacional do século XVIII, Cuccia apresenta aos leitores uma compreensão mais ampla da guerra de cerco e de como o global impacta o local.


Super Story (modo SS)

Seguindo os eventos de A aventura bizarra de GioGio, o modo principal do jogo tem 22 capítulos (21 jogáveis ​​e apenas 1 com uma cena completa). Em cada capítulo, o jogador enfrenta um adversário diferente.

O jogador joga como Giorno e luta com Bucciarati como um tutorial durante o qual eles são ensinados a atacar, esquivar ou convocar o Stand de seu personagem. Por último, ensina o jogador sobre os Fatores Secretos.

  • Existem quatro Fatores Secretos neste nível.
  • 1. Stand Shoot Bucciarati. Isso ativa uma cutscene de Gold Experience socando Bucciarati no rosto e arrancando seu dente, enquanto Bucciarati descreve internamente a dor intensa que isso está causando. Este fator recompensa um +4.
  • 2. Stand Shoot Bucciarati. Isso recompensa o jogador com +1.
  • 3. Fique de pé, atire nos Sticky Fingers enquanto ele não está bloqueando. Isso ativa outra cutscene de Giorno no chão com Gold Experience depois de acertar Bucciarati, pensando consigo mesmo que ele não tem escolha a não ser usar Gold Experience em Bucciarati, ou então ele pode morrer. Isso recompensa o jogador com um +3.
  • 4. Stand Atire em qualquer extintor de incêndio, transformando-o em uma cobra que irá atacar Bucciarati. Isso recompensa o jogador com +2.
  • Nada disso precisa ser feito em uma ordem específica. Quando tudo for alcançado, a saúde será MÁX.

Giorno e Bucciarati terminam em um quadrado e Bucciarati se teletransporta com zíperes. Giorno deve encontrar Bucciarati e danificá-lo o suficiente para ativar uma cena em que ele se esconde em um civil. Giorno então encontra o civil e bate em Bucciarati. Uma cutscene mostra Giorno e Bucciarati fazendo as pazes enquanto ambos descobrem que odeiam o tráfico de drogas. Assim, Bucciarati concorda em deixar Giorno se infiltrar em sua gangue, Passione.

  • Existem quatro Fatores Secretos neste nível.
  • 1. Stand Atire em qualquer objeto, transformando-o em uma cobra que irá atacar Bucciarati. Isso recompensa o jogador com +1.
  • 2. Depois que Bucciarati se esconder em um civil, ataque o civil incorreto. Isso recompensa o jogador com +1.
  • 3. Stand Atire no dente de Bucciarati no chão ao lado de onde ele havia sumido. É muito difícil de ver à primeira vista, mas deve ser uma mancha branca no chão. Isso ativa uma cena, onde Giorno a transforma em uma mosca, que seguirá o civil correto. Isso recompensa o jogador com +5.
  • 4. Ataque o civil correto, revelando Bucciarati. Isso recompensa o jogador com um +3
  • O tiro em pé de um objeto pode ser feito a qualquer momento, mas os três últimos devem ser executados na ordem acima, ou não funcionarão. Quando tudo for alcançado, a saúde será MÁX.

Giorno deve derrotar o Black Sabbath no pátio. No entanto, a luta é dificultada porque o Black Sabbath se esconde nas sombras lançadas por um objeto e pode agarrar Giorno para machucá-lo. Os pássaros ocasionalmente voam pelo mapa, e o Black Sabbath pode atacar de suas sombras. Assim que o Black Sabbath é derrotado, ele é mostrado sendo desintegrado pela luz do sol. Mais tarde, Giorno se junta oficialmente a Passione. No entanto, Giorno também faz Polpo se matar comendo uma arma transformada em banana como vingança por um zelador morto no Black Sabbath.

  • Existem quatro Fatores Secretos neste nível.
  • 1. Ataque o Black Sabbath enquanto ele estiver sob a luz. Isso irá danificá-lo após o ataque e recompensar o jogador com um +3.
  • 2. Ataque o Black Sabbath na sombra. Isso ativará uma cena em que o Black Sabbath vai para a sombra, mostrando a Giorno como funciona. Isso recompensa o jogador com um +2
  • 3. Ataque o Black Sabbath novamente na luz. Isso irá ativar outra cutscene onde Black Sabbath foge para a sombra gritando. Isso confirma a teoria de Giorno sobre sua fraqueza e recompensa o jogador com outro +3.
  • 4. Acerte qualquer um dos Pilares para derrubá-los e remover sua sombra. Isso recompensa o jogador com outro +2.
  • Nada disso precisa ser feito em uma ordem específica, mas o Fator Secreto 3 só acontecerá depois que o Fator Secreto 1 for alcançado. Quando tudo for alcançado, a saúde será MÁX.

O jogador controla Narancia e Aerosmith, e deve derrotar Formaggio e Little Feet. O jogador pode enviar o Aerosmith e controlar o avião, ganhando seu radar, mas deixando Narancia parado. A luta é dificultada porque Formaggio pode encolher e se esconder na arena. Além disso, se Little Feet atingir Narancia, ele encolherá e agora deve escapar dos ataques de Formaggio. Uma vez derrotado, uma cutscene será ativada onde Narnacia atira em Formaggio até a morte. No entanto, mais assassinos estão chegando.

  • Existem quatro Fatores Secretos neste nível.
  • 1. Stand Atire em qualquer rato. Isso recompensará o jogador com +2.
  • 2. Seja atingido por Little Feet e não sofra nenhum dano das tentativas de Formaggio de acertá-lo enquanto ele estava encolhido. Isso recompensará o jogador com +4.
  • 3. Depois de não sofrer nenhum dano ao encolher, destrua o carro pequeno. Narancia decide que, como ele não consegue encontrar Formaggio, ele o deixará fora de combate. Isso recompensará o jogador com +2.
  • 4. Stand Atire em Formaggio enquanto ele está montando um rato. Isso recompensará o jogador com +2.
  • O Fator Secreto 3 precisa ser executado após o Fator Secreto 2 sem danos. Quando tudo for alcançado, a saúde será MAX.

O jogador controla Fugo sem seu suporte e deve sobreviver por dois minutos inteiros. No entanto, os controles para os níveis Illuso são invertidos dentro de um mundo de espelho. Isso muda apenas as direções esquerda e direita; todas as outras ações são iguais.

  • Existem quatro Fatores Secretos neste nível.
  • 1. Tente convocar seu Stand. Fugo tenta convocar Purple Haze, mas não consegue, embora ele ainda sinta sua presença. Isso recompensará o jogador com +2.
  • 2. Ande perto de qualquer espelho grande. Isso ativará uma cena que revela que Purple Haze está fora do mundo do espelho. Isso ocorre porque o Homem no Espelho tem controle sobre o que entra e o que não entra. Isso recompensará o jogador com +3.
  • 3. Caminhe até a lata de lixo no canto esquerdo do mapa. Isso fará com que Fugo perceba que o rótulo na lata de lixo está invertido e recompensa o jogador com +2.
  • 4. Ande até o espelho ao lado da lata de lixo. Fora do Mirror World, Abbacchio vê Purple Haze aparentemente atacando aleatoriamente, embora Giorno perceba que está atacando o espelho. Isso recompensará o jogador com +3.
  • Nada disso precisa ser feito em uma ordem específica. Quando tudo for alcançado, a saúde será MÁX.

O jogador controla Abbacchio e Moody Blues e deve reduzir Illuso até a quantidade de Saúde indicada na barra de Saúde. A luta é dificultada porque Abbacchio está preso no mundo dos espelhos com controles invertidos, enquanto Moody Blues está no mundo real. Illuso alterna regularmente entre os dois, forçando o jogador a alternar entre Abbacchio e Moody Blues com L1.

  • Existe um fator secreto neste nível.
  • 1. Isso é ativado imediatamente quando o nível começa e recompensa o jogador com +10,
  • Quando isso for alcançado, a saúde será MÁX.

O jogador controla Fugo novamente e Purple Haze, e agora deve derrotar Illuso e Man in the Mirror. No entanto, Illuso novamente alterna entre os mundos normal e espelho, forçando o jogador a alternar entre Fugo no mundo espelho e Purple Haze no mundo real. Ao controlar Purple Haze, o jogador deve gerenciar suas seis cápsulas de vírus. Após a batalha, Fugo está preocupado com a morte de Giorno do vírus de Purple Haze, mas Giorno consegue se curar com o sangue de uma cobra criada a partir de um tijolo revestido com o vírus. Isso impressiona Fugo e ganha respeito de Giorno, e o grupo consegue localizar a chave.

  • Existem apenas dois Fatores Secretos neste nível.
  • 1. Isso é ativado imediatamente quando o nível começa e recompensa o jogador com um +8.
  • 2. Derrote Illuso com um tiro de suporte de nível 3. Isso recompensa o jogador com +2.
  • Quando ambos forem realizados, a saúde será brevemente MAX.

O jogador agora controla Bucciarati e Sticky Fingers e deve derrotar Prosciutto e Grateful Dead. No entanto, o poder de envelhecimento de Grateful Dead vai lentamente minar a saúde de Bucciarati.

  • Existem quatro Fatores Secretos neste nível..
  • 1. Stand Atire Pesci, que é nocauteado no chão. Bucciarati vai notar que Pesci não está envelhecendo de Grateful Dead. Isso recompensa o jogador com +2.
  • 2. Ataque o distribuidor de bebidas. Isso ativará uma cena, onde o gelo cai e Bucciarati o pega, percebendo que o Grateful Dead está envelhecendo as pessoas devido à temperatura do corpo, e que o gelo é a maneira de evitá-lo. Isso interromperá o efeito de drenagem de saúde de Grateful Dead e recompensará o jogador outro +2.
  • 3. Stand Atire na parede voltada para o canto superior esquerdo da tela. Isso abrirá um grande buraco com zíper e ativará uma cena, onde Prosciutto percebe e deduz o plano de Bucciarati com ela. Isso recompensa o jogador com +3.
  • 4. Bata o Prosciutto para fora do buraco do zíper. Isso encerrará a luta instantaneamente e recompensará o jogador com outro +3.
  • Você deve obter o Fator Secreto 1 antes de tentar qualquer um dos outros Fatores Secretos, ou então o Fator Secreto 1 não funcionará. Quando tudo for alcançado, a saúde estará brevemente em MAX.

O jogador controla Bucciarati e deve derrotar Pesci. Pesci usa Beach Boy, sua vara de pescar Stand permite-lhe lançar um anzol e possivelmente atingir Bucciarati à distância. Ocasionalmente, Prosciutto intervém e prejudica a saúde de Bucciarati com Grateful Dead. Quando a luta termina, Pesci tenta destruir a tartaruga em uma tentativa desesperada de levar os companheiros de Bucciarati com ele, embora Bucciarati derrote Pesci antes que ele possa fazer isso, oferecendo a ele "comeserci".

  • Existem quatro fatores secretos neste nível.
  • 1. Seja fisgado pela linha do Beach Boy, então saia dela segurando-se longe de Pesci e apertando botões. Isso recompensa o jogador com +2.
  • 2. Stand Shoot Pesci. Isso recompensa o jogador, outro +2.
  • 3. Stand Atire Prosciutto depois que ele ativar Grateful Dead. Isso matará Prosciutto, interrompendo permanentemente a drenagem de saúde de Grateful Dead, e recompensa o jogador com +3.
  • 4. Derrote Pesci com um Nível 3 Stand Shoot. Isso recompensa o jogador com outro +3.
  • Os três primeiros não precisam ser feitos em uma ordem específica, mas o último deve ser feito por último. Quando tudo for alcançado, a saúde brevemente será MAX.
  • Existem três Fatores Secretos neste nível.
  • 1. Difícil Atire em Ghiaccio com o Botão X. Isso o empurrará para trás e o manterá afastado por tempo suficiente para ganhar alguma distância, e recompensa o jogador com um +4.
  • 2. Hard Shoot Ghiaccio uma segunda vez. Isso recompensará o jogador com outro +4.
  • 3. Stand Atire Ghiaccio. Isso recompensa o jogador com +2.
  • Nada disso precisa ser feito em uma ordem específica. Fazer o Hard Shoot novamente apenas fornecerá o fator automaticamente após a primeira vez. Quando tudo for alcançado, a saúde será MÁX.

O jogador ainda controla Mista com Sex Pistols e deve derrotar Ghiaccio. Porém, Ghiaccio é invulnerável pela frente e deve levar um tiro pelas costas. Felizmente Ghiaccio ataca regularmente em Mista e pode errar, permitindo que Mista atire. Assim que sua barra de saúde estiver esgotada o suficiente, Ghiaccio ativa o Gently Weeps e agora pode recuperar as balas em Mista. No entanto, Mista também pode atirar nos postes de luz, criando picos para os quais ele pode enviar Ghiaccio. Assim que a luta acaba, Giorno chega para recuperar o disco e curar Mista. Uma cena bem humorada segue quando Narancia chega e pensa que os dois estão em um momento íntimo.

  • Existem quatro Fatores Secretos neste nível.
  • 1. Stand Atire na estátua do leão. Mista vai perceber que o disco sumiu e que Ghiaccio o está com ele. Isso recompensa o jogador com +2.
  • 2. Depois que Mista perceber um orifício de ar na nuca do White Album, atire em qualquer uma das lâmpadas da rua várias vezes. Isso ativa uma cutscene, onde os Pistols apontam que agora há pontas na lâmpada das balas que a atingiram. Mista agradece, porque agora ele pode usar isso para empalar Ghiaccio, mas Ghiaccio declara que pode morrer tentando, e ativa o Choro Gentil. Isso recompensa o jogador com +3.
  • 3. Empale Ghiaccio nas pontas. Tudo que você precisa fazer é atraí-lo para chegar perto deles e, em seguida, atirar em um bando, até que ele fique preso no mastro. Isso o prejudica e o deixará vulnerável. Isso recompensa o jogador, outro +3.
  • 4. Atire em Ghiaccio enquanto Gently Weeps está ativo para que as balas voltem para Mista. Isso recompensa o jogador outro +2.
  • Nada disso precisa ser feito em uma ordem específica. Quando tudo for alcançado, a saúde será MÁX.

O jogador controla Bucciarati e deve sobreviver por um minuto na cripta. O Boss pode se teletransportar perto de Bucciarati e King Crimson pode enviar destroços de rocha contra ele.

  • Existem dois Fatores Secretos neste nível.
  • 1. Ataque o chefe ao lado de Trish, que está inconsciente no chão. Isso recompensará o jogador com +4.
  • 2. Stand Atire King Crimson. Isso recompensará o jogador com um +6.
  • Nenhum desses precisa ser feito em uma ordem específica. Quando ambos forem alcançados, a saúde será MÁX.

O jogador controla Bucciarati novamente e agora deve esgotar a saúde do Boss até um certo ponto. O Boss agora tem a habilidade de pular o tempo enquanto se teletransporta com King Crimson, o que pode atrapalhar o tempo dos jogadores. Bucciarati e Trish acabam escapando da cripta, mas Bucciarati morre devido ao ferimento e ressuscita um pouco. Bucciarati então diz ao seu time que ele se rebelou contra o Boss, mas a maior parte de seu time, exceto Fugo, acaba se juntando a ele. No entanto, eles não podem lutar contra o Boss de frente. Trish diz a ela que sabe que seu pai é da Sardenha e, portanto, a equipe pega um avião para viajar até aqui e descobrir a identidade do chefe.

  • Existe um fator secreto neste nível.
  • 1. Isso é ativado imediatamente quando o nível começa e recompensa o jogador com +10.
  • Assim que isso for alcançado, a saúde será MÁX.

O jogador agora controla Trish. Ela deve alcançar o broche, mas Notorious B.I.G está no caminho. Enquanto o suporte ataca objetos em movimento, ela deve distraí-lo com assentos reclináveis ​​automáticos enquanto avança lentamente em direção ao broche, para que o B.I.G. ataque-a e jogue-a para trás. Assim que Trish chega ao broche, Spice Girl aparece para proteger seu usuário. Agora o jogador controla Trish com Spice Girl e deve derrotar Notorious B.I.G.

  • Existem quatro Fatores Secretos neste nível.
  • 1. Ataque uma das cadeiras, o que distrai temporariamente o B.I.G. Isso recompensa o jogador com +2.
  • 2. Caminhe até o broche, ativando a cena de Trish conhecendo a Spice Girl. Isso recompensa o jogador com um +4.
  • 3. Stand Atire em uma cadeira. Isso recompensa o jogador com +2.
  • 4. Ataque B.I.G. com Spice Girl ativa, de modo que ela empala B.I.G com uma vara. Isso recompensa o jogador com outro +2.
  • Tudo menos 2. não precisa ser feito em uma ordem específica, 2. é ativado automaticamente ao chegar ao broche. Quando tudo for alcançado, a saúde será MÁX.

O jogador controla Trish e Spice Girl novamente e deve impedir Notorious B.I.G de invadir toda a cabana por dois minutos. Para fazer isso, ela pode atacar o B.I.G. mas deve evitar seus ataques. Quando o tempo acaba, Trish separa a cabine do avião em queda e o amolece, transformando-o em um pára-quedas. Notorious B.I.G é derrotado quando o avião explode e a equipe chega a Sardegna.

  • Existe um fator secreto neste nível.
  • 1. Isso é ativado imediatamente quando o nível começa e recompensa o jogador com +10.
  • Assim que isso for alcançado, a saúde será MÁX.

Não há Fatores Secretos neste nível, já que este Capítulo é apenas cutscene.

O jogador agora controla Mista e Sex Pistols e deve chegar ao topo de uma longa série de escadas. No entanto, se ele se mover para baixo ou muito devagar, o molde do Green Day o ativa e causa danos. Além disso, Oasis pode diminuir a velocidade de corrida de Mista, e Secco persegue Mista e o ataca. Se Secco conseguir agarrar Mista, ele o arrasta para um nível inferior nas escadas, causando danos a ele.

  • Existem quatro Fatores Secretos neste nível.
  • 1. Stand Shoot Secco. Isso recompensa o jogador com +4.
  • 2. Atire nas caixas na pilha de lixo ao lado do banco. Isso recompensa o jogador com +2.
  • 3. Atire no sinal que bloqueia um lance de escadas. Isso recompensa o jogador com outro +2.
  • 4. Atire no corrimão na frente das escadas que têm barris ao lado deles. Isso recompensa o jogador novamente, com +2.
  • Nada disso precisa ser feito em uma ordem específica. Quando todos estiverem concluídos, a saúde será MÁX.

O jogador controla Giorno e Gold Experience e deve derrotar Cioccolata e Green Day. As Giorno fights Cioccolata, Green Day roams around the arena, leaving a trail of mold that damages Giorno. Moreover, Cioccolata can disassemble himself and send his body parts to attack Giorno. Once the battle is over, Giorno pummels Cioccolata with Gold Experience and finishes him off, sending him flying into a garbage disposal truck.

  • There are four Secret Factors in this level.
  • 1. Stand Shoot Green Day. This rewards the player a +2.
  • 2. Wait for Cioccolata to dissemble, then Stand Shoot his body parts. This rewards the player with another +2.
  • 3. Stand shoot Cioccolata's torso when disassembled. This rewards the player with another +2.
  • 4. Defeat Cioccolata when he's reassembled with a Level 3 Stand Shoot. This briefly rewards the player with a +4.
  • None but 4. need to be done in a specific order. When all are completed Health will be MAX.

The player now controls Bucciarati and must defeat Secco. However, the fight is made difficult as Secco can dive underground and reappear from anywhere in the arena, making him difficult to even reach. Once the battle is over, Secco tries to take Doppio hostage, but Bucciarati manages to place and unzip a zipper on Secco's throat, defeating him. However, Bucciarati feels his body begin to weaken, and realizes that he's running out of time.

  • There are Three Secret Factors in this level.
  • 1. Stand still when Secco dives into the ground, then wait for him to pop back up, confused by the lack of noise. Once he's up, Stand Shoot him from behind. This rewards the player with a +3.
  • 2. Destroy a car. Bucciarati will realize that if he pops a tire, it'll make a loud noise. This rewards the player with a +2.
  • 3. Destroy a car, while Secco is underground. This will activate a cutscene where the sound from the car's destruction damages Secco's ears. This rewards the player with a +5.
  • None of these need to be done in a specific order. But it is best to attempt 3. before 2. as 3. has a high chance of not working if all cars in the level are damaged. When all are completed Health will be MAX.

The player controls Polnareff in his wheelchair and must deplete enough of Diavolo's health. However, Diavolo can erase time with King Crimson, translated as Polnareff being slowed while Diavolo is able to approach Polnareff safely. Once the battle is over, Polnareff stabs Silver Chariot with the Arrow, but Diavolo kills him. Chariot Requiem then appears and forces everyone to sleep.

  • There are Two Secret Factors in this level.
  • 1. Stand Shoot Diavolo. This rewards the player with a +7.
  • 2. Stand Shoot King Crimson. This rewards the player with a +3.
  • None of these need to be done in a specific order. When all are completed Health will be MAX.

The player controls Bucciarati (in Diavolo's body) and must defeat Chariot Requiem, which is slowly walking towards the exit. However, Chariot Requiem can summon his own version of Sticky Fingers that attacks Bucciarati. Moreover, if Chariot Requiem exits the Colosseum, then the fight is lost. While the team corners Chariot Requiem, they notice Bucciarati's body beginning to stir. Assuming that this must be Diavolo, Mista shoots him dead. At that moment, time suddenly skips, and Narancia is suddenly killed all Giorno can do is return to his original body. Polnareff then realizes that Diavolo has a split personality, and that the soul in Bucciarati's body was Doppio, not Diavolo Narancia was killed to take out their radar. The grieving heroes now understand that the Boss's soul is possessing one of them.

  • There are two Secret Factors in this level.
  • 1. Stand Shoot Sticky Fingers. This rewards the player with a +6.
  • 2. Stand Shoot Silver Chariot Requiem. This rewards the player with a +4.
  • None of these need to be done in a specific order. When all are completed Health will be MAX.

The player finally controls Giorno and Gold Experience Requiem, and must defeat Diavolo, who can still erase time. When activated it slows down Giorno, while Diavolo stays the same speed. However, Gold Experience Requiem is not affected. Gold Experience sends Diavolo into the river. Diavolo manages to swim back to the shores but then is stabbed by a homeless man, and dies, but then wakes up alive in a city. He initially thinks his death was a dream, but then a bypasser's dog barks at him, causing him to fall back into the street in surprise. He realizes that somehow, he'll keep dying and waking up elsewhere only to be killed again, and figures this is Gold Experience Requiem's ability before he's run over by an oncoming car. Waking up in the countryside near a small girl who asks if he's okay, Diavolo wonders how many times he'll die and where death will come from next, and screams out in fear at her to stay away from him. Giorno, Mista, and Trish are sure of their victory and now head to the Colosseum to find Bucciarati, but only Giorno is aware Bucciarati has died for good. Polnareff now resides in the turtle and follows Giorno, acting as the guardian of the Arrow. At the end, Giorno becomes the Boss.


Fashion designer Gianni Versace murdered by Andrew Cunanan in killing spree

Spree killer Andrew Cunanan murders world-renowned Italian fashion designer Gianni Versace on the steps outside his Miami mansion. Versace is shot twice in the head, and Cunanan flees the scene.

Cunanan had no criminal record before the spring of 1997, when he began a killing spree in Minneapolis. On April 27, 1997, after traveling from San Diego, Cunanan bludgeoned Jeffrey Trail to death. Trail was an acquaintance of David Madson, an ex-lover of Cunanan’s whom Cunanan in turn murdered on May 3. Cunanan shot Madson in the head, dumped his body near a lake outside Minneapolis, and took his red Jeep Cherokee. Two days later, in Chicago, he gained access to the estate of wealthy developer Lee Miglin, beat him to death, and stole his Lexus. On May 9, Cunanan abandoned Miglin’s automobile in Pennsville, New Jersey, and shot cemetery caretaker William Reese to death for his red pickup truck.

With a massive FBI manhunt for Cunanan already underway, he drove down to Miami Beach and on July 11 was recognized by a fast-food employee who had seen his picture on the television show America’s Most Wanted. However, the police arrived too late, and four days later Cunanan shot Versace to death outside his South Beach mansion. Although Cunanan and Versace were both openly gay and ran in similar circles, the police failed to find evidence that they had ever met.

Versace’s killing set off a nationwide manhunt for Cunanan, who was famous for his chameleon-like ability to appear differently in every picture taken of him. However, on July 23, the search ended just 40 blocks away from Versace’s home on a two-level houseboat that Cunanan had broken into. There, police found him dead from a self-inflicted bullet wound from the same gun that took the lives of two of his victims. He left no suicide note.


Aaron Burr slays Alexander Hamilton in duel

In one of the most famous duels in American history, Vice President Aaron Burr fatally shoots his long-time political antagonist Alexander Hamilton. Hamilton, a leading Federalist and the chief architect of America’s political economy, died the following day.

Alexander Hamilton, born on the Caribbean island of Nevis, came to the American colonies in 1773 as a poor immigrant. (There is some controversy as to the year of his birth, but it was either 1755 or 1757.) In 1776, he joined the Continental Army in the American Revolution, and his relentless energy and remarkable intelligence brought him to the attention of General George Washington, who took him on as an aide. Ten years later, Hamilton served as a delegate to the Constitutional Convention, and he led the fight to win ratification of the final document, which created the kind of strong, centralized government that he favored. In 1789, he was appointed the first secretary of the treasury by President Washington, and during the next six years he crafted a sophisticated monetary policy that saved the young U.S. government from collapse. With the emergence of political parties, Hamilton was regarded as a leader of the Federalists.

Aaron Burr, born into a prestigious New Jersey family in 1756, was also intellectually gifted, and he graduated from the College of New Jersey (later Princeton) at the age of 17. He joined the Continental Army in 1775 and distinguished himself during the Patriot attack on Quebec. A masterful politician, he was elected to the New York State Assembly in 1784 and later served as state attorney. In 1790, he defeated Alexander Hamilton’s father-in-law in a race for the U.S. Senate.

Hamilton came to detest Burr, whom he regarded as a dangerous opportunist, and he often spoke ill of him. When Burr joined Thomas Jefferson’s Democratic-Republican ticket (the forerunner of the Democratic Party) as vice president in the� election, Hamilton launched a series of public attacks against Burr, stating, “I feel it is a religious duty to oppose his career.” John Adams won the presidency, and in 1797 Burr left the Senate and returned to the New York Assembly.

In the 1800 election, Jefferson and Burr became running mates again. Burr aided the Democratic-Republican ticket by publishing a confidential document that Hamilton had written criticizing his fellow Federalist President John Adams. This caused a rift in the Federalists and helped Jefferson and Burr win the election with 73 electoral votes each.

Under the electoral procedure then prevailing, president and vice president were not voted for separately the candidate who received the most votes was elected president, and the second in line, vice president. The vote then went to the House of Representatives. What at first seemed but an electoral technicality—handing Jefferson victory over his running mate�veloped into a major constitutional crisis when Federalists in the lame-duck Congress threw their support behind Burr. After a remarkable 35 tie votes, a small group of Federalists changed sides and voted in Jefferson’s favor. Alexander Hamilton, who had supported Jefferson as the lesser of two evils, was instrumental in breaking the deadlock.

Burr became vice president, but Jefferson grew apart from him, and he did not support Burr’s renomination to a second term in 1804. That year, a faction of New York Federalists, who had found their fortunes drastically diminished after the ascendance of Jefferson, sought to enlist the disgruntled Burr into their party and elect him governor. Hamilton campaigned against Burr with great fervor, and Burr lost the Federalist nomination and then, running as an independent for governor, the election. In the campaign, Burr’s character was savagely attacked by Hamilton and others, and after the election he resolved to restore his reputation by challenging Hamilton to a duel, or an �ir of honor,” as they were known.

Affairs of honor were commonplace in America at the time, and the complex rules governing them usually led to an honorable resolution before any actual firing of weapons. In fact, the outspoken Hamilton had been involved in several affairs of honor in his life, and he had resolved most of them peaceably. No such recourse was found with Burr, however, and on July 11, 1804, the enemies met at 7 a.m. at the dueling grounds near Weehawken, New Jersey. It was the same spot where Hamilton’s son had died defending his father’s honor in 1801.

There are conflicting accounts of what happened next. According to Hamilton’s “second”—his assistant and witness in the duel—Hamilton decided the duel was morally wrong and deliberately fired into the air. Burr’s second claimed that Hamilton fired at Burr and missed. What happened next is agreed upon: Burr shot Hamilton in the stomach, and the bullet lodged next to his spine. Hamilton was taken back to New York, and he died the next afternoon.


Licensing Edit

Public domain Public domain false false

Este trabalho está no domínio público in its country of origin and other countries and areas where the copyright term is the author's life plus 100 years or fewer.


Содержание

Most of GioGio's Bizarre Adventure's gameplay takes place in the form of hand-to-hand combat. All battles are fought 1v1, with every battle being equivalent to a boss fight. The player must learn an opponent's moves and attack patterns in order to properly find an opening and attack.

Characters can deliver melee attacks, use character-exclusive special abilities, or summon their Stand to attack. The character's Stand aids them in battle by changing their moveset, usually to inflict greater damage. Stand barrages and similar attacks are referred to in-game as Stand Shoots Stand Shoot attacks can be charged to increase their duration, with some allowing the player to attack separately from their Stand and thereby create combos. Health can only be restored by obtaining Secret Factors, requiring a finer degree of skill from the player than other games of a similar genre in order to succeed.

As long as a character's Stand is active, a Stand Gauge above the player's health will drain. Actions such as taking damage or blocking attacks while the Stand is active will also decrease the gauge. A Stand Break occurs if the gauge is depleted, leaving the player character unable to summon their Stand or use its special abilities until the gauge refills.

Ranking

Battles are graded based on the performance of the player, with up to 200 GioGio Points to be earned per battle. All Secret Factors on a level add up to 100 GioGio Points, and the percentage of the player's remaining health make up the remaining 200. A D rank is earned if the player's points for the level equal 90 or higher, with 120 or higher earning a C rank, 150 or higher earning a B rank, 170 or higher earning an A rank, and 190 or higher earning the highest rank, S rank. The points achieved with health and the points achieved with Secret Factors are stored separately, allowing the player to earn points in one area while having their points retained in the other (though the rank given does not take this into account).

In Another Story Mode, Secret Factors do not exist and are therefore not graded, halving the point requirements for ranks and capping the total number of points per battle at 100. As there are 21 battles in Super Story Mode and 60 battles in Another Story Mode, a total of 10,200 GioGio Points can be earned in the entire game, though only 8,000 points are required to unlock everything in Gallery Mode.

Game Modes

  1. Super Story: The player follows the journey of Team Bucciarati through the events of Vento Aureo, beginning with Giorno's meeting with Bucciarati and ending at the final battle with Diavolo. There are cutscenes between stages and during some fights.
  2. Another Story: A secret mode that is unlocked when the player completes Super Story Mode. In this mode, the player replays battles from Super Story Mode, but is now able to select different characters for that stage, regardless of whether or not they made an appearance in the canon fight. There are no Secret Factors or cutscenes in this mode. To unlock fights for Another Story Mode, the player must beat the respective fight in Super Story Mode with at least a B rank (150/200 GioGio Points).
  3. Galeria: A mode that has JoJo goodies based on how many JoJo points the player has. This mode is not initially available and completing at least one Super Story Mode fight is required to unlock it. Gallery Mode contains extras such as a Sound Test, a Stage Viewer, Story Dramas, concept art, illustrations by Araki, and a character model viewer that includes unplayable and unused characters. The Gallery Mode is set inside Diavolo's motel room from Chapter 540.
  4. Options: Game options, including sound, control, and auto-save settings.

Secret Factors

A notable feature returning from Heritage for the Future's PS1 version is Secret Factors, side objectives scattered throughout each stage. Each stage can have anywhere between one to four Secret Factors playing out each battle like in the manga will activate these Factors. Once activated, Secret Factors increase the player character's health and Stand endurance, as well as heavily influence the stage results. Many Secret Factors also give the player advantages ranging from disabling certain enemy attacks to outright winning the battle instantly. A counter next to the player's health displays the Secret Factor level, which maxes out at 10: at maximum Secret Factor level, the health and Stand gauges will have doubled in length. There are multiple occasions where Secret Factors must be done in a specific order to achieve them all.


Nature of the wars

While warfare is generally undertaken for political reasons, the French Revolutionary wars were exceptional for the degree to which they were concerned with political considerations. They are associated above all with the appearance in France, and with the imposition by France on neighbouring states, of fundamental changes in the structure of the state and society. No other European wars have shown such intimacy with, or novelty in, political motives. The Napoleonic Wars, which grew out of those undertaken by the first French Republic, were characterized by the extent to which they retained and extended the political and social innovations of Revolutionary France. It will be seen that the political situation in Revolutionary France impelled the new government to make war on neighbouring states and that French Revolutionary doctrines as well as French expansionist policies encouraged these states to oppose France in the field. The course of the French military and foreign policy, furthermore, was greatly influenced by the continuation of an internal political and social revolution during hostilities, and in this too the continual interaction of political and military affairs presents a marked contrast with the Napoleonic Wars.

Nevertheless, it would be wrong to lose sight of more conventional considerations in the motives and conduct of the belligerent powers. The leaders of the French Revolution took over and expanded traditional objectives of French foreign policy. Conversely, although the restoration of the ancien régime in France and its preservation in the rest of Europe was among the motives of the attack by France’s enemies, so often and so greatly did they allow this objective to be obscured by the demands of their traditional interests that it must be considered as subsidiary to their fundamental objectives in making war. The British especially, being geographically insulated and having a more liberal constitution than their Continental allies, were concerned far less with combating Revolutionary ideology than with preventing French attempts to create a Continental hegemony. In contracting a series of alliances with the powers of the First Coalition in 1793, Great Britain indeed insisted that they abandon their demands for a royalist restoration (virtually, unconditional surrender), so that ultimate war aims were left uncertain. The British sought to uphold a balance of power in Europe that would enable them to affirm their control of the seas, to extend their colonial conquests, and to achieve predominance as a trading and manufacturing nation both beyond Europe and on the Continent.

The wars of the Revolution and of the First Empire were the culmination of an intermittent Franco-British conflict that had begun with the War of the Grand Alliance and the War of the Spanish Succession. At its close Great Britain had succeeded in preventing France’s predominance in Europe and asserted British supremacy overseas. Great Britain, with a population not much more than one-third that of France in 1789, depended for its strength on preponderance in commerce and manufactures. Thus it remained preoccupied with the sources and maintenance of wealth, which required that military efforts should be concentrated on naval and colonial affairs. This diminished still further Great Britain’s ability to mount substantial operations in Europe for this the Continental allies, immediately threatened by invasion and not lacking in military manpower, had to serve. Great Britain, however, saw that if the French could impose peace on their own terms on Europe, they would be free to mobilize their resources against the British at sea and in the colonies and to close the European markets essential to British commerce. Therefore Great Britain, alone of all the coalition powers ranged against France, remained at war for virtually the entire duration of the Revolutionary and Napoleonic Wars, pursuing a strategy dominated by maritime, colonial, and economic motives. The divergences in interests and objectives between the British and their European allies explain some of the dissensions which arose in the allied camp and also the hostility that Great Britain was to encounter among the neutral powers. By blockading French-held ports and issuing licences to control trade with the enemy bloc, the British advanced their own interests to the detriment or at least the expense of the neutrals. Thus, broadly speaking, throughout the wars from 1792 to 1815, Great Britain devoted the profits from an increasingly advantageous position in world trade to furthering the struggle with France, while the French, since they could not match British maritime power, were obliged to master Europe if they were to turn the tables on Great Britain strategically and economically.

During the period 1793–99, however, it was by no means certain that France would have to wait until Europe had been pacified before defeating Great Britain. For the first few years of the war the existing strength of the French fleet, if it could gain enough support from other states’ navies, seriously threatened to overcome the British naval supremacy. For some time Great Britain’s preoccupation with colonial warfare proved costly, comparatively unsuccessful, and, eventually, detrimental to the outcome of the war in Europe, where British land forces might have tipped the balance. Only twice in the Revolutionary wars did small British expeditionary forces fight in Europe, and then only in Holland, in 1794 and 1799. By 1796 some 60,000 British troops had fallen in largely indecisive fighting in the West Indies. Arthur Wellesley, 1st duke of Wellington, would suffer fewer losses during his campaigns in the Iberian Peninsula (1808–14), which not only reconquered Spain and Portugal but also tied down a far larger number of French troops.

The British government was unique in its ability to undertake an enormous debt in order to finance its own war effort and to subsidize that of its allies. The great expansion of the British national income, however, was at that time due more to unusually favourable terms of trade in conventional goods produced by largely traditional means than to the initiation of the Industrial Revolution—the distinguishing characteristics of which belong to the years after 1815. The wars put obstacles in the way of industrial development and financial organization on the Continent, however, and Britain’s lead in these fields seems to have been lengthened still further by the time peace came. Two factors contributed considerably to the outbreak and to the course of the early years of the French Revolutionary wars: (1) the weakness of France caused by the Revolution itself, which from the meeting of the Estates-General in May 1789 continued with mounting intensity and throughout the first three campaigns (1792, 1793, and 1794) and (2) the second and third Partitions of Poland (1793 and 1795), which served to distract the Continental powers from their invasion of France.

The unprecedented successes of the French in the Revolutionary wars were due to their advantages in numbers to the fact that France, even before the Revolution, was in many respects the most developed nation on the Continent and finally to the often contradictory effects of Revolutionary ideals and methods. The first French Republic could afford to be prodigiously wasteful of its resources in making war. It could utilize the energies and wealth of the entire population to a degree far beyond the limits of action available to the neighbouring Continental governments of the ancien régime. These novel developments, however, lay several years ahead, when the Continental powers undertook to make war on Revolutionary France. Indeed, in very large part the most striking characteristics of French Revolutionary warfare, together with the men and the domestic policies of the Jacobin Committee of Public Safety with whom it is associated, owed their appearance to the first successes of the invaders. This threat to the new regime inspired the Terror, its radical political reforms, and the massive mobilization of national resources.

For Great Britain the many complexities of the European scene during the first three years of the French Revolution were problems of secondary importance, since the influence of the chief rival state on the Continent had been largely neutralized by internal dissension. Inevitably, Great Britain was less concerned by developments in eastern and central Europe, and less than a year before the outbreak of war with France (February 1793) prime minister William Pitt, the Younger reduced the strength of the home army from 17,000 to 13,000. When war came, Pitt, with most of his countrymen, anticipated that it would soon be over.

Throughout the Revolutionary and Napoleonic wars, the British avoided recourse to a system of direct conscription for the army, and the pressing of men for the navy fell, or was intended to fall, on merchant seamen. The expedients adopted in recruiting land forces during the first years of the war were not particularly efficient. In order to free regular regiments, which were recruited wholly from volunteers, for service overseas, 30,000 militiamen were called up in 1794 for home defense. As it was permissible to pay a substitute to perform militia service, the recruitment of regular formations suffered in consequence.


Assista o vídeo: Galliard Battaglia S. Scheidt