História da LST - 650 - 700 - História

História da LST - 650 - 700 - História

LST - 650 - 700

LST-650

LST - 650 foi redesignado ARL-18 e denominado Pandemus (q.v.) em 14 de agosto de 1944.

LST - 651

LST - 651 foi estabelecido em 24 de julho de 1944 em Seneca, Illinois, pela Chicago Bridge & Iron Co .; lançado em 16 de outubro de 1944; patrocinado pela Sra. Mary Margaret Graham Aubry; e comissionado em 4 de novembro de 1944. Durante a Segunda Guerra Mundial, LST-651 foi designado para o teatro Ásia-Pacífico e participou do assalto e ocupação de Okinawa Gunto em abril de 1945. Após a guerra, ela desempenhou funções de ocupação no Extremo Oriente até meados de janeiro de 1946. O navio foi descomissionado em 23 de janeiro de 1946 e retirado da lista da Marinha em 5 de dezembro de 1947. Em 26 de maio de 1948, o LST-651 foi vendido para a Consolidated Builders, Inc., Seattle, Wash., e posteriormente descartado. LST-651 ganhou uma estrela de batalha pelo serviço na Segunda Guerra Mundial.

LST - 652

LST - 652 foi estabelecido em 24 de julho de 1944 em Seneca, Illinois, pela Chicago Bridge & Iron Co .; lançado em 19 de outubro de 1944; patrocinado pela Sra. Sadie M. Eveleigh; e comissionado em 1 de janeiro de 1945, o tenente Richard N. Shaw, USNR, no comando. Em 15 de setembro de 1945, ela foi redesignada como LSTH-652. O navio desempenhou funções de ocupação no Extremo Oriente até o início de março de 1946. Foi desativado em 5 de março de 1946. Em 6 de março de 1952, o navio foi redesignado como LST-652 e transferido para o Serviço de Transporte Marítimo Militar em 31 de março de 1952, onde operou como USNS LST-652 até ser eliminado da lista da Marinha em 1º de maio de 1961.

LST - 653

LST - 653 foi estabelecido em 17 de novembro de 1943 em Ambridge, Pensilvânia, pela American Bridge Co .; lançado em 23 de janeiro de 1944; patrocinado pela Sra. C. Smith; e comissionado em 1 de abril de 1944, o tenente (jg.) H. Beasley, Jr., no comando. Após a Segunda Guerra Mundial, o LST-653 cumpriu o dever de ocupação no Extremo Oriente até o início de fevereiro de 1946. O navio foi desativado em 3 de fevereiro de 1946 e retirado da lista da Marinha em 5 de março de 1947. Em 31 de maio de 1947, o LST-653 foi vendido para o governo da Coreia do Sul.

LST - 654

LST - 654 foi estabelecido em 9 de dezembro de 1943 em Ambridge, Pensilvânia, pela American Bridge Co .; lançado em 30 de janeiro de 1944; patrocinado por Miss Mary C. Nichols; e comissionado em 20 de março de 1944. Após a Segunda Guerra Mundial, LST-654 desempenhou o dever de ocupação no Extremo Oriente e serviu na China até o início de junho de 1946. Ela foi desativada em 12 de junho de 1946 e transferida para o Departamento de Estado para eliminação e expulsa de a lista da Marinha em 19 de julho de 1946.

LST - 655

LST - 655 foi estabelecido em 9 de dezembro de 1943 em Ambridge, Pensilvânia, pela American Bridge Co .; lançado em 6 de fevereiro de 1944; patrocinado pela Sra. George T. Griffiths; e comissionado em 28 de março de 1944, o tenente Dudley D. Sumrall no comando. Durante a Segunda Guerra Mundial, LST-655 foi designado para o teatro europeu e participou da invasão do sul da França em agosto e setembro de 1944. Ela foi então designada para o teatro Ásia-Pacífico e participou do assalto e ocupação de Okinawa Gunto em Junho de 1945. LST-655 cumpriu o dever de ocupação no Extremo Oriente e serviu na China até a primavera de 1946. Ela foi desativada em 31 de maio de 1946 e transferida para o Departamento de Estado para disposição final. LST-655 foi retirado da lista da Marinha em 3 de julho de 1946. LST-655 ganhou duas estrelas de batalha pelo serviço na Segunda Guerra Mundial. LST-656

LST - 656 foi estabelecido em 13 de dezembro de 1943 em Ambridge, Pensilvânia, pela American Bridge Co .; lançado em 18 de fevereiro de 1944; patrocinado pela Sra. F. H. Dill; e comissionado em 7 de abril de 1944. Durante a Segunda Guerra Mundial, LST-656 foi designado para o teatro europeu e participou da invasão do sul da França em agosto e setembro de 1944. Após a guerra, ela desempenhou funções de ocupação no Extremo Oriente e prestou serviço na China até o final de maio de 1946. O navio foi desativado em 29 de maio de 1946 e transferido para o Departamento de Estado para destinação no mesmo dia. Ela foi retirada da lista da Marinha em 3 de julho de 1946. LST-656 ganhou uma estrela de batalha pelo serviço na 11ª Guerra Mundial. LST-657

LST - 657 foi estabelecido em 16 de dezembro de 1943 em Ambridge, Pensilvânia, pela American Bridge Co .; lançado em 25 de fevereiro de 1944; patrocinado pela Sra. E. T. Owens; e comissionado em 10 de abril de 1944, o tenente Eugene L. Berenbach, USNR, no comando. Após a Segunda Guerra Mundial, LST-657 cumpriu o dever de ocupação no Extremo Oriente e serviu na China até meados de fevereiro de 1946. Ela foi transferida para o Serviço de Transporte Marítimo Militar em 31 de março de 1952, onde serviu como USNS LST-657 até ser expulsa de a lista da Marinha em 1 de maio de 1961. LST-658

LST - 658 foi estabelecido em 28 de dezembro de 1943 em Ambridge, Pensilvânia, pela American Bridge Co .; lançado em 13 de março de 1944; patrocinado pela Sra. Joseph R. McDonald; e comissionado em 17 de abril de 1944. Durante a Segunda Guerra Mundial, LST-658 foi designado para o teatro Ásia-Pacífico e participou das seguintes operações: Captura e ocupação do sul das Ilhas Palau - setembro e outubro de 1944 Desembarques de Leyte - outubro e novembro de 1944 Lingayen Aterrissagem no Golfo - janeiro de 1945 Ataque e ocupação de Okinawa Gunto - abril de 1945 Após a guerra, o LST-658 cumpriu o dever de ocupação no Extremo Oriente e prestou serviço na China até o final de maio de 1946. Ele foi desativado em 1 de junho de 1946. O navio foi transferido ao Departamento de Estado para eliminação e retirado da lista da Marinha em 3 de julho de 1946. LST-658 ganhou quatro estrelas de batalha pelo serviço na Segunda Guerra Mundial. LST-659

LST - 659 foi estabelecido em 31 de dezembro de 1943 em Ambridge, Pensilvânia, pela American Bridge Co .; lançado em 20 de março de 1944; patrocinado pela Sra. A. N. Mellott; e comissionado em 20 de abril de 1944. Durante a Segunda Guerra Mundial, LST-659 foi designado para o teatro europeu e participou da invasão do sul da França em agosto e setembro de 1944. Após a guerra, ela desempenhou funções de ocupação no Extremo Oriente até o início de janeiro 1946. O navio foi desativado em 7 de janeiro de 1946 e retirado da lista da Marinha em 7 de fevereiro de 1947. Em 25 de maio de 1947, foi vendido ao governo da Coréia do Sul. LST-659 ganhou uma estrela de batalha pelo serviço na 11ª Guerra Mundial.

LST - 660

LST - 660 foi estabelecido em 6 de janeiro de 1944 em Ambridge, Pensilvânia, pela American Bridge Co .; lançado em 24 de março de 1944; patrocinado pela Sra. Robert Gibson; e comissionado em 26 de abril de 1944. Durante a Segunda Guerra Mundial, LST-660 foi designado para o teatro Ásia-Pacífico e participou das seguintes operações: Captura e ocupação do sul das Ilhas Palau - setembro e outubro de 1944 Desembarques de Leyte-novembro de 1944 Zambales-Subic Baía-janeiro de 1945 Ataque e ocupação de Okinawa Gunto-abril de 1945 Após a guerra, o LST-660 desempenhou funções de ocupação no Extremo Oriente até o início de janeiro de 1946. O navio foi desativado em 26 de abril de 1946 e retirado da lista da Marinha em 5 de junho de mesmo ano. Em 17 de maio de 1948, ela foi vendida para a Bethlehem Steel Co., de Bethlehem, Pensilvânia, e posteriormente desfeita. LST-660 ganhou quatro estrelas de batalha pelo serviço na Segunda Guerra Mundial.

LST - 661

LST - 661 foi estabelecido em 9 de janeiro de 1944 em Ambridge, Pensilvânia, pela American Bridge Co .; lançado em 30 de março de 1944; patrocinado pela Sra. J. Elder; e comissionado em 28 de abril de 1944. Durante a 11ª Guerra Mundial, LST-661 foi designado para o teatro Ásia-Pacífico e participou da captura e ocupação do sul das Ilhas Palau em setembro e outubro de 1944. Após a guerra, ela desempenhou funções de ocupação em o Extremo Oriente até o início de abril de 1946. O navio retornou aos Estados Unidos e foi desativado em 29 de agosto de 1946. Em 25 de julho de 1948, o LST-661 foi destruído por causa de sua condição inviável e retirado da lista da Marinha em 13 de setembro do mesmo ano . LST-661 ganhou uma estrela de batalha pelo serviço na Segunda Guerra Mundial.

LST - 662

LST - 662 foi estabelecido em 14 de janeiro de 1944 em Ambridge, Pensilvânia, pela American Bridge Co .; lançado em 5 de abril de 1944; patrocinado pela Srta. Louise Leahy; e comissionado em 2 de maio de 1944. Durante a Segunda Guerra Mundial, LST-662 foi designado para o teatro Ásia-Pacífico e participou das seguintes operações: Captura e ocupação do sul das Ilhas Palau - setembro e outubro de 1944 Zambales-Subic Bay-janeiro de 1945 Assalto e ocupação de Okinawa Gunto-abril de 1945 Após a guerra, LST-662 foi descomissionado em 19 de dezembro de 1945 e retirado da lista da Marinha em 8 de janeiro de 1946. Em 25 de junho de 1946, o navio foi vendido para Arctic Circle Exploration, Inc., de Seattle, Wash. LST-662 ganhou três estrelas de batalha pelo serviço na Segunda Guerra Mundial.

LST - 663

LST - 663 foi estabelecido em 22 de janeiro de 1944 em Ambridge, Pensilvânia, pela American Bridge Co .; lançado em 8 de abril de 1944; patrocinado pela Sra. P. Delaney; e comissionado em 5 de maio de 1944. Durante a Segunda Guerra Mundial, LST-663 foi designado para o teatro Ásia-Pacífico e participou das seguintes operações: Captura e ocupação do sul das Ilhas Palau - setembro e outubro de 1944 Desembarques de Leyte-outubro e novembro de 1944 Assalto e ocupação de Okinawa Gunto-abril até junho de 1945 Após a guerra, LST-663 retornou aos Estados Unidos e foi desativado em 29 de maio de 1946 e retirado da lista da Marinha em 19 de julho do mesmo ano. Em 11 de dezembro de 1947, o navio foi vendido para a Southern Shipwrecking Co., de New Orleans, Louisiana, e posteriormente desfeito. LST-663 ganhou três estrelas de batalha pelo serviço na Segunda Guerra Mundial.

LST-664

LST-664 foi estabelecido em 28 de janeiro de 1944 em Ambridge, Pensilvânia, pela American Bridge Co .; lançado em 13 de abril de 1944; patrocinado pela Sra. R. W. Caldwell, Jr .; e comissionado em 10 de maio de 1944, o tenente John R. Burke no comando. Durante a Segunda Guerra Mundial, LST-664 foi designado para o teatro europeu e participou da invasão do sul da França em agosto e setembro de 1944. Após a guerra, ela foi transferida para o Serviço de Transporte Marítimo Militar em 19 de abril de 1955, onde serviu como USNS LST-664 até ser eliminado da lista da Marinha em 15 de junho de 1973. Em 23 de outubro de 1973, o navio foi vendido para Majid Karoon, Khorramshahr, Irã, para demolição. LST-664 ganhou uma estrela de batalha pelo serviço na Segunda Guerra Mundial.

LST-665

LST-665 foi estabelecido em 5 de fevereiro de 1944 em Ambridge, Pensilvânia, pela American Bridge Co .; lançado em 18 de abril de 1944; patrocinado pela Sra. L. Smith; e comissionado em 12 de maio de 1944. Durante a 11ª Guerra Mundial, LST-665 foi designado para o teatro europeu e participou da invasão do sul da França em agosto e setembro de 1944. Ela foi então designada para o teatro Ásia-Pacífico e participou do captura e ocupação do sul das Ilhas Palau em setembro e outubro de 1944. Após a guerra, LST-665 cumpriu o dever de ocupação no Extremo Oriente e serviu na China até meados de março de 1946. Ela voltou aos Estados Unidos e foi desativada em 11 Junho de 1946 e retirado da lista da Marinha em 3 de julho do mesmo ano. Em 10 de dezembro de 1947, o navio foi vendido para a Salco Iron & Metal Co. para demolição. LST-665 ganhou duas estrelas de batalha pelo serviço na Segunda Guerra Mundial.

LST-666

LST-666 foi estabelecido em 16 de fevereiro de 1944 em Ambridge, Pensilvânia, pela American Bridge Co .; lançado em 24 de abril de 1944; patrocinado pela Sra. 1. Hay; e comissionado em 16 de maio de 1944. Durante a Segunda Guerra Mundial, LST-666 foi designado para o teatro Ásia-Pacífico e participou das seguintes operações: Desembarques de Morotai - setembro de 1944 Desembarques de Leyte - outubro e novembro de 1944 Desembarque do Golfo de Lingayen - janeiro de 1945 Zambales- Baía de Subic - janeiro de 1945 Consolidação do sul das Filipinas: (a) Desembarques na Ilha Palawan - março de 1945 (b) Desembarques na Ilha Visayan - março e abril de 1945 Operação Balikpapan - junho e julho de 1945 Após a guerra, LST-666 cumpriu a função de ocupação no Extremo Oriente até o início de janeiro de 1946. Ela retornou aos Estados Unidos e foi desativada em 20 de junho de 1946 e retirada da lista da Marinha em 31 de julho do mesmo ano. Em 26 de setembro de 1947, o navio foi vendido para a Sun Shipbuilding & Dry Dock Co., de Chester, Pensilvânia. LST-666 ganhou seis estrelas de batalha para o serviço na Segunda Guerra Mundial.

LST - 667

LST - 667 foi estabelecido em 22 de fevereiro de 1944 em Ambridge, Pensilvânia, pela American Bridge Co .; lançado em 27 de abril de 1944; patrocinado pela Sra. D. Hammerschmidt; e comissionado em 20 de maio de 1944, Ens. S. Biernat no comando. Durante a Segunda Guerra Mundial, LST-667 foi designado para o teatro Ásia-Pacífico e participou das seguintes operações: desembarques Morotai-setembro de 1944 desembarques Leyte-novembro de 1944 desembarques do Golfo Lingayen-janeiro de 1945 desembarques na Ilha Visayan-março e abril de 1945 Operação na Ilha Tarakan -Abril e maio de 1945 Após a guerra, LST-667 cumpriu o dever de ocupação no Extremo Oriente até meados de fevereiro de 1946. Ela retornou aos Estados Unidos e foi desativada em 5 de junho de 1946 e retirada da lista da Marinha em 3 de julho do mesmo ano . Em 11 de dezembro de 1947, o navio foi vendido para a Learner Co., de Oakland, Califórnia, para demolição. LST-667 ganhou cinco estrelas de batalha pelo serviço na Segunda Guerra Mundial.

LST - 668

LST - 668 foi estabelecido em 6 de março de 1944 em Ambridge, Pensilvânia, pela American Bridge Co .; lançado em 30 de abril de 1944; patrocinado pela Sra. Fred J. Kress; e comissionado em 23 de maio de 1944, o tenente Milford E. Clark, USNR, no comando. Durante a Segunda Guerra Mundial, LST-668 foi designado para o teatro Ásia-Pacífico e participou das seguintes operações: Desembarques de Morotai - setembro de 1944 Desembarques de Leyte - outubro e novembro de 1944 Desembarques da Ilha de Mindanao - abril e maio de 1945 Ataque e ocupação de Okinawa Gunto- Junho de 1945 Após a guerra, o LST-668 retornou aos Estados Unidos e foi desativado em 24 de junho de 1946 e retirado da lista da Marinha em 31 de julho do mesmo ano. Em 26 de maio de 1948, o navio foi vendido para a Bethlehem Steel Co., de Bethlehem, Pensilvânia, para demolição. LST-668 ganhou quatro estrelas de batalha pelo serviço na Segunda Guerra Mundial.

LST - 669

LST - 669 foi estabelecido em 18 de março de 1944 em Ambridge, Pensilvânia, pela American Bridge Co .; lançado em 3 de maio de 1944; patrocinado pela Sra. Faris Jones; e comissionado em 27 de maio de 1944. Durante a Segunda Guerra Mundial, LST-669 foi designado para o teatro Ásia-Pacífico e participou das seguintes operações: Desembarques de Leyte-outubro de 1944 Ataque e ocupação de Okinawa Gunto-abril a junho de 1945 Após a guerra, LST-669 desempenhou funções de ocupação no Extremo Oriente até o início de março de 1946. Ela retornou aos Estados Unidos e foi desativada em 13 de agosto de 1946 e retirada da lista da Marinha em 25 de setembro do mesmo ano. Em 10 de maio de 1948, o navio foi vendido para a Bethlehem Steel Co., de Bethlehem, Pensilvânia, para demolição. LST-669 ganhou duas estrelas de batalha pelo serviço na Segunda Guerra Mundial. LST-670

LST - 670 foi estabelecido em 22 de março de 1944 em Ambridge, Pensilvânia, pela American Bridge Co .; lançado em 6 de maio de 1944; patrocinado pela Sra. Gertrude Schumaker; e comissionado em 29 de maio de 1944. Durante a Segunda Guerra Mundial, LST-670 foi designado para o teatro Ásia-Pacífico e participou das seguintes operações: Aterrissagem de Leyte-outubro de 1944 Desembarques de Mindoro-dezembro de 1944 Ataque e ocupação de Okinawa Gunto-março a junho 1945 Após a guerra, o LST-670 retornou aos Estados Unidos e foi desativado em 30 de abril de 1946 e retirado da lista da Marinha em 19 de junho do mesmo ano. O navio foi vendido em 10 de fevereiro de 1947. O LST-670 ganhou três estrelas de batalha pelo serviço na Segunda Guerra Mundial. LST-671

LST - 671 foi estabelecido em 28 de março de 1944 em Ambridge, Pensilvânia, pela American Bridge Co .; lançado em 11 de maio de 1944; patrocinado pela Sra. B. Taylor; e comissionado em 2 de junho de 1944. Durante a Segunda Guerra Mundial, LST-671 foi designado para o teatro Ásia-Pacífico e participou das seguintes operações: Desembarque de Leyte - outubro de 1944 Desembarque no Golfo de Lingayen - janeiro de 1945 Ataque e ocupação de Okinawa Gunto-abril até Junho de 1945 Após a guerra, o LST-671 cumpriu o dever de ocupação no Extremo Oriente até dezembro de 1945. Ela retornou aos Estados Unidos e foi desativada em 25 de junho de 1946 e retirada da lista da Marinha em 15 de agosto do mesmo ano. Em 26 de setembro de 1947, o navio foi vendido para a Boston Metals Co., de Baltimore, Maryland, para demolição. LST-671 ganhou três estrelas de batalha pelo serviço na Segunda Guerra Mundial. LST-672

LST - 672 foi estabelecido em 3 de abril de 1944 em Ambridge, Pensilvânia, pela American Bridge Co .; lançado em 14 de maio de 1944; patrocinado pela Sra. K. McDaniel; e comissionado em 5 de junho de 1944. Durante a Segunda Guerra Mundial, LST-672 foi designado para o teatro Ásia-Pacífico e participou das seguintes operações: Desembarques de Leyte-outubro de 1944 Ataque e ocupação de Okinawa Gunto-abril a junho de 1945 Após a guerra, LST-672 desempenhou funções de ocupação no Extremo Oriente até abril de 1946. Ela retornou aos Estados Unidos e foi desativada em 26 de junho de 1946 e retirada da lista da Marinha em 31 de julho do mesmo ano. Em 2 de janeiro de 1947, o navio foi vendido para a Suwannee Fruit & Steam Ship Corp., de Jackonville, Flórida. O LST-672 ganhou duas estrelas de batalha pelo serviço na Segunda Guerra Mundial. LST-673

LST - 673 foi estabelecido em 6 de abril de 1944 em Ambridge, Pensilvânia, pela American Bridge Co .; lançado em 22 de maio de 1944; patrocinado pela Sra. Ellis; e comissionado em 9 de junho de 1944. Durante a Segunda Guerra Mundial, LST-673 foi designado para o teatro Ásia-Pacífico e participou das seguintes operações: desembarques de Leyte-outubro a novembro de 1944 desembarques de Mindoro-dezembro de 1944 desembarques do Golfo de Lingayen-janeiro de 1945 Ilha de Mindanao desembarques-abril de 1945 Operação Balikpapan-junho a julho de 1945 Após a guerra, LST-673 desempenhou o dever de ocupação no Extremo Oriente até o início de março de 1946. Ela retornou aos Estados Unidos e foi desativada em 10 de julho de 1946 e excluída da lista da Marinha em 15 de agosto do mesmo ano. Em 27 de outubro de 1947, o navio foi vendido para a Moore Dry Dock Co. LST-673 ganhou quatro estrelas de batalha para o serviço na Segunda Guerra Mundial.

LST - 674

LST - 674 foi estabelecido em 11 de abril de 1944 em Ambridge, Pensilvânia, pela American Bridge Co .; lançado em 26 de maio de 1944; patrocinado pela Sra. Anderson; e comissionado em 19 de junho de 1944. Durante a Segunda Guerra Mundial, LST-674 foi designado para o teatro Ásia-Pacífico e participou do assalto e ocupação de Okinawa Gunto 'de 26 de março a 30 de junho de 1945. Após a guerra, ela desempenhou o dever de ocupação no Extremo Oriente até o final de dezembro de 1945. Ao retornar aos Estados Unidos, o navio foi descomissionado em 14 de maio de 1946 e retirado da lista da Marinha em 19 de junho do mesmo ano. Em 26 de maio de 1948, o navio-tanque de desembarque foi vendido para a Bethlehem Steel Co., de Bethlehem, Pensilvânia, para demolição. LST-674 ganhou uma estrela de batalha pelo serviço na Segunda Guerra Mundial.

LST - 675

LST - 675 foi estabelecido em 16 de abril de 1944 em Ambridge, Pensilvânia, pela American Bridge Co .; lançado em 2 de junho de 1944; patrocinado pela Sra. Van Hook; e comissionado em 24 de junho de 1944. Durante a Segunda Guerra Mundial, LST-675 foi designado para o teatro Ásia-Pacífico e participou do desembarque do Golfo de Lingayen em janeiro de 1945 e do assalto e ocupação de Okinawa Gunto em abril de 1945. Ela foi encalhada e sofreu danos severos ao largo de Okinawa em 4 de abril de 1945 e foi finalmente determinado como inviável. O LST-675 foi desativado em 25 de agosto de 1945 e retirado da lista da Marinha em 17 de setembro do mesmo ano. Em julho de 1957, seu hulk foi autorizado pelo Secretário da Marinha para doação ao governo dos Ryukyus. LST-675 ganhou duas estrelas de batalha pelo serviço na Segunda Guerra Mundial.

LST - 676

LST - 676 ​​foi redesignado como APB-42 e denominado Yavapai (q.v.) em 31 de março de 1945.

LST - 677

LST - 677 foi redesignado como APB-43 e denominado Yolo (q.v.) em 31 de março de 1945.

LST - 678

LST - 678 foi redesignado como APB-44 e nomeado Presque Isle (q.v.) em 31 de março de 1945.

LST - 679

LST - 679 foi estabelecido em 2 de maio de 1944 em Ambridge, Pensilvânia, pela American Bridge Co .; lançado em 20 de junho de 1944; patrocinado pela Sra. John Soboslay; e comissionado em 15 de julho de 1944, o tenente Nelmes no comando. Durante a Segunda Guerra Mundial, LST-679 foi designado para o teatro Ásia-Pacífico e participou das seguintes operações: Desembarque de Leyte - novembro de 1944 Desembarque na Ilha de Mindanao - abril de 1945 Após a guerra, LST-679 desempenhou funções de ocupação no Extremo Oriente até o início Abril de 1946. Ela retornou aos Estados Unidos e foi desativada em 24 de junho de 1946 e retirada da lista da Marinha em 31 de julho do mesmo ano. Em 25 de maio de 1948, ela foi vendida para a Bethlehem Steel Co., de Bethlehem, Pensilvânia, para demolição. LST-679 ganhou duas estrelas de batalha pelo serviço na Segunda Guerra Mundial. LST-680

LST - 680 foi estabelecido em 5 de maio de 1944 em Ambridge, Pensilvânia, pela American Bridge Co .; lançado em 26 de junho de 1944; patrocinado pela Sra. Leahy; e comissionado em 21 de julho de 1944. Durante a Segunda Guerra Mundial, LST-680 foi designado para o teatro Ásia-Pacífico e participou das seguintes operações: Aterrissagem no Golfo de Lingayen - janeiro de 1945 Zambales-Baía de Subic - janeiro de 1945 Desembarques na Ilha de Mindanao - abril de 1945 Durante a guerra, o LST-680 cumpriu o dever de ocupação no Extremo Oriente até meados de abril de 1946. Ela retornou aos Estados Unidos e foi desativada em 5 de julho de 1946 e retirada da lista da Marinha em 28 de agosto do mesmo ano. Em 14 de maio de 1948, o navio foi vendido para a Bethlehem Steel Co., de Bethlehem, Pensilvânia, para demolição. LST-680 ganhou três estrelas de batalha para o serviço na Segunda Guerra Mundial. LST-681

LST - 681 foi estabelecido em 10 de maio de 1944 em Ambridge, Pensilvânia, pela American Bridge Co .; lançado em 1º de julho de 1944; patrocinado pela Sra. Pauline Taylor; e comissionado em 25 de julho de 1944, tenente (jg.) L. Spengler, USNR, no comando. Durante a Segunda Guerra Mundial, LST-681 foi designado para o teatro Ásia-Pacífico e participou das seguintes operações: Desembarques no Golfo de Lingayen-janeiro de 1945 Ataque e ocupação de Okinawa Gunto-abril a junho de 1945 Após a guerra, LST-681 cumpriu o dever de ocupação no Extremo Oriente até meados de março de 1946. Ela retornou aos Estados Unidos e foi desativada em 6 de setembro de 1946 e retirada da lista da Marinha em 8 de outubro do mesmo ano. Em 9 de outubro de 1947, o navio foi vendido para William E. Skinner para demolição. LST-681 ganhou duas estrelas de batalha pelo serviço na Segunda Guerra Mundial. LST-682

LST - 682 foi estabelecido em 6 de dezembro de 1944 em Jeffersonville, Ind., Pela Jeffersonville Boat & Machine Co .; lançado em 31 de janeiro de 1944; patrocinado pela Sra. Ethel M. Ward; e comissionado em 18 de março de 1944, Ens. Flynn no comando. Durante a 11ª Guerra Mundial, LST-682 foi designado para o teatro europeu e participou da invasão da Normandia em junho de 1944. Ela foi então designada para o teatro da Ásia-Pacífico e participou do assalto e ocupação de Okinawa Gunto em maio e junho 1945. Após a guerra, o navio exerceu funções de ocupação no Extremo Oriente até o final de fevereiro de 1946. O LST-682 retornou aos Estados Unidos e foi desativado em 30 de julho de 1946 e retirado da lista da Marinha em 25 de setembro do mesmo ano. Em 3 de junho de 1948, ela foi vendida para a Walter W. Johnson Co. LST-682 ganhou duas estrelas de batalha para o serviço na Segunda Guerra Mundial.

LST - 683

LST - 683 foi estabelecido em 29 de novembro de 1943 em Jeffersonville, Ind., Pela Jeffersonville Boat & Machine Co .; lançado em 7 de fevereiro de 1944; patrocinado pela Sra. Florence Robbins Bohr; e comissionado em 28 de março de 1944, o tenente Richard T. Paynter, USNR, no comando. Após a Segunda Guerra Mundial, LST-683 cumpriu o dever de ocupação no Extremo Oriente e serviu na China até meados de fevereiro de 1946. Ela retornou aos Estados Unidos e foi desativada em 29 de maio de 1946 e excluída da lista da Marinha em 3 de julho do mesmo ano. O navio foi vendido para a Bethlehem Steel Co., de Bethlehem, Pensilvânia, em 26 de maio de 1948 para demolição.

LST - 684

LST - 684 foi estabelecido em 13 de dezembro de 1943 em Jeffersonville, Ind., Pela Jeffersonville Boat & Machine Co .; lançado em 12 de fevereiro de 1944; patrocinado pela Sra. Florence M. Sussman; e comissionado em 3 de abril de 1944, o tenente Welch, Jr., USNR, no comando. Durante a 11ª Guerra Mundial, LST-684 foi designado para o teatro Ásia-Pacífico e participou das seguintes operações: Captura e ocupação de Guam-julho e agosto de 1944 Ataque e ocupação de Iwo Jima-fevereiro de 1945 Ataque e ocupação de Okinawa Gunto-abril até junho de 1945 Após a guerra, LST-684 desempenhou o dever de ocupação no Extremo Oriente até meados de novembro de 1945. Ela retornou aos Estados Unidos e foi desativada em 25 de novembro de 1945 e destruída em 22 de março de 1946. LST-684 foi riscada do Lista da Marinha em 5 de junho de 1946. LST-684 ganhou três estrelas de batalha pelo serviço na Segunda Guerra Mundial. LST-685

LST - 685 foi estabelecido em 21 de dezembro de 1943 em Jeffersonville, Ind., Pela Jeffersonville Boat & Machine Co .; lançado em 18 de fevereiro de 1944; patrocinado pela Srta. Agnes J. Langley; e comissionado em 7 de abril de 1944. Após a Segunda Guerra Mundial, LST-685 desempenhou funções de ocupação no Extremo Oriente até meados de abril de 1946. Ela retornou aos Estados Unidos e foi desativada em 22 de julho de 1946. Em 13 de janeiro de 1947, o navio foi colocada em serviço e usada para treinamento da Reserva Naval fora de Tompkinsville, NY Ela foi desativada em 2 de junho de 1950 em Green Cove Springs, Flórida. Em 1 de julho de 1955, ela foi redesignada Curry County (LST-685) após condados no Novo México e Oregon . O navio de desembarque do tanque foi retirado da lista da Marinha em 1 de novembro de 1958. LST-686

LST - 686 foi estabelecido em 4 de janeiro de 1944 em Jeffersonville, Ind., Pela Jeffersonville Boat & Machine Co .; lançado em 24 de fevereiro de 1944; patrocinado pela Sra. Clara L. Vogt; e comissionado em 14 de abril de 1944, Ens. Pode estar no comando. Durante a Segunda Guerra Mundial, LST-686 foi designado para o teatro Ásia-Pacífico e participou das seguintes operações: Leyte desembarques-outubro de 1944 desembarque Mindoro-dezembro de 1944 Lingayen Golfo desembarque-janeiro de 1945 Ataque e ocupação de Okinawa Gunto-março a maio de 1945 Após a guerra, o LST-686 cumpriu o dever de ocupação no Extremo Oriente e prestou serviço na China até o início de abril de 1946. Em 17 de setembro de 1947, o navio foi vendido para a Consolidated Builders, Inc., Seattle, Wash., Para demolição. LST-686 ganhou três estrelas de batalha pelo serviço na 11ª Guerra Mundial.

LST - 687

LST - 687 foi estabelecido em 28 de dezembro de 1943 em Jeffersonville, Ind., Pela Jeffersonville Boat & Machine Co .; lançado em 28 de fevereiro de 1944; patrocinado pela Sra. Emma D. Bott; e comissionado em 22 de abril de 1944. Durante a Segunda Guerra Mundial, LST-687 foi designado para o teatro Ásia-Pacífico e participou das seguintes operações: Captura e ocupação do sul das Ilhas Palau - setembro e outubro de 1944 Desembarques de Leyte - outubro e novembro de 1944 Lingayen Aterrissagem no Golfo-janeiro de 1945 Ataque e ocupação de Okinawa Gunto-abril a junho de 1945 Após a guerra, LST-687 desempenhou o dever de ocupação no Extremo Oriente até o início de dezembro de 1945. Ela retornou aos Estados Unidos e foi desativada em 24 de maio de 1946 e atacada da lista da Marinha em 3 de julho do mesmo ano. Em 24 de setembro de 1947, o navio foi vendido para William E. LST-687 ganhou quatro estrelas de batalha para o serviço na Segunda Guerra Mundial.

LST - 688

LST - 688 foi estabelecido em 17 de janeiro de 1944 em Jeffersonville, Ind., Pela Jeffersonville Boat & Machine Co .; lançado em 5 de março de 1944; patrocinado pela Sra. James R. Collier; e comissionado em 27 de abril de 1944. Durante a Segunda Guerra Mundial, LST-688 foi designado para o teatro Ásia-Pacífico e participou das seguintes operações: Captura e ocupação do sul das Ilhas Palau - setembro e outubro de 1944 Desembarques de Leyte - outubro e novembro de 1944 Lingayen Aterrissagem no Golfo - janeiro de 1945 Ataque e ocupação de Okinawa Gunto - maio e junho de 1945 Após a guerra, LST-688 cumpriu o dever de ocupação no Extremo Oriente até o início de fevereiro de 1956. Ela retornou aos Estados Unidos e foi desativada em 5 de agosto de 1946 e atacada da lista da Marinha em 25 de setembro do mesmo ano. LST-688 ganhou quatro estrelas de batalha pelo serviço na Segunda Guerra Mundial.

LST - 689

LST - 689 foi estabelecido em 11 de janeiro de 1944 em Jeffersonville, Ind., Pela Jeffersonville Boat & Machine Co .; lançado em 9 de março de 1944; patrocinado pela Sra. Edith C. Smith; e comissionado em 2 de maio de 1944, o tenente McKay, USNR, no comando. Durante a Segunda Guerra Mundial, LST-689 foi designado para o teatro Ásia-Pacífico e participou da captura e ocupação do sul das Ilhas Palau em setembro e outubro de 1944. Ela retornou aos Estados Unidos e foi desativada em março de 1946. O tanque pousou navio não realizou nenhum serviço ativo após a Segunda Guerra Mundial. Em 1 de julho de 1955, o navio foi redesignado Daggett County (LST-689) após um condado em Utah. Ela foi retirada da lista da Marinha em 1 de outubro de 1959. LST-689 ganhou uma estrela de batalha pelo serviço na Segunda Guerra Mundial. LST-690

LST - 690 foi estabelecido em 31 de janeiro de 1944 em Jeffersonville, Ind., Pela Jeffersonville Boat & Machine Co .; lançado em 14 de março de 1944; patrocinado pela Sra. Dorothy E. Bryant; e comissionado em 6 de maio de 1944, o tenente Comdr. Ernest C. Reif, USNR, no comando. Durante a Segunda Guerra Mundial, LST-690 foi designado para o teatro europeu e participou da invasão do sul da França em agosto e setembro de 1944. Após a guerra, LST-690 desempenhou funções de ocupação no Extremo Oriente até o final de fevereiro de 1946. Ela voltou para nos Estados Unidos e foi desativado em 23 de julho de 1946 e retirado da lista da Marinha em 28 de agosto do mesmo ano. Em 16 de dezembro de 1947, o navio foi vendido para James A. Hughes, Nova York, N.Y., para demolição. LST-690 ganhou duas estrelas de batalha pelo serviço na Segunda Guerra Mundial. LST-691

LST - 691 foi estabelecido em 25 de janeiro de 1944 em Jeffersonville, Ind., Pela Jeffersonville Boat & Machine Co .; lançado em 23 de março de 1944; patrocinado pela Sra. Helen T. Briner; e comissionado em 12 de maio de 1944. Durante a Segunda Guerra Mundial, LST-691 foi designado para o teatro europeu e participou da invasão do sul da França em agosto de 1944. Após a guerra, ela desempenhou funções de ocupação no Extremo Oriente até meados de dezembro de 1945 Ela retornou aos Estados Unidos e foi desativada em 14 de maio de 1946 e retirada da lista da Marinha em 19 de junho do mesmo ano. Em 4 de novembro de 1946, o navio foi vendido para a Hughes Bros., Inc., de Nova York, N.Y. LST-691 ganhou uma estrela de batalha pelo serviço na Segunda Guerra Mundial. LST-692

LST - 692 foi estabelecido em 7 de fevereiro de 1944 em Jeffersonville, Ind., Pela Jeffersonville Boat & Machine Co .; lançado em 31 de março de 1944; patrocinado pela Sra. Alma D. Voelker; e comissionado em 10 de maio de 1944, o tenente Carothers, USNR, no comando. Durante a Segunda Guerra Mundial, LST-692 foi designado para o teatro europeu e participou da invasão do sul da França em agosto e setembro de 1944. Descomissionado em 1946, foi colocado na frota de reserva em Green Cove Springs, Flórida, até ser reativado em 1951. Ela prestou serviço ativo durante a Guerra da Coréia e depois. LST-692 foi redesignado Daviess County (LST- 692) em 1 de julho de 1955 após condados em Indiana, Kentucky e Missouri. O navio foi retirado da lista da Marinha em 1º de junho de 1964 e transferido para o Serviço de Transporte Marítimo Militar, onde operava como T-LST-692. O condado de Daviess foi transferido para a Marinha das Filipinas em 13 de setembro de 1976. LST-692 ganhou uma estrela de batalha pelo serviço na Segunda Guerra Mundial e duas estrelas de batalha pelo serviço coreano. LST-693

LST - 693 foi estabelecido em 18 de fevereiro de 1944 em Jeffersonville, Ind., Pela Jeffersonville Boat & Machine Co .; lançado em 7 de abril de 1944; patrocinado por Miss Rose Mary Harrod; e comissionado em 15 de maio de 1944, o tenente M. Hoag no comando. Durante a Segunda Guerra Mundial, LST-693 foi designado para o teatro Ásia-Pacífico e participou das seguintes operações: Desembarques de Leyte-outubro e novembro de 1944 desembarques de Mindoro-dezembro de 1944 Zambales-Baía de Subic-janeiro de 1945 Ataque e ocupação de Okinawa Gunto-abril 1945 Following the war, LST-693 performed occupation duty in the Far East until mid-October 1945. She returned to the United States and was decommissioned on 1 May 1946 and struck from the Navy list on 3 July that same year. On 10 December 1947, the ship was sold to the Southern Shipwrecking Co., of New Orleans, La., for scrapping. LST-693 earned four battle stars for World War II service.

LST - 694

LST - 694 was laid down on 14 February 1944 at Jeffersonville, Ind., by the Jeffersonville Boat & Machine Co.; launched on 16 April 1944; sponsored by Mrs. Ivy H. Wolf; and commissioned on 19 May 1944. During World War II, LST-694 was assigned to the Asiatic- Pacific theater and participated in the following operations: Morotai landings-September 1944 Leyte landings-October and November 1944 Lingayen Gulf landing-January 1945 Mindanao Island landings-April 1945 Balikpapan operation-June and July 1945 Following the war, LST-694 performed occupation duty in the Far East until mid-January 1946. The ship was decommissioned on 1 December 1947 and struck from the Navy list on 23 December that same year. She was transferred to the United States Army. On 1 March 1950, she was reacquired from the Army and transferred to the Military Sea Transportation Service, where she operated as USNS LST-694 until struck from the Navy list once again on 4 February 1958. LST-694 earned five battle stars for World War II service.

LST - 695

LST - 695 was laid down on 28 February 1944 at Jeffersonville, Ind., by the Jeffersonville Boat & Machine Co.; launched on 24 April 1944; sponsored by Mrs. Ursula R. Vilsack; and commissioned on 22 May 1944. During World War 11, LST-695 was assigned to the Asiatic-Pacific theater and participated in the Morotai landings in September 1944 and the Leyte landings in October and November 1944. She was decommissioned on 6 November 1945 and struck from the Navy list on 28 November that same year. On 22 March 1946, the ship was sold to the George Pollack Co., of Stockton, Calif. LST-695 earned two battle stars for World War II service.

LST - 696

LST - 696 was laid down on 25 February 1944 at Jeffersonville, Ind., by the Jeffersonville Boat & Machine Co.; launched on 27 April 1944; sponsored by Mrs. Samuel G. Shannon; and commissioned on 25 May 1944. During World War II, LST-696 was assigned to the Asiatic-Pacific theater and participated in the following operations: Morotai landings-September 1944 Leyte landings-November 1944 Lingayen Gulf landing-January 1945 Following the war, LST-696 performed occupation duty in the Far East until mid-April 1946. She returned to the United States and was decommissioned on 16 July 1946 and struck from the Navy list on 28 August that same year. On 19 May 1948, the ship was sold to the Bethlehem Steel Co., of Bethlehem, Pa., for scrapping. LST-696 earned three battle stars for World War II service. LST-697

LST - 697 was laid down on 6 March 1944 at Jeffersonville, Ind., by the Jeffersonville Boat & Machine Co.; launched on 1 May 1944; sponsored by Mrs. Josephine B. Kieren; and commissioned on 30 May 1944, Ens. Lo Presti in command. During World War 11, LST-697 was assigned to the Asiatic-Pacific theater and participated in the following operations: Morotai landings-September 1944 Leyte landings-November 1944 Lingayen Gulf landing-January 1945 Visayan Island landings-March and April 1945 Tarakan Island operation-April and May 1945 Following the war, LST-697 performed occupation duty in the Far East and saw service in China until mid-December 1945. She returned to the United States and was decommissioned on 12 July 1946 and struck from the Navy list on 28 August that same year. On 14 October 1947, the ship was sold to William E. LST-697 earned five battle stars for World War II service. LST-698

LST - 698 was laid down on 14 March 1944 at Jeffersonville, Ind., by the Jeffersonville Boat & Machine Co.; launched on 5 May 1944; and commissioned on 3 June 1944. During World War II, LST-698 was assigned to the Asiatic- Pacific theater and participated in the Leyte landings in October 1944 and the assault and occupation of Okinawa Gunto in April 1945. She was decommissioned on 26 November 1945 and struck from the Navy list on 5 December that same year. LST-698 earned two battle stars for World War I] service. LST-699

LST - 699 was laid down on 9 March 1944 at Jeffersonville, Ind., by the Jeffersonville Boat & Machine Co.; launched on 9 May 1944; sponsored by Mrs. Louise C. Calhoun; and commissioned on 5 June 1944. During World War II, LST-699 was assigned to the Asiatic- Pacific theater and participated in the following operations: Leyte landings-November 1944 Lingayen Gulf landing-January 1945 Mindanao Island landings-April 1945 Following the war, LST-699 performed occupation duty in the Far East and saw service in China until mid-April 1946. On 5 December 1947, the ship was sold to the Bethlehem Steel Co., of Bethlehem, Pa., for scrapping. LST-699 earned three battle stars for World War II service. LST-700

LST - 700 was laid down on 22 March 1944 at Jeffersonville, Ind., by the Jeffersonville Boat & Machine Co.; launched on 13 May 1944; sponsored by Mrs. Leona M. Slack; and commissioned on 7 June 1944, Lt. Blodgett in command. During World War II, LST-700 was assigned to the Asiatic- Pacific theater and participated in the Leyte landing in November 1944 and the Lingayen Gulf land. ing in January 1945. Following the war, LST-700 performed occupation duty in the Far East and saw serv ice in China until mid-March 1946. She returned to the United States and was decommissioned on 27 July 1946 and struck from the Navy list on 28 August that same year. On 13 December 1947, the ship was sold to the Kaiser Co., of Vancouver, Wash., for scrapping. LST-700 earned two battle stars for World War II service.


Model Motor First year Last year Notas
Model E 770cc cc 1919 1924 side-valve V twin
G30-G35 985 cc 1930 1935 side-valve
G14 985 cc 1936 1940 side-valve
J34, J35, J12 499 cc 1934 1936 overhead valve
Y13 748 cc 1936 1938 overhead valve

The B-series were single cylinder models of 250 cc, 350 cc and 500 cc. After the Second World War only 350 cc and 500 cc overhead valve models were continued.

Model Motor First year Last year Notas
B33-1 - B35-1, B1 249 cc 1933 1936 side-valve
B33-2 - B35-2, B2 249 cc 1933 1936 overhead valve
B33-3 - B35-3, B3 Blue Star 249 cc 1933 1936 overhead valve
R33-4 - R35-4, R4 349 cc 1933 1936 overhead valve
R33-5 - R35-5, R5 Blue Star 349 cc 1933 1936 overhead valve
W32-6, W33-6, W34-7, W35-6, W6 499 cc 1932 1936 side-valve
W32-7, W33-7, W34-8, W35-7 499 cc 1932 1935 overhead valve
W33-8, W34-9, W35-8 Blue Star 499 cc 1933 1935 overhead valve
W33-9, W34-10, W35-9 499 cc 1933 1935 overhead valve
B20 Tourer 249 cc 1937 1938 side-valve
B21 Sports 249 cc 1937 1939 overhead valve
B22 Empire Star 249 cc 1937 1938 overhead valve
B23 Tourer 348 cc 1937 1939 side-valve
B24 Empire / Silver Star 348 cc 1937 1939 overhead valve
B25 Competition 348 cc 1937 1939 overhead valve
B26 Sports 348 cc 1937 1939 overhead valve
B29 348 cc 1940 overhead valve
B30 overhead valve
B31 348 cc 1945 1959 overhead valve
B32 348 cc 1946 1957 overhead valve
B33 499 cc 1947 1960 overhead valve
B34 499 cc 1947 1957 overhead valve

In the 1930s the M series was a mixture of overhead valve and side-valve models. During and after the Second World War only the side-valve models of this series were continued, typically for use by the armed forces or in sidecar combinations.

Model Motor First year Last year Notas
M33-10, M34-12, M35-10, M10 596 cc 1933 1936 side-valve
M33-11, M34-13, M35-11 596 cc 1933 1935 overhead valve
M19 Deluxe 349 cc 1937 1938 overhead valve
M22 496 cc 1937 1939 overhead valve
M23 Silver Star/Empire Star 496 cc 1937 1940 overhead valve
M24 Gold Star 496 cc 1938 1939 overhead valve
M20 496 cc 1937 1955 side-valve. Thousands of this model were supplied to the British Army
M21 591 cc 1937 1963 side-valve. The UK's Automobile Association used this model in sidecar combinations
M33 499 cc 1947 1957 B33 overhead valve engine in M series plunger frame for civilian sidecar work

The C-series were 250 cc single-cylinder models & a 350 cc side-valve model for 1940 only

Model Motor First year Last year Notas
C10 250 cc 1938 1953 side-valve engine
C11 250 cc 1939 1953 overhead valve engine, dynamo electrics
C12sv 350 cc 1940 1940 side-valve engine, dynamo electrics, girder Forks, ridged rear,
C11G 250 cc 1954 1956 overhead valve engine, alternator instead of dynamo
C12 250 cc 1956 1958 overhead valve engine, swinging arm suspension
C10L 250 cc 1953 1957 side-valve engine

All Bantams were single cylinder two-stroke machines

Model Motor First year Last year Notas
D1 Bantam 125 cc 1948 1963 Early examples had rigid frames later models had plunger suspension
D3 Bantam Major 150 cc 1954 1957 All-welded swinging arm frame - some had plunger rear suspension
D5 Bantam Super 175 cc 1958 1958 All-welded swinging arm frame similar to D5
D7 Bantam Super 175 cc 1959 1966 Swinging-arm frame with separate rear subframe bolted on
D10 Silver Bantam, Bantam Supreme, Bantam Sports and Bushman 175 cc 1966 1967 Some models had four-ratio gearbox
D14/4 Bantam Supreme, Bantam Sports and Bushman 175 cc 1968 1969 All models had four-ratio gearbox
D175 Bantam Sports and Bushman 175 cc 1969 1971 With C15 front forks and centrally-located spark plug

Model Motor First year Last year Notas
C15 250 cc 1958 1967
C15T 250 cc 1959 1965
C15S 250 cc 1959 1965
SS80 250 cc 1961 1966 High-performance version of C15
B40 350 cc 1960 1965
SS90 350 cc 1962 1965 High-performance version of B40
B44 GP 441 cc 1965 1967 the first unit single with oil-bearing frame. Used super strong/lightweight Reynolds 531 tubing aimed at competition use
B44 VE "Victor Enduro" 441 cc 1966 1970
B44 "Victor Roadster" 441 cc 1966 1970 From 1968 to 1970, called "441 Shooting Star"
B40WD 350 cc 1967 2,000 for Ministry of Defence
C25 Barracuda 250 cc 1967 Original UK designation for the Starfire
B25 Starfire 250 cc 1968 1970 Higher performance model developed from the C15
B25FS Fleetstar 250 cc 1968 1971 Made with low-compression engine to increase reliability and fuel economy for police and civilian fleet use
B25SS Gold Star 250 250 cc 1971 Oil-in-frame model developed from the Starfire
B25T Victor Trail 250 250 cc 1971 Off-road oil-in-frame model developed from the Starfire
B50SS Gold Star 500 cc 1971 1972
B50T Trail 500 cc 1971 1972
B50MX Motorcross 500 cc 1971 1972 In 1974 sold as Triumph TR5MX for US

All BSA parallel twins were pushrod operated overhead valve machines. o A7 e A10 models were semi-unit construction until about 1953 and pre-unit construction thereafter. Tudo A50, A65 e A70 models were unit construction.


LST History

The large chart table on LST 393, original to WWII, was built in Muskegon, Michigan by the Browne-Morse Company.

The Landing Ship Tank is an ocean going ship capable of shore to shore delivery of tanks, amphibious assault vehicles, and troops.

The LST program was developed in response to a need for armored infantry divisions in invasions by sea. England's failed invasion at Dunkirk prompted Prime Minister Winston Churchill to request that the United States design a ship that was large enough to traverse an ocean, but with provisions to quickly and efficiently unload armored vehicles and personnel on an unimproved beach. The resulting ship design proved to be among the most successful in the history of the Navy.

The ships were designed with an innovative ballast system which allowed the flat-bottomed ships to sit lower in the water during ocean transit for seaworthiness purposes, then, by pumping the ballast tanks dry, to raise up in the water, facilitating shallow-draft landing operations. The ballast system was adapted from the systems used by fleet submarines.

The design for the first LST was submitted by John C. Niedermair in November of 1941. The sketch he made became the design for more than 1,000 L.S.T.'s. After a few alterations the final length was 328 ft., a 50 ft. beam, and a draft of 3 ft. 9½ in. She was able to ride higher in the water when in landing trim.

LSTs were a high priority during the war, the second-largest shipbuilding initiative in the history of Mankind. Before the tests were completed on the LST, construction had already commenced. The LST was built in a variety of "Cornfield Navy" shipyards, in rather unlikely locales: Seneca, Ill. Evansville and Jeffersonville, Ind. and Pittsburgh and Ambridge, Penn. The Navy was forced to modify bridges, through a "Ferry Command," to bring the LSTs to the oceans. About 670 LSTs were constructed inland.

Many other LSTs were built in existing Navy yards. In fact, the first LST actually took the berth of an already laid aircraft carrier keel at Newport News Shipbuilding and Drydock Corporation, so important was the LST construction program.

In total, eighteen shipyards produced more than a thousand LSTs in three years, a remarkable feat by any reckoning.

At the beginning of 1943, the schedule allowed four months from the time the keel was laid on a new LST to her final fitting-out and commissioning that schedule was reduced to two months by the end of the war.

From June 1943 in the Solomons to August 1945, the LST was a key element in WWII. They participated in Sicily, Italy, Normandy, Southern France, the liberation of the Philippines, and the capture of Iwo Jima and Okinawa.

Out of 1,051 LST class ships built, more than a thousand survived through the end of World War II several WWII LST's served through the Vietnam War era. Though slow by today's amphibious Navy standards, the ships were well designed for a variety of tasks besides the primary mission of armored invasion force delivery.

Even though the crew members nicknamed their ships "Large Slow Targets," the LST endured. There were only 26 losses to enemy actions. At the end of World War II the navy had a large inventory of LSTs. This remarkable warship that performed vital services in the fight for freedom now are almost extinct. Roughly half were scrapped, 20 percent were converted for commercial use, 18 percent were sold to foreign governments, 9 percent sunk, and a few went into private hands their fate is unknown.


41 Years of Mass Shootings in the U.S. in One Chart

T here have been at least four mass shootings so far in 2021, all of which have come in the last month and have left a total of 30 people dead and at least seven injured. The incidents serve as a reminder that, after a brief lull in 2020 when only two incidents met the formal definition of a mass shooting, leaving nine victims dead, the horrific and regular spates of public gun violence that have plagued the country for at least four decades are not over.

A database of mass shootings compiled by Mother Jones going back to 1982 counts 123 such incidents in which at least three people were killed, not including the gunman. In that time, 952 people have been killed and 1,315 wounded. The following chart visualizes each mass shooting in terms of deaths and injuries. TIME has examined each incident and slightly adjusted some values as the death toll and number of injured has been clarified over time.

America’s mass shooting epidemic defies not only one’s sense of humanity, but also the basic practice of counting. There are several common means of tallying mass shootings with widely divergent results, based on, for example, whether one limits to incidents of indiscriminate killings versus targeted homicides. Como Mother Jones‘ Mark Follman notes, the actual number of fatalities is probably higher. A 2013 federal mandate authorized by President Obama lowered the definition of a mass shooting down from four victims to three, which led to more of these shootings being tracked, but there may be earlier ones that are not included. The chart also does not include the thousands of killings each year in which there were fewer than three fatalities.

Correction: A chart in the the original version of this story misstated Kalamazoo&rsquos location. It&rsquos in Michigan, not Mississippi.


The Many Minds Behind Remington’s Designs**

Eliphalet Remington II set the tone for his company when he produced the first cast-steel barrel in the United States. He was a trendsetter. As a result, the company became known for its innovation.

Remington in the mid to late 19th century was a haven for invention. The company welcomed designers from diverse backgrounds to create new and original products not restricted to firearms. Witness the typewriters and sewing machines that bore the Remington name over the years. But its firearms designers were the heart and soul of the company, even if they didn’t always profit personally. Their contributions often were acknowledged in the model names of their inventions. Some of the most iconic and surprising designs are highlighted here.

1920 Keen Sporting Rifle

.45/70 Government
Produzido
Inventor: John W. Keene

Keen Sporting Rifle Outdoor Life Online Editors

John W. Keene was a firearms designer out of New Jersey who had perfected a bolt-action-system rifle and magazine. Unfortunately he didn’t have the funds to produce it. In the 1870s, he filed a patent for his design and partnered with Remington.

1850 Hepburn No. 3 Sporting Rifle

.32/40 RP
Produzido
Inventor: Lewis L. Hepburn

Hepburn No. 3 Sporting Rifle Outdoor Life Online Editors

Lewis L. Hepburn was the superintendent of Remington’s mechanical department and was a member of the Creedmoor International Shooting Team. He created a falling-block rifle, which was sold and marketed by Remington from 1880 to about 1907.

1899 Lee Model 1899 Military Rifle

.30/40 Government
Protótipo
Inventor: James Paris Lee

Lee Model 1899 Military Rifle Outdoor Life Online Editors

James Paris Lee was a well-known arms inventor and designer who invented the Lee-Metford and the Lee-Enfield rifles. This bolt-action box magazine rifle was designed by Lee and manufactured initially by Sharps until Remington took over production.

1857 Thomas No. 2 Rifle Cane

.32 Rimfire
Produzido
Inventor: J.F. Thomas

Thomas No. 2 Rifle Cane Outdoor Life Online Editors

J.F. Thomas was an employee of Remington who designed one of the more peculiar Remington firearms—the Cane Gun. This curious design was intended to capitalize on the Victorian market of walking canes for gentry. While not a commercial success, it was the first metallic cartridge long arm made at Remington.

1857 Beals First Model Pocket Revolver

.31 Caliber
Protótipo
Inventor: Fordyce Beals

Beals First Model Pocket Revolver Outdoor Life Online Editors

Remington’s first revolver was designed by Fordyce Beals. Not only did he design this revolver, he worked on several patents, including a rifle and most notably the famous Remington New Model Revolver. Like many designers, he did not work exclusively for Remington he also worked for Whitney Arms.

1863 Elliot Pepperbox Derringer

.32 Rimfire
Produzido
Inventor: Dr. William Elliot

Elliot Pepperbox Derringer Outdoor Life Online Editors

Dr. William Elliot designed many popular derringers for Remington. Inspired by Henry Deringer, this was Remington’s first crack at the concealment market. Elliot designed this four-barrel pistol, as well as over/under derringers. He would also submit several designs along with Rider and Smoot for military contracts.

1874 Smoot New Line No. 2 Revolver

.30 Short Rimfire
Produzido
Inventor: William S. Smoot

Smoot New Line No. 2 Revolver Outdoor Life Online Editors

A veteran of the American Civil War, William S. Smoot received a commission in the Ordinance Department in 1864. He resigned in 1871 and became an employee of Remington. He is best known for his series of five-shot New Line Revolvers that experimented with an ivory-like substance called celluloid.

1880 Rider Magazine Pistol

.32 Extra Short Rimfire
Produzido
Inventor: Joseph Rider

Rider Magazine Pistol Outdoor Life Online Editors

Two Remington employees, Leonard Geiger and Joseph Rider, designed one of the most iconic Remington actions—the rolling block. However, Rider had initially been hired by Remington to design pistols in the 1850s. He created a series of vest-pocket guns for the company, including this magazine pistol.


History of LST - 650 - 700 - History

From the first balloons to the 787 this section tells the story of Aviaiton, Airlines and Aircraft

History of Railroads

The story of the Railroads is told in this sectioins. There is also a section on famous trains, railroad stations and much more

We The People

Everything you wanted to know about how the American government is organized, what shared power means, what ate the powers of the Presidency, the Congress and those of the Supreme Court

Pessoas

500 most important people of the 20th century, Civil War Generals, Signers of the Constitution, Presidents, First Ladies and much more

Navy History

The history of all US Navy ships is included, from Battleships to Carriers, from Frigates to Supply ships all the history is here for you to read

Nation by Nation

Vital information on all the nations of the world are included in this section of the web site


Welcome to Cyndi's List

Cyndi's List has been a trusted genealogy research site for more than 25 years. Cyndi's List é gratuitamente for everyone to use and it is meant to be your starting point when researching online.

  • What exactly is Cyndi's List?
    • A categorized & cross-referenced index to genealogical resources on the Internet.
    • A list of links that point you to genealogical research sites online.
    • A gratuitamente jumping-off point for you to use in your online research.
    • A "card catalog" to the genealogical collection in the immense library that is the Internet.
    • Your genealogical research portal onto the Internet.

    "Cyndi finds everything." --Donna P.

    "Think of the Dewey Decimal System. You look up a book you want, you might find something else of interest right beside it. Way cool for more than a century. With Dewey, we can stumble upon things that will help us. Same with Cyndi. We go to the subject in question and look around. It's a great way to discover new sources." --Dave O.

    "If you've never used Cyndi's List, get over there and check it out. When I began researching over 15 years ago, the site was shared with me by my friend and mentor, Birdie Holsclaw. What a treasure trove!" --Cari T.

    "Cyndi's list is a sledge hammer for brick walls. Your site has lead me to find great resources just clicking around." --Karen P.

    "You've been the lamppost in the wilderness guiding us through genealogy for more than a decade." --Katherine J.


    History of LST - 650 - 700 - History

    A while back, Tom Fortune, Contributing Editor of Motorcycle Online
    wrote an article about the 15 year history of the Virago and the heritage which it built.
    The article was titled "15 Years of Viragos---Since 1981, Providing that Unique American Style".

    Without going into tremendous detail, Tom has been able to capture the
    escense of the history of the Virago in this abbreviated article.
    Following is Tom's interesting article:

    --------------------------------------------------------------------------------
    Heritage - mention this word to a crowd of motorcyclists, and
    Harley-Davidson usually comes to mind. Mention Yamaha to that same crowd,
    and look out for a fight. But Yamaha has been slowly building a heritage of its
    own around their Virago line of cruisers. The 1981 Virago 750 was the original
    V-twin cruiser from Japan, and 15 years later it is still, arguably,
    the most popular Japanese bike in what has become an American styling tradition.
    Back in the mid to late 1970's a new style of motorcycle began appearing on
    the American scene -the Custom. Tired of the Universal Japanese Motorcycle look,
    owners were personalizing their bikes themselves. But US-based stylists for the
    Big Four kept noticing the popularity of one home-grown look - the chopper.
    High, pull-back handlebars, brightly chromed exhaust pipes, stepped
    seats with sissy bars and extended front forks were the rage among customizers.
    The stylists pleaded with Japan to offer this flair in a "factory" package.
    Hence the Customs and Specials were born. Based on the Standard models,
    Customs provided the rider with extra styling touches like spoked wheels,
    plush stepped seats and two-tone paint jobs. They were an instant success,
    often out-selling the Standard models they were based on. But, of course,
    the most popular bike to customize continued to be Harley-Davidsons.

    During that nascent period, Yamaha's Manager of Motorcycle Product
    Planning in the U.S. was Ed Burke. Burke's research found that although riders
    loved the look of the UJM-based Customs, they also wished to have the
    appearance and power characteristics of an air-cooled V-twin, but at a better price.
    So Burke, working closely with Yamaha's engine designer "Hap" Ueno,
    headed up a new project and together they developed something very unique.
    The design centered around a 75-degree V-twin with an offset rear cylinder.
    They figured this layout would offer the optimum balance of wheelbase,
    weight bias, and vibration control while providing improved cooling
    for the rear cylinder -- Harley-Davidson cylinders are not offset
    -- they share a crankpin with fork-and-tongue connecting rods
    (one rod is normal and the other is forked on the end so it has
    two journals and resides on the same centerline as the other rod).

    So in 1981, the XV750 Virago was born. Quite a departure from any
    previous Japanese design, the Virago became the first mass-produced
    street bike to use a single shock rear suspension. Other unique styling
    touches Burke incorporated into the original design were low-maintenance shaft drive,
    air-adjustable forks, cast aluminum wheels, and of course, lots of
    Custom features - low-slung frame, high handlebars, stepped seat, and plenty of chrome.
    To give the Virago motor that "open air" look, the engine was hung from
    the stamped-steel backbone frame in stressed-member fashion.
    The unusual frame also doubled as an airbox, housing the air filter.
    It was an immediate sales hit, one that continues today.
    And it was the start of a importer's phenomenon - the V-twin cruiser
    - that had all the other manufacturers following suit.

    Over the ensuing years, the Virago has undergone several notable changes.
    In 1982, Yamaha introduced a larger version of the 750, the XV920 Virago.
    The 920 offered several deluxe features not found on the 750,
    such as dual front discs, adjustable handlebars, and liquid-crystal display gauges.
    In 1983, the baby of the family was introduced, the XV500 Virago.
    The 750 and 920 Viragos each came in a Midnight version for 1983,
    replete with high-gloss black paint, and blacked-out engines with gold accents.
    The troublesome liquid-crystal display on the 920 was
    replaced with more traditional analog gauges.

    Yamaha brought about a major redesign for both the 750 and 920 Viragos in 1984.
    Riders wanted the bikes to have even more custom styling features
    - like more chrome and even more of a "chopper-like" appearance.
    So the air filters were moved outboard of the engine and chrome air cleaner covers
    were mounted over top. The mono-shock rear suspension was scrapped in favor of exposed,
    dual shocks with bright chrome springs and bodies that actually worked
    much better than the mono-shock ever did. The gauges were enlarged
    for improved readability, and a "teardrop" gas tank completed the styling make-over.
    1984 was also the first year of the Harley-induced U.S. government tariff regulations,
    and the 750 Virago was reduced to 699cc to squeak in under the tariff cutoff.
    Conversely, the 920 Virago was enlarged to a full 1000cc, and a secondary,
    one-half gallon fuel tank was added under the seat to bolster its small 3.3 gallon main tank.

    The Viragos remained unchanged until 1986, when the 1000 was bumped
    up in displacement to 1,063cc and renamed the XV1100 Virago.
    The secondary fuel tank was eliminated and the main tank enlarged to 4.4 gallons.
    1987 saw the littlest Virago grow to 535cc, and in 1988 the motorcycle
    import tariff was rescinded, allowing the return of the 750cc Virago.
    Other than the introduction of new paint schemes every couple of years,
    Yamaha hasn't changed the Virago since. And why should they? The classic
    -- dare we say traditional -- lines of the Virago series have amassed
    quite a following in its 15 years, spawning the Virago Owners Club along the way,
    and has become one of the most popular cruiser bikes in history.


    USS LST-133

    At 08.03 hours on 15 June 1944, U-621 fired one Gnat torpedo at convoy EPL-8 and hit USS LST-133 (Lt Floyd E. Richards, USN) which was about 2000 yards behind station, steaming at full speed of 10 knots with two Rhino tugs in tow about 27 miles northeast of Barfleur, France. The U-boat observed how the vessel broke in two and then managed to retreat without being attacked by the escorts as it was assumed that the vessel had struck an acoustic mine. However, the landing ship remained intact from frame 41 forward so the Germans probably mistook the Rhino tugs that drifted away after the hit as parts of the vessel. The explosion blew away the greater part of the fantail and both 40mm Bofors gun tubes on the stern, demolished the crew quarters and steering engine room and left the vessel without propulsion as the screws and rudder were destroyed. The deck house was damaged by the stern anchor winch that was blown forward and large pieces of twisted deck plate hurled through the air fell on deck and the vehicles stored there. The landing ship carried the men and equipment of the HQ and three batteries of the 113th Field Artillery Battalion, 30th US Infantry Division. As breakfast had just been served many men were washing their mess kits on the fantail when the torpedo struck and the casualties were high: 15 crew members and 28 passengers (22 US Army and 6 USN Seabees) were killed and 17 crew members and 11 passengers (8 US Army and 3 USN Seabees) were wounded.

    USS Raven (AM 55) e USS Chickadee (AM 59) en route to Portsmouth went alongside to take off the wounded, the former taking USS LST-133 in tow towards Omaha Beach until relieved by USS Arikara (ATF 98) at 12.35 hours. Eleven hours after the hit, the landing ship was beached with the help of USS LCI(L)-490 e USS LCI(L)-84 and unloaded until 02.00 hours on 16 June. Afterwards the ship was sufficient repaired to permit towing her to Southampton by the British tug Empire Meadow on 18 June. USS LST-133 was prepared at Barry for a transatlantic crossing and returned to service after being repaired in the US.

    Location of attack on USS LST-133.

    ship damaged.

    If you can help us with any additional information on this vessel then please contact us.


    Operation Tiger

    ‘Operation Tiger’, or ‘Exercise Tiger’, was part of a series of landing exercises carried out on the beaches of south Devon prior to the D-Day landings in June 1944. However, ‘Operation Tiger’ is most famous for the disaster that occurred at Slapton Sands that resulted in the deaths of hundreds of men – some at sea and some on the beaches of Slapton Sands. Ten times more Americans died in Lyme Bay and on Slapton Sands than at Utah Beach on June 6 th .

    The beaches off south Devon had been selected for ‘Operation Tiger’ because of their similarity to the beach at ‘Utah’ where the Americans would be landing on June 6 th . The population who lived near Slapton were moved out in late 1943 so that any manoeuvres and exercise that were carried out in the area were done so under the strictest of secrecy. The first of the training exercises was carried out in December 1943. The whole idea behind the series of exercises was to give the American forces training there as much of a likeness of what to expect as was possible. Therefore the exercises were tiered up as time progressed to make them as realistic as was possible. ‘Operation Tiger’ was to be one of the larger ones and was scheduled to last from April 22 nd to April 30 th .

    The whole of ‘Operation Tiger’ was planned to be on a big scale – thousands of troops were meant to land under live fire – ordered by Eisenhower to make it as realistic as possible – and their landing ships were escorted by a small flotilla of naval ships headed by two destroyers. The first actual landings took place on April 27 th . These were successful. However, a major disaster occurred in the early hours of April 28 th that resulted in hundreded of deaths.

    The Kriegsmarine kept a flotilla of S-boats in north France, mainly in Bologne and Cherbourg. Another flotilla was based in Guernsey. These were very fast, highly manoeuvrable small ships that carried torpedoes and two 20mm guns. Those involved in the Slapton Sands tragedy were equipped with supercharged engines that gave them a top speed of 40 knots if the conditions were good. They patrolled the English Channel and attacked any ship they came across working on the theory that the speed and manoeuvrability of the S-boats would get them out of trouble. In Britain, the S-boats were known as E-boats ‘e’ for enemy.

    The convoy left Plymouth on April 27 th . Its destination was ‘Red Beach’ at Slapton Sands in Lyme Bay.

    In the early hours of April 28 th , nine S-boats spotted the eight landing ships in Lyme Bay that were sailing in a line and therefore made for an inviting target. The S-boats had been spotted by a Royal Navy corvette, HMS Azalea, but the captain assumed that the landing craft had also spotted them and did not directly inform them of the presence of S-boats.

    The attack started at 01.33. Ships in the convoy were ordered not to return fire as this would have given away their positions. Darkness offered the convoy some protection as the logs of the S-boats later showed as they were convinved that they had hit “tankers”.

    Three landing ships were hit. One (LST-507) caught fire and was abandoned. LST-289 caught fire but made it to the shore. LST-531 was hit and quickly sank. At 02.18, the order was given for the convoy to break-up formation and for individual ships to make they way independently ahead. The attack lasted until about 04.00. In the chaos that ensued, the nine S-boats left Lyme Bay with no casualties even though HMS Azalea attacked them.

    The tragedy highlighted a number of major issues that needed to be resolved by D-Day. First, British naval headquarters and the landing craft operated off different radio frequencies and thus could not contact each other. When HMS Azalea contacted its headquarters in Plymouth with regards to what was going on, naval headquarters could not contact the landing craft direct to find out what was happening to them.

    Second, a number of the fatalities had actually survived the torpedoing but when it came to abandoning their ship, had put on their life jackets incorrectly. Survivors later said that they saw men, who were in full combat gear, effectivly turned upside down because of the way they had put on their life jackets and they drowned. Clearly by June 6 th , as tens of thousands of men would be carried across the Channel, this also had to be sorted out. Faith was put on the kapok life preserver jacket, which could only be put on in one particular manner. Similar to this another lifesaver was learned. Soldiers in landing craft at sea were advised to loosen their boots after an order to abandon ship had been given. It would make their removal in the sea a lot easier. Those in Lyme Bay would have little chance of removing soaked military boats in decent conditions, let alone at night with chaos all around them.

    Third, the planning of D-Day had to be faultless and clearly the planning behind Operation Tiger had exposed a number of serious communication issues. The eight landing ships were meant to be escorted by two Royal Navy ships – HMS Azalea and HMS Scimitar. However, the escort had been reduced to one – Azalea – as Scimitar had returned to the dockyards at Plymouth for repairs. The Americans had not been told this. When the lack of full protection for the convoy was known, HMS Saladin was sent – at 01.37 on April 28th, four minutes after the attacks had started. British shore batteries had seen the S-boats but were ordered not to fire on them because that would give away to the Germans the fact that the shoreline was well defended.

    The chaos continued on the beaches when men were killed by incoming friendly fire from HMS Hawkins. Eisenhower had ordered the use of live ammunition to make the exercise as lifelike as possible. However, a further 308 Americans were killed. In total, it is thought that 946 men died at sea and on land. However, some military historians believe that the figure is a lot higher and that this accounts for why there was no official recognition of the tragedy even after the success of D-Day. Keeping quiet about the tragedy prior to D-Day was understandable as any news of what happened would have undoubtedly undermined morale – especially for those on the landing crafts that were going to be used. The lack of any reporting of the tragedy after D-Day may simply be explained by the fact that those in charge had their eyes fixed firmly on what was happening in Normandy.

    Ten of the fatalities were of great importance. When D-Day was planned, the men who had prior knowledge of the invasion were known as ‘bigots’. While the daqte was not yet known to the ‘bigots’, the landing sites were. Ten ‘bigots’ were unaccounted for in the immediate aftermath of Operation Tiger. No one knew if by chance any one of them had been captured by the S-boats. It was only after the ten bodies had been accounted for that the plans for D-Day continued.

    Obviously nothing of what happened at Slapton Sands was made public. Medical staff at military hospitals who treated the wounded were sworn to secrecy under pain of court martial if they even asked the injured how they acquired their wounds. It was briefly referred to in a July 1944 copy of ‘Stars and Stripes’ but by this month, the interest was very much in what was happening in Normandy.

    On May 5th, Rear Admiral John Hall reported on the still highly clasified incident. He apologised to the Americans but put the blame on the sheer intensity of the build-up to D-Day Hall argued that with thousands of important communication signals being sent daily, some were bound not to get through or be acted on. What happened at Lyme Bay was seen as something that happened in wartime as tragic as it was.


    Assista o vídeo: Atividade de História