Sukhothai

Sukhothai

Sukhothai ou Parque Histórico de Sukhothai foi a antiga capital do Reino de Sukhothai (1248-1438 DC), que foi fundado pelo Rei Si Inthrathit (r. 1238-1270 DC) e foi o primeiro de uma série de governos independentes que eventualmente se fundiram juntos para formar o que é a atual Tailândia. Sukhothai está localizada no nordeste da Tailândia e fica a 12 km (milhas) da moderna cidade de Sukhothai Thani e a 430 km (280 milhas) de Bangkok. No seu auge, Sukhothai era uma cidade magnífica, embora pequena, com templos elegantes, palácios, monumentos deslumbrantes e canais. A efervescência da cultura nesta cidade durante os séculos 13 e 14 dC deixou uma marca indelével na arte, língua e política tailandesas, e Sukhothai ainda é reverenciado como o berço da cultura tailandesa pelos tailandeses hoje. A UNESCO declarou Sukhothai e as ruínas vizinhas de Si Satchanalai e Kamphaeng Phet como um único Patrimônio Mundial da UNESCO em 1991 CE.

História de Sukhothai

A cidade histórica de Sukhothai está localizada na moderna província de Sukhothai, no que atualmente é o nordeste da Tailândia, perto do Yom, que é um dos maiores afluentes do rio Chao Phraya. Em sânscrito, Sukhothai significa “Aurora da Felicidade” ou “Emergência da Alegria”. Sukhothai era originalmente uma pequena cidade Khmer em design e estrutura com templos hindus e canais que lembram Angkor Wat. É provável que o Khmer tenha construído esta cidade em algum momento no século 12 ou no início do século 13 dC, e ainda é possível encontrar alguns vestígios de estruturas Khmer mais antigas em Sukhothai. Nos séculos 11, 12 e 13 dC, as regiões norte e central do que hoje é a Tailândia receberam um influxo de pessoas do que hoje é o centro-sul da China: os Tai.

Essas pessoas se casaram com habitantes locais, como os povos Mon e Khmer, e se mudaram para a área de Sukhothai e arredores. (Para os de fora, essas pessoas eram conhecidas como “Siam”, do qual deriva o termo “siamês”.) Eles estabeleceram muang, pequenas “cidades-estado”, que eram subordinadas ao governo Khmer. É importante notar que essas cidades-estados formaram uma conjuntura importante na história quando o Império Khmer começou a declinar após anos de guerra com a vizinha Champa no final do século 12 e início do século 13 EC. Um vácuo político na região seguiu a morte de Jayavarman VII (c. 1181-1218 DC), e o Tai rapidamente começou a desafiar o poder político Khmer na região, afirmando primeiro a autonomia e depois a independência completa de seus senhores Khmer.

No final de 1300 dC, Sukhothai era um dos maiores centros de budismo do mundo.

Em c. 1238 dC, o rei Si Inthrathit (também conhecido em tailandês como “Pho Khun Bang Klang Hao” e outros por meio de outros títulos honoríficos) uniu várias instituições políticas tailandesas sob o controle de nobres tailandeses em um único reino sob sua suserania na cidade de Sukhothai. (Por essa razão, os tailandeses o vêem como o “pai fundador da nação tailandesa”.) As circunstâncias exatas desse evento estão envoltas em mistério e, infelizmente, os historiadores têm apenas fragmentos de estela quebrada e outros registros parciais. O que se sabe é que Si Inthrathit consolidou seu governo e defendeu o Reino de Sukhothai contra o Khmer. Um filho mais novo de Si Inthrathit, o rei Ram Khamhaeng (r.c. 1275-1298 EC), expandiu os limites do reino para o sul e leste e formalmente adotou o Theravada como a religião oficial de Sukhothai. Ram Khamhaeng também enviou enviados à China, ajudando a estimular o comércio e enriquecer Sukhothai.

Sukhothai floresceu nos 150 anos seguintes, em grande parte devido à sua localização geográfica. Centrado quase no meio do caminho entre o Império Khmer ao sudeste e o Reino de Pagão da Birmânia ao noroeste, o cosmopolita Sukhothai prosperava no comércio e no patrocínio. Sukhothai e a cidade vizinha de Si Satchanalai (hoje Parque Histórico de Si Satchanalai) tornaram-se centros de produção e exportação de cerâmica em todo o Sudeste Asiático. Embora algo semelhante ao grés Khmer ou à cerâmica vietnamita, os artesãos de Sukhothai e Si Satchanalai produziram cerâmica com um esmalte verde, que atraiu admiração generalizada e pode ser encontrada em lugares tão distantes quanto o que hoje é a Indonésia e as Filipinas.

No final de 1300 dC, Sukhothai era um dos maiores centros de budismo do mundo. Os sucessores de Sir Inthrathit e Ram Khamhaeng estabeleceram belos templos Theravada e recrutaram monges budistas de longe para morar na cidade de Sukhothai. De nota especial são o rei Lo Thai (r. 1298-1347 dC) e o rei Maha Thammaracha I ou “Lu Thai” (r. 1347-1368 dC). Ambos eram budistas devotos e patronos das artes que realçaram muito a beleza da cidade por meio da construção de uma arquitetura monumental. Durante seus reinados, um estilo distinto de arte Sukhothai emergiu, e Lu Thai escreveu o trabalho antigo mais notável da Tailândia, o Traibhumikatha ("Sermão sobre os Três Mundos") em 1345 EC. As imagens do Buda, conforme refletidas em esculturas ou pinturas, tornaram-se altamente estilizadas e reconhecíveis em virtude de sua graça e elegância em Sukhothai. Os templos de Sukhothai também delineiam uma certa graça etérea com seus estupas em forma de sino e florões de botões de lótus. Arquitetos e engenheiros vieram a Sukhothai para construir mosteiros requintados de tijolos e decorá-los com estuque esculpido.

História de amor?

Inscreva-se para receber nosso boletim informativo semanal gratuito por e-mail!

A cidade de Ayutthaya cresceu rapidamente e se tornou o centro de um vasto reino que acabaria absorvendo Sukhothai em 1438 CE.

No entanto, apesar da riqueza e fama de Sukhothai, um reino tailandês rival no sul desafiou a primazia política e cultural da cidade na região da atual Tailândia durante o final do século 14 dC: Ayutthaya (c. 1351-1757 dC). Situada em uma ilha na interseção dos rios Pa Sak, Chao Phraya e Lopburi e perto do Golfo da Tailândia, a cidade de Ayutthaya cresceu rapidamente para o centro de um vasto reino que acabaria absorvendo Sukhothai em 1438 CE. O rei Boromaracha I (r. 1370-1388 dC) foi o primeiro rei de Ayutthaya a desafiar Sukhothai, e os reis subsequentes de Ayutthaya gradualmente anexaram ou conquistaram territórios pertencentes a Sukhothai. Os reis posteriores de Sukhothai reconheceram a supremacia de Ayutthaya em 1378 E, e o reino tornou-se uma província de Ayutthaya em 1438 EC. Inscrições de Sukhothai no final do século 14 e no início do século 15 EC atestam uma cidade e um reino cercado de lutas internas entre várias famílias nobres, o que em grande parte explica o rápido declínio do reino. Também houve sugestões de que a sorte de Sukhothai caiu drasticamente quando o rio Yom mudou seu curso e a produção agrícola nas vizinhanças de Sukhothai caiu.

Sukhothai diminuiu gradualmente em tamanho populacional e importância cultural, embora suas cerâmicas valiosas continuassem a ser produzidas dentro e ao redor de Si Satchanalai. Sukhothai sofreu repetidamente ao longo dos séculos devido à guerra intermitente entre Ayutthaya e Birmânia dos séculos 16 a 18 DC, e guerras com os birmaneses, o Rei Naresuan de Ayutthaya (c. 1590-1605 DC) forçou muitos dos residentes de Sukhothai a se mudarem para mais perto de Ayutthaya como resultado do despovoamento. O interesse moderno em Sukhothai surgiu novamente após a derrota de Ayutthaya e a realocação da capital tailandesa para Bangkok em 1782 CE. Reis e arqueólogos tailandeses vieram a Sukhothai para estudar e admirar suas ruínas nos anos 1800 e 1900 dC. Muitas das estátuas renomadas de Sukhothai e outras obras de arte estão agora no Museu Nacional em Bangkok, Tailândia.

Ruínas de Sukhothai

Sukhothai é uma cidade budista antiga impressionante e monumental que só pode ser rivalizada no sudeste da Ásia por Angkot Wat no Camboja, os templos budistas de Bagan em Mianmar (Birmânia), os templos hindus de Mỹ Sơn no Vietnã e as ruínas de Borobudur e Prambanan Na Indonésia. As ruínas de Sukhothai em arte e arquitetura refletem a ancestralidade diversa do povo tailandês moderno, à medida que se encontram estilos e influências artísticas dos povos Mon, Tai e Khmer. Sobreposições estilísticas da Índia e Sri Lanka antigas também são bastante evidentes em Sukhothai. A área total da cidade histórica de Sukhothai é de 11.852 ha, dos quais Sukhothai compreende 7.000 ha., Si Satchanalai compreende 4.514 ha. E Kamphaeng Phet compreende 338 ha.

Uma faceta única de Sukhothai que é pouco conhecida ou comentada é sua incrível realização em engenharia hidráulica.

As grandes muralhas da cidade, correndo 2 km ao redor de Sukhothai, já funcionaram como uma proteção contra exércitos invasores, e também havia três muralhas de terra e dois grandes canais (ou fossos) que circundavam a cidade. 20 templos medievais (tailandês: wat) e inúmeros monumentos encontram-se na histórica cidade de Sukhothai, o mais impressionante dos quais é, sem dúvida, o Wat Mahathat, que contém uma estátua do Buda, um antigo templo e um lago ornamental. Outras estruturas de interesse especial incluem Wat Si Sawai, que é um dos templos mais antigos de Sukhothai fundado pelo Khmer e data do final do século 12 ou início do século 13 dC, e o templo Wat Si Chum do século 13 dC, que contém o maior Buda imagem em Sukhothai e mede 15 m (49 pés) de altura e 11 m (36 pés) de largura.

Uma faceta única de Sukhothai que é pouco conhecida ou comentada é sua incrível realização em engenharia hidráulica. Os habitantes medievais de Sukhothai criaram reservatórios, canais e represas sofisticadas, o que permitiu um maior controle das águas durante os períodos de seca ou inundação. O manejo da água em grande escala ajudou os fazendeiros e comerciantes de Sukhothai a realizar uma variedade de atividades de natureza agrícola, comercial e ritual. Isso, por sua vez, levou a uma maior prosperidade e mais harmonia social na cidade de Sukhothai.

Legado de Sukhothai

No século 19 dC, Thais passou a ver Sukhothai como o primeiro florescimento da cultura tailandesa e um lugar importante em sua consciência cultural. Embora a cidade de Sukhothai tenha florescido por pouco menos de 200 anos, sem dúvida deixou uma marca duradoura no curso subsequente da história tailandesa e certamente da cultura tailandesa também. Quando se pensa no alfabeto tailandês, arquitetura tailandesa e escultura tailandesa, é importante perceber que todos eles tiveram sua gênese em Sukhothai. As crianças em idade escolar ainda memorizam as linhas de uma famosa inscrição de pedra que data de c. 1298 CE e evoca o prestígio de Sukhothai:

Esta terra de Sukhothai está prosperando. Existem peixes na água e arroz nos campos. O senhor do reino não cobra pedágio de seus súditos. Eles são livres para conduzir seu gado ou montar seus cavalos e para se dedicar ao comércio; quem quer que queira comerciar com elefantes, fá-lo; quem quer comerciar cavalos, fá-lo; quem quer negociar em prata e ouro, fá-lo.


A História dos Reinos Sukhothai e Ayutthaya

Diz-se que a história da Tailândia começou em 1238, quando o reino de Sukhothai foi estabelecido. O reino Sukhothai, que contribuiu com importantes estruturas arquitetônicas, era um estado vagamente organizado no qual o budismo e o governo estavam interligados. No entanto, o reino durou pouco. Ele desmoronou após a morte de seu governante mais famoso, o rei Ramakhamphaeng. Após sua queda, as cidades de Lopburi e Suphanburi se uniram, criando o reino de Ayutthaya. Este reino, que floresceu no comércio internacional e nas relações diplomáticas, durou mais de quatro séculos. Seu sucesso pode ser atribuído às grandes habilidades organizacionais de seus líderes, bem como aos benefícios de sua localização geográfica. Infelizmente, essas alianças com nações estrangeiras levaram ao conflito dentro de Ayutthaya e a uma eventual revolta. Menos de um século depois, as forças birmanesas invadiram e derrubaram o governo de Ayutthaya, encerrando assim o grande reinado do reino de Ayutthaya.

Em 1238, o reino de Sukhothai foi estabelecido como um estado independente na Bacia de Menam. De acordo com a lenda, isso aconteceu quando os chefes tailandeses derrubaram seus senhores Khmer na região de Sukhothai. [1] O novo reino de Sukhothai abrangia Luang Phrabang ao norte e a Península Malaia ao sul, [2] ou o que é considerado a atual Tailândia e a baixa Birmânia. [3] O reino Sukhothai é considerado o primeiro estado independente do povo tailandês. Os tailandeses consideram que este é o início de sua história porque a maioria das crônicas históricas anteriores eram "simplesmente listas de reis ou coleções de lendas, geralmente sem data, [mas] nos séculos XIII e XIV, eles se tornaram os anais de estados, repletos de relatos detalhados de eventos religiosos e guerras, de conflitos dinásticos e movimentos populares. ”[4] Sukhothai também foi o primeiro reino a usar a língua tailandesa oficialmente, adicionando assim a contribuição formal de Sukhothai para a história tailandesa. [5]

Além disso, Sukhothai fez contribuições arquitetônicas históricas duradouras. Atualmente, muitas dessas contribuições estão localizadas no Parque Histórico de Sukhothai, localizado a aproximadamente 320 quilômetros ao norte da atual Bangkok. Os "numerosos cetiyas ou stupas (montes de relíquias) e viharas (mosteiros budistas) [encontrados ao redor do parque histórico] testemunham o esplendor da arquitetura clássica de Sukhothai." [6] As artes também floresceram durante o governo de Ramakhamphaeng, em particular a escultura de bronze de Sukhothai e cerâmica. Essas commodities se tornaram as principais fontes de comércio internacional. [7]

Enquanto as artes desempenhavam um papel importante no reino Sukhothai, a religião era ainda mais crucial para o modo de vida Sukhothai. A religião e o estado no reino de Sukhothai estavam inextricavelmente ligados. Na verdade, "Acima de tudo, Sukhothai era um estado budista, apoiando prodigamente uma comunidade monástica recentemente reforçada e revigorada por um patriarca célebre." [8] No entanto, isso também significava que a associação religiosa à parte, o governo de Sukhothai não era altamente centralizado. O rei era tão dedicado ao budismo que compartilhava seu trono semanalmente com monges que pregavam o Dhamma de Buda. [9] Não apenas o estado era oficialmente budista, mas a religião também era política, já que a paz e a unidade políticas eram freqüentemente forjadas em bases religiosas. [10] Esse entrelaçamento de estado e religião não foi problema para o povo extremamente devoto de Sukhothai.

A vida no reino Sukhothai talvez seja melhor descrita pelo amado rei Ramakhamphaeng:

Há peixes na água e arroz nos campos. O senhor do reino não cobra pedágio de seus súditos por percorrerem as estradas em que conduzem seu gado para comerciar ou montam seus cavalos para vender quem quer comerciar elefantes, faz isso quem quer comerciar cavalos, fá-lo ... Quando vê o arroz de alguém ele não cobiça, quando ele vê a riqueza de alguém ele não fica bravo ... [11]

Esta passagem mostra Sukhothai em seu auge aos olhos de seu rei, a quem eles carinhosamente chamavam de Senhor Pai. [12] Este nome foi dado ao rei Ramakhamphaeng por causa de sua benevolência paterna. Na verdade, os governantes Sukhothai afirmavam ser apenas os pais do povo tailandês. [13]

Na famosa inscrição de 1292 do rei Ramakhamphaeng, ele afirmou que a cidade de Suphanburi estava entre as dependências de Sukhothai. [14] Isso é significativo porque no século 13 Suphanburi havia se tornado uma das cidades mais poderosas, um centro de poder militar controlando partes da Bacia de Menam e parte da Península Malaia. Uma aliança entre Suphanburi e a igualmente poderosa cidade de Lopburi, conhecida como o centro da cultura e do aprendizado, acabou levando ao surgimento de um novo poder, Ayutthaya. [15] É teorizado que o reino Sukhothai caiu logo após a morte do rei Ramakhamphaeng devido à incapacidade de alimentar seu povo com seus próprios recursos agrícolas. [16]

Em 1351, o reino de Ayutthaya foi oficialmente fundado. Por causa dos mitos e lendas que cercam a fundação do reino de Ayutthaya, tornou-se um assunto de controvérsia para os historiadores. [17] Seu Ayutthaya assegurou o centro de produção de arroz perto de Lopburi, a área mais fértil e abundante para a produção de arroz na Bacia de Menam. [18] Com um excedente de arroz para exportação, Ayutthaya conseguiu se tornar economicamente autossuficiente, o que solidificou seu domínio político na região. Essa capacidade de sustentar o povo ajudou os governantes de Ayutthaya a ganhar o nome de "devaraja", a palavra Khmer para Deus-Rei. [19]

A autossuficiência econômica de Ayutthaya levou a um acúmulo de grande riqueza. Para demonstrar isso, um elaborado sistema de rios foi alinhado com luxuosas casas e palácios. Na verdade, "Ayutthaya atingiu um nível de opulência que não só surpreendeu os visitantes estrangeiros, mas também excitou a inveja dos vizinhos." [20] Essas estruturas ornamentadas demonstraram o apreço de Ayutthaya pela arte e arquitetura. Foi dito que, "não há nenhum reino antigo que inspire os tailandeses de hoje mais do que Ayudhya." [21] A influência artística de Ayutthaya pode ser vista em toda a Tailândia atual.

Embora o reino de Ayutthaya tenha se beneficiado dessa grande riqueza, não foi isento de falhas. O reino foi forjado por conflitos políticos, frequentemente decorrentes da questão da sucessão. Após a morte de seu fundador, o Príncipe Uthong, também conhecido como Ramathibodi, seu irmão, Borommaracha, e seu filho, o Príncipe Ramesuan, lutaram pelo controle do reino. [22] Esse padrão de sucessão problemática continuou até o fim do império. O povo Sukhothai também foi uma fonte de conflito em todo o reino de Ayutthaya. Embora o reino Sukhothai tenha sido derrubado e Ayutthaya tenha se tornado o poder político dominante na região, durante o reinado de Borommaracha como rei, o povo Sukhothai tentou recuperar seu poder. [23] No entanto, essa tentativa falhou e em 1438 a área de Sukhothai foi oficialmente incorporada como uma província ao reino de Ayutthaya. [24]

Junto com sua destreza militar, Ayutthaya também se beneficiou da capacidade de seus líderes de exercer controle burocrático sobre seus territórios de uma forma que seus adversários não podiam. O estilo de organização estrito e regimentado dos governantes de Ayutthaya (problemas de sucessão à parte) pode ser visto na instituição do rei Borommatrailokanat de legislação formal e códigos de direito civil e criminal. O objetivo por trás disso era “regular a desigualdade humana natural em prol do funcionamento adequado da ordem social”. [25] Eles também tinham escritórios altamente diferenciados e especializados, por meio dos quais o poder e a responsabilidade eram compartilhados. [26] Essa forma eficiente de governo ajudou Ayutthaya a durar mais de quatro séculos como potência dominante.

Outro trunfo para o reino de Ayutthaya eram as relações de comércio exterior. Isso foi facilitado pela proximidade do reino de rotas de água de fácil acesso que desaguavam na Bacia de Menam. Os rios enriqueceram o solo da Bacia do Menam, tornando-a altamente fértil e transformando a região em um grande produtor de arroz. [27] Esses rios também eram importantes vias de comunicação, o que permitia comércio exterior e relações diplomáticas frequentes. Mais notavelmente, Ayutthaya desenvolveu relações comerciais com holandeses e franceses. Visitantes do reino, incluindo mercadores, missionários e diplomatas, como o rei Luís XIV da França. [28]

Infelizmente, em 1688, havia crescentes sentimentos antiestrangeiros e xenófobos entre muitos cidadãos de Ayutthaya. [29] O desejo de retornar às raízes tailandesas levou à Revolta de Ayutthaya de 1688, que surgiu com a morte do Rei Narai. [30] O povo ficou chateado com a devoção de Narai a indivíduos e nações estrangeiras às custas do povo tailandês. Narai notoriamente desconsiderou o conselho dos líderes de Ayutthaya em favor dos oficiais franceses. [31] Essa revolta levou à expulsão da maioria dos funcionários estrangeiros e a um período na história de Ayutthaya em que o reino adotou uma abordagem mais tradicional para as relações diplomáticas.

O rei Phra Petracha e seus descendentes assumiram o governo de Ayutthaya após a Revolta de 1688. Infelizmente, sua era foi preenchida com tantas disputas dinásticas e disputas sobre a sucessão quanto todas as famílias governantes anteriores na história de Ayutthaya. Esta família governou Ayutthaya até abril de 1760, quando as forças birmanesas lideradas pelo rei Alaunghpaya sitiaram Ayutthaya e quase conquistaram a cidade. [32] Este ataque não teve sucesso, mas marcou o início do fim do grande reino de Ayutthaya. Seis anos depois, em fevereiro de 1766, duas forças birmanesas separadas atacaram novamente e mais de um ano depois, em 7 de abril de 1767, a Birmânia rompeu as paredes de Ayutthaya e assumiu a capital, causando devastação no processo. [33] Para fazer isso, os birmaneses mantiveram a cidade selada por meses, submetendo seu povo à fome enquanto queimavam e saqueavam no processo. [34] “Palácios, templos, arte inestimável, tesouros, bibliotecas com pergaminhos antigos e registros históricos foram saqueados e posteriormente incendiados”, limitando assim o conhecimento moderno da história tailandesa e deixando grande parte da cidade em ruínas. [35] O reino de Ayutthaya estava oficialmente no fim.

Surpreendentemente, apenas seis meses após a queda de Ayutthaya, um jovem governador da região de Tak chamado Taksin começou a estabelecer autoridade na região. Ele logo se tornou um poder a ser considerado. Em 1768, Taksin reconstituiu todos os territórios do antigo reino de Ayutthaya e foi coroado monarca. [36] No entanto, Taksin era mais habilidoso como militar do que como líder e acabou sendo executado. Ele foi prontamente substituído por um descendente de uma velha família nobre Ayutthaya chamada Chakri, que tomou o nome de Ramathibodi ou Rei Rama I. [37] Rama, cuja primeira ordem de negócios era mudar a capital para Bangkok, deu início ao reino que governaria a Tailândia até os dias atuais. [38]

[2] Charnvit Kasetsiri, A ascensão de Ayudhya (Kuala Lumpur: Oxford University Press, 1976), 13.

[3] Elizabeth Harris, & # 8220Sukhothai Historic Park, & # 8221 História hoje 30, não. 6 (junho de 1980): 62.

[4] David K ​​Wyatt, Tailândia: uma breve história, 2ª ed. (New Haven: Yale University Press, 2003), 31.

[5] Enciclopédia Britânica, s.v. & # 8220Ramkhamhaeng, & # 8221 ww.britannica.com/EBchecked/topic/490678/Ramkhamhaengcopy.

[6] Elizabeth Harris, & # 8220Sukhothai Historic Park, & # 8221 História hoje 30, não. 6 (junho de 1980): 62.

[7] Enciclopédia Britânica, s.v. & # 8220Ramkhamhaeng, & # 8221 ww.britannica.com/EBchecked/topic/490678/Ramkhamhaengcopy.

[8] David K ​​Wyatt, Tailândia: uma breve história, 2ª ed. (New Haven: Yale University Press, 2003), 43.

[11] Griswold e Prasert, & # 8220 The Inscription of King Rama Gamhen of Sukhodaya (1292 A.D.): Epigraphic and Historical Studies 9, & # 8221 JSS 59, nº parte 2 (julho de 1971): 205-208.

[12] David K ​​Wyatt, Tailândia: uma breve história, 2ª ed. (New Haven: Yale University Press, 2003), 43.

[13] Charnvit Kasetsiri, A ascensão de Ayudhya (Kuala Lumpur: Oxford University Press, 1976), 22.

[14] Ramkhamhaeng, A controvérsia Ramkhanhaeng: os documentos coletados , ed. James R Chamberlain (Bangkok: The Siam Society, 1991), 71.

[15] Charnvit Kasetsiri, A ascensão de Ayudhya (Kuala Lumpur: Oxford University Press, 1976), 25.

[20] Rainer Bolik, Tailândia (Guia Nelles), 4ª ed. (Walpole MA: Hunter Publishing Inc, 2000), 93.

[21] Charnvit Kasetsiri, A ascensão de Ayudhya (Kuala Lumpur: Oxford University Press, 1976), 50.

[22] David K ​​Wyatt, Tailândia: uma breve história, 2ª ed. (New Haven: Yale University Press, 2003), 56.

[25] David K ​​Wyatt, Tailândia: uma breve história, 2ª ed. (New Haven: Yale University Press, 2003), 63.

[27] Charnvit Kasetsiri, A ascensão de Ayudhya (Kuala Lumpur: Oxford University Press, 1976), 18.

[28] David K ​​Wyatt, Tailândia: uma breve história, 2ª ed. (New Haven: Yale University Press, 2003), 99.

[34] Rainer Bolik, Tailândia (Guia Nelles), 4ª ed. (Walpole MA: Hunter Publishing Inc, 2000), 93, 94.

[36] David K ​​Wyatt, Tailândia: uma breve história, 2ª ed. (New Haven: Yale University Press, 2003), 123, 124.


Cerâmica Sukhothai (Sangkhalok), produzida durante a era Sukhothai

A arte cerâmica foi produzida em diferentes partes da Tailândia atual. A cerâmica Sukhothai ou Sangkhalok (como é chamada pelos chineses) é talvez o subgrupo mais importante, tendo sido produzida em uma área e período de tempo distintos (por volta da época do reino Sukhothai). No entanto, parece que hoje em dia todas as cerâmicas antigas daquele período são chamadas de peças Sukhothai ou Sangkhalok, uma distinção posterior feita basicamente por arqueólogos e colecionadores profissionais.

Placa de celadon, era Sukhothai

Diâmetro: 28 cm de altura: 8 cm
Século 14-16 DC

Os sites de fornos das mercadorias Sukhothai foram explorados e estão espalhados por duas áreas principais nl. os fornos Sukhothai fora da parede norte da antiga cidade de Sukhothai e os fornos Sri Satchanalai. Um forno específico em Sri Satchanalai foi escavado e é exibido como um museu ao ar livre, alguns quilômetros a noroeste do sítio arqueológico de Sri Satchanalai.

Uma coleção de vasos de cerâmica esmaltados verdes com alças

Diâmetro: 7 cm de altura: 14 cm
Século 14-16 DC

A produção começou no século 13 DC, possivelmente com o declínio da cerâmica Khmer. Durante o século 15, a China enfrentou uma crise importante, abrindo a oportunidade para a cerâmica Sukhothai conquistar os mercados de exportação. As mercadorias Sukhothai foram encontradas na Indonésia, Filipinas e China, entre outros países. Eles eram um artigo comercial muito importante. Grandes coleções foram encontradas em embarcações afundadas ao redor do golfo da Tailândia, ainda em boas condições após séculos debaixo d'água.

Em meados do século 16, a produção em Sukhothai foi interrompida, possivelmente relacionada às guerras entre o reino de Ayudhaya e os birmaneses e ao ressurgimento da cerâmica chinesa.

Atualmente, os exemplos mais atraentes de cerâmica Sukhothai estão nas mãos de colecionadores particulares. Aparentemente, houve um tempo em que as cerâmicas não eram muito valorizadas. As pessoas interessadas provavelmente adquiriram os produtos por ordem de chegada, recolhendo-os nos próprios locais ou comprando cerâmicas de moradores locais por um preço barato.

Um vaso de cerâmica esmaltado azul com alças entalhadas com anéis concêntricos.

Diâmetro: 11 cm de altura: 16 cm
Século 14-16 DC


Veja também: Leilões no River City Centre, Bangkok. Informações sobre os leilões mensais de cerâmica Sukhothai, (agora principalmente) antiguidades chinesas e antiguidades Khmer.


Melhor época para visitar o Parque Histórico de Sukhothai

Meses de novembro a fevereiro, a temperatura em Sukhothai é fria e ideal para passear e viajar, enquanto as chuvas de julho e outubro podem interromper seus planos e de março a junho o calor do verão pode ser excessivo, portanto, é recomendado viajar dos meses de novembro a fevereiro mas se você quiser experimentar a cultura, então visitar Sukhothai durante o festival Loy Krathong é melhor, já que este festival dura 9 noites durante a lua cheia do 12º mês lunar, que é em outubro ou novembro, então reserve acomodações com antecedência e descubra quando o festival está sendo realizado.


Tailândia - Período Sukhothai (1238-1438)

Os tailandeses tradicionalmente consideram a fundação do reino de Sukhothai como um marco de seu surgimento como uma nação distinta. A tradição define 1238 como a data em que os chefes de Tai derrubaram o Khmer em Sukhothai, capital da província periférica do noroeste de Angkor, e estabeleceram um reino de Tai. Uma enxurrada de migração resultante da conquista de Nanchao por Kublai Khan promoveu a consolidação de estados independentes de Tai. Guerreiros Tai, fugindo dos invasores mongóis, reforçaram Sukhothai contra o Khmer, garantindo sua supremacia na planície central. No norte, outros grupos de guerra Tai conquistaram o antigo estado Mon de Haripunjaya e em 1296 fundaram o reino de Lan Na com sua capital em Chiang Mai.

Situada nas margens do Mae Nam Yom, cerca de 375 quilômetros ao norte da atual Bangkok, Sukhothai foi o berço da civilização tailandesa, o lugar onde suas instituições e cultura se desenvolveram pela primeira vez. Na verdade, foi lá no final do século XIII que o povo da planície central, recentemente libertado do domínio khmer, adotou o nome tailandês, que significa "livre", para se diferenciar de outros falantes de tai ainda sob domínio estrangeiro.

Os Sukhothai de pequenas aldeias espalhadas ao longo das bacias dos rios Yom e Nan formaram-se em 1157 DC. Durante esse tempo, essas aldeias prosperaram com a expansão do transporte interestadual e do comércio a ponto de finalmente se unirem e estabelecerem seu próprio território. Sukhothai era governado no estilo de "Pai da Cidade", ou realeza paterna, e era governado por nove reis consecutivos. Este reino durou aproximadamente dois séculos desde o seu início até que foi fundido com o Reino de Ayutthaya.

O conceito atual de realeza tailandesa evoluiu ao longo de 800 anos de governo absoluto. O primeiro rei de uma Tailândia unificada foi o fundador do Reino de Sukhothai: o rei Sri Indraditya em 1238. Durante seu reinado, o reino foi estendido por amalgamação com outras cidades. O próximo mais significativo foi o segundo filho do rei Si Inthrathit, o rei Ram-khamhaeng, o terceiro rei, que também era o mais renomado dos monarcas Sukhothai. Ram-khamhaeng (Rama, o Grande, 1277-1317) foi o primeiro governante de Sukhothai de quem os registros históricos sobreviveram. Ele era um guerreiro famoso que afirmava ser "o senhor soberano de todos os Tai" e financiou sua corte com saques de guerra e tributos de estados vassalos na Birmânia, Laos e na Península Malaia. Durante seu reinado, o tailandês estabeleceu relações diplomáticas com a China e reconheceu o imperador chinês como senhor nominal do reino tailandês. Ramkhamhaeng trouxe artesãos chineses para Sukhothai para desenvolver a indústria de cerâmica que foi o esteio da economia tailandesa por 500 anos.

Ele também criou o alfabeto tailandês em 1283 DC, adaptando uma escrita Khmer derivada da escrita Devanagari indiana. Ele criou a Pedra de Inscrição para contar as histórias de seu período. De acordo com a Pedra de Inscrição, a fronteira norte se espalhou para Phrae, Nan e Vientiane, o sul cobriu a área até Nakhon Si Thammarat, o leste alcançou Mons 'Hongsawadi (Pegu em Mianmar) e o oeste terminou na margem oeste do rio Mekong. A invenção de um alfabeto permitiu que os modernos tivessem informações detalhadas sobre as pessoas há 700 anos, com base na primeira Pedra de Inscrição encomendada pelo Rei Ramkhamhaeng.

A ideia deste reinado inicial baseava-se em dois grandes conceitos baseados no hinduísmo (que os tailandeses herdaram de seus governantes anteriores, os Khmers) e nas crenças budistas Theravada. O primeiro conceito é baseado na casta Védico-Hindu de: Kshatriya , ou guerreiro-governante, na qual o Rei obtém seus poderes do poderio militar. O segundo é baseado no conceito budista Theravada de Dhammaraja , pois o budismo foi introduzido na Tailândia por volta do século VI DC. A ideia do Dhammaraja (ou Reinado sob o Dharma), é que o Rei deve governar seu povo de acordo com o Dharma e os ensinamentos do Buda. Essas ideias foram substituídas brevemente em 1279, quando o rei Ramkhamhaeng subiu ao trono. Ramkhamhaeng departed from the Khmer tradition and created instead a concept of paternal rule , in which the King governs his people as a father would govern his children. This idea is reinforced in the title of the King, as he is still known today, Pho Khun Ramkhamhaeng ( Pho is Thai for Father). However this lasted only briefly, by the end of the Kingdom the two old concepts had returned as symbolized by the change in the style of the Kings Pho was changed to Phya or Lord.

During this time, Sukhothai prospered in art, culture, and trade. It was a significant trade junction because of its " duty-free " tax policy and permission for people to trade freely. Through contact and trade with various groups from the nearby kingdoms, Sukhothai became the center of civilization in many aspects such as religion, art, culture, and tradition.

During the reign of King Ramkhamhaeng, the Sri Lankan derivation of Hinayana Buddhism was introduced through Nakhon Si Thammarat and strongly influenced Sukhothai art. It was regarded as the most beautiful art, with its own individual style. Sukhothai created beautiful bronze Buddha images under the influence of Lankan art. In addition, at this time a style of chinaware was adopted from Chinese craftsmen trading with Sukhothai.

Through him Sukhothai became ever more prosperous and the Sukhothai holdings expanded greatly. Sukhothai declined rapidly after Ramkhamhaeng's death, as vassal states broke away from the suzerainty of his weak successors. After the reign of King Ramkhamhaeng, Sukhothai lost much of its power, so King Li Thai, who ruled Sukhothai during AD 1347-1370, attempted to use Buddhism to restore and strengthen the government. Following his reign, the Sukhothai Kingdom declined further and, in AD 1437, it finally merged with the Ayutthaya kingdom. Despite the reputation of its later kings for wisdom and piety, the politically weakened Sukhothai was forced to submit in 1378 to the Thai kingdom of Ayutthaya.


Sukhothai - History

Sukhothai Historical Park as the UNESCO World Heritage Site

In 1991, UNESCO declared Sukhothai Historical Park as a world heritage site. In addition, the park is called “Historic Town of Sukhothai and Asscoiated Historic Towns”. It is selected since it contains great relics from Sukhothai era. The relics depicts the origin of Thai cultures, architectures, and art.

Since 13th century, the former Sukhothai kingdom was located in north Thailand . The kingdom consisted of three towns which are Sukhothai, Si Satchanalai, and Kamphaengphet. In the past, administrative regime of Thailand was “Father-Son”. Father refers to king who takes care of his son who refers to civilians. Because of that, there are a lot of ancient palaces. Nowadays, some of them still remains at Sukhothai Historical Park such as Neon Prasat Phra Ruang (The royal palace of the Phra Ruang dynasty).

Mahathat Temple: the Largest and Most Significant Temple in Sukhothai Era – Sukhothai Historical Park

Sukhothai Historical Park contains a lot of important historical places. However, the largest and the most important one would be Mahathat temple which was the largest temple in Sukhothai era. Its vastness represents prosperousness of the kingdom.

Nowadays, ruins of the temple contains a lot of historical important things. For instance, artefacts such as the historical inscriptions, the Buddhist relics, and the originally architectural art of temple.

In Sukhothai era, King Ram Khamhaeng was the former third king. He wrote inscription about his autography and the Sukhothai kingdom in a stele. His inscription is very famous and it is known as the King Ram Khamhaeng Inscription. In fact, there are other inscriptions else. Anyhow, they were written by different important people. At Mahathat Temple, there are three inscriptions that remain to date. The three inscriptions consists of inscription of Pu Khun Jid Khun Jord, the inscription of Chedi Noi, and the inscription of Somdet Phra Maha Tain Jutha Muni.

As the largest religion of Thailand is Buddhism, there are a lot of temples. Furthermore, Buddhist usually gives important to the Buddha relics or Buddha’s ashes. They believe that praying to Buddha relics is like meeting Buddha who is the spiritual anchor to them. Importantly, Mahathat temple is one of the temples in Thailand that keeps the Buddha relics.

The Stunning Scenery of Mahathat Temple

The Architecture in Sukhothai Era

Mahathat temple is a worth visiting place not only because of the historical importance, but also because of the stunning scenery.

The temple was located at the heart of the kingdom. Additionally, there were walls and a ditch which signified the Sukhothai town plan surrounds the temple. In Sukhothai era, they surrounded their town with three walls. Moreover, between each walls, there was a ditch, believed to protect the town from war.

As you steps inside the temple, you will see an enormous Buddha statue in the sitting position. The statue is known as Maravijaya attitude. By each sides of the statue, there are grand ruins of Viharn poles. Moreover, behind the statue, there is a lotus-bud shape Buddhist stupa, main stupa. The stupa depicts unique style of Sukhothai art.

In addition, the stupa is surrounded by four Khmer style prangs (temple tower) and four five-pinnacles-Prasart stupas in Lanna style. Besides, the stupa’s pedestal is ornamented by 168 stuccos of disciples of Buddha. The Buddha relic as mentioned above is kept inside this stupa.

Lotus Pond in Front of the Temple

Aside from that, there are a lot of smaller ruins of Buddha statues in different positions, sizes, and styles. Besides, there are Mondops (the cruciform building with pointed roof) and Ubosots (The ordination hall). In front of Mahathat temple, there is a large pond full of lovely blooming pink lotuses. The pond looks calm and relaxing.

In fact, “Sukhothai” means “Happiness of Dawn”. Similarly to its name, the morning scenery of the temple is stunning enough to make people happy. However, it is even more remarkable when the sun sets. Furthermore, from 7.00 PM. until 9.00 PM., you can enjoy Mahathat temple and other places in beautiful night lights. Aside from that, the night weather is not hot.

Even though the temple and the kingdom were already collapsed, the Sukhothai way of life, arts, and cultures still present through the ruins. Besides, it is still beautiful, and is even more magnificent and important over time despite the collapse.

Riding Bicycle to Enjoy World Heritage Site – Sukhothai Historical Park

Since Sukhothai Historical Park is extremely large, the popular activity is riding bicycle. It is popular not only because it is tiring to walk, but also because riding bicycle allows you to slowly enjoy the view inside the park. Anyhow, don’t worry about bringing your bicycle because there is a bicycle rental service shop which costs only 20 baht per day.

In addition, there is another option for those who neither want to ride bicycle nor walk. It is shuttle bus service for a park tour. It costs 10 baht for Thais and 20 baht for foreigners.

Numerous Attractive Places in Historic Town of Sukhothai and Asscoiated Historic Towns

Even though Mahathat temple is the largest place in the park, the other places are not any less interesting as follows.

Neon Prasat Phra Ruang is the royal palace of the Phra Ruang dynasty. It is where the King Ram Khamhaeng Inscription was found.

Sri Chum temple is another must visit because of the remarkable feature. It features a huge Buddha statue inside ruins of Mondop.

Si Sawai temple is very interesting because of its feature, the three Khmer-style pagoda in corn-cob shape. Besides, it is not far from Mahathat temple.

Sarit Phong Dam or Thamnop Phra Ruang is an important dam. In Sukhothai era, it provided water for agriculture sake and human consumption sake.

Chang Lom temple which means “Temple surrounded by elephants” is another place you should visit. Moreover, its striking feature of 39 huge elephant sculptures around the temple is appealing.

The Tourist Information Centre of Sukhothai Historical Park provides tourists information about the Sukhothai kingdoms. Besides, it exhibits display of ancient artefacts.

Beside places mentioned above, there are many other interesting places else that you should not miss.

Lastly, the weather in Thailand is very hot. Therefore, don’t forget to carry hat, umbrella, sun glasses, sunscreen and fan. Hope you enjoy traveling, and stay safe.

Opening hours

The night light around the park

Note: Ticket counter closes at 06:00PM

*The opening hours may be changed because of the COVID-19 situation*

Entrance fee

Shuttle bus service for a park tour fee

Bicycle rental service fee: 20 baht per a day

For tourists who wants to drive cars inside the park, there will be an additional charge.


Related: 19 epic tours throughout Asia

Sukhothai became an important center of worship as well as politics and commerce. Nearby Si Satchanalai was known for its ceramics industry, temples, and Buddhist monasteries, while Kamphaeng Phet guarded the kingdom’s southern frontier from invaders.

The area also became the cradle of Thai culture, scholarship, art, and architecture. The earliest examples of Thai writing were found in stone inscriptions on the site, laying out details of the political, economic, social, and religious life.

The kingdom thrived with the help of an impressive system of hydraulic engineering. To keep floods at bay, the rulers of Sukhothai commissioned a network of dams, reservoirs, ponds, and canals that irrigated the land, while moats protected its residents.

But Sukhothai’s independence was short-lived. The kingdom was conquered and absorbed by the Ayutthaya kingdom in 1438. After losing its place as the seat of power, Sukhothai was abandoned in the late 15th or early 16th century.

The wooden houses and even royal palaces of Sukhothai’s heyday vanished completely over the years. But the religious monuments, constructed from brick and stone masonry covered with stucco in the signature Sukhothai style, survived.

In the 1970s, the Thai government, with assistance from UNESCO, launched an ambitious restoration project that eventually resulted in the opening of Sukhothai Historical Park. The monument covers 27 square miles, with the elaborate Wat Mahathat temple complex as its centerpiece. The park includes several smaller temples, as well as the remains of the city wall and moat and its complex hydraulics system.

Today, visitors meander through the boulevards of the Old City, discovering the chedis—religious monuments topped by conical towers—and Buddha statues set amid verdant grounds punctuated by lily ponds. The site’s out-of-the-way location and the large geographical spread of the grounds keeps it free of the crowds that attend some of the region’s other ruined monuments. Wanderers looking for a moment of solitude for meditation will find it in Sukhothai.


Sukhothai Travel Guide

Sukhothai Heritage City

Sukhothai Historical Park covers an area of about 70sqkm and contains over 190 historical ruins. Inside the city wall Read More»

Where to Stay in Sukhothai

With the exception of one boutique hotel, the accommodation choices around Sukhothai Historical Park are rather limited. Read More»

Sukhothai Map

About 60km north of Sukhothai Historical Park is its sister city called Si Satchanalai, home to another civilisation as Read More»

Sukhothai Heritage City

Sukhothai Historical Park covers an area of about 70sqkm and contains over 190 historical ruins. Inside the city wall and moat, Wat Mahathat stands as the spiritual centre of the kingdom, and the royal palace (now collapsed) lies to its northwest. To the city’s immediate north is Wat Phra Pai Luang, believed to be the original Read More.

Sukhothai Hotels - Where to Stay in Sukhothai

With the exception of one boutique hotel, the accommodation choices around Sukhothai Historical Park are rather limited. Most hotels and guesthouses are located in the new city, about 12km from the historical park. Read More.

Sukhothai Attractions

Arriving in Sukhothai is like taking a journey back in time, since history continues to dominate the area. Twelve kilometres west of the new city, the Sukhothai Historical Park houses all the historical ruins dating back to the ancient Sukhothai Kingdom (1238 &ndash 1438). Divided into five zones, the park contains more than 190 ruins, all spread across its 70sqkm area. The central zone &ndash the most visited &ndash is the site of the royal palace (now collapsed) and the spiritual centre, Wat Mahathat.

Also worth a visit, if you have time, is the Si Satchanalai Historical Park located about 60km north of Sukhothai Historical Park. It houses a number of important historical sites, such as Wat Chang Lom and Wat Nang Phaya. This was the birthplace of the beautiful glazed ceramic ware called &lsquosangkhalok&rsquo &ndash a predecessor of celadon.

Sukhothai Dining

Sukhothai&rsquos dining scene is dominated by street-side stalls and outdoor markets selling ready-to-eat dishes, just like most rural towns in Thailand. But if there&rsquos one dish that Sukhothai is best known for, and that has played a role in spicing up Thailand&rsquos culinary scene, it&rsquos the typical Sukhothai noodles dish. With its signature spicy tom yam soup, julienned bush beans and ground peanuts, you will be able to spot it easily at any market stall in the new city or around Sukhothai Historical Park.

If you are serious about food and fancy tasting a variety of local delicacies, wake up early and head over to the municipal market in the new town.

Sukhothai Nightlife

Being a quiet rural town and a UNESCO World Heritage City, Sukhothai and nightlife just don&rsquot mix well. In fact, nightlife takes on another meaning here instead of a party scene, there&rsquos a more spiritual kind of nightlife, the light and sound show at the Sukhothai Historical Park, called Sukhothai Night (Fri-Sun, 19:00 &ndash 20:00). This is a rare opportunity to see the spectacularly lit ruin sites after sunset, as the park&rsquos closing time is normally at 18:00. There&rsquos also a walking street outside the historical park every Saturday, starting at 22:00, where you can enjoy local food as well as browsing through handicraft stalls.

But this is not to say that there are no watering holes in the entire city area. You&rsquoll find that they&rsquore mostly concentrated along the road that connects the new city with Sukhothai Historical Park. Chopper Bar offers cheap local beers and live band music.

Sukhothai Shopping

Sukhothai is best known for sangkhalok ware, gold craft and silver jewellery. With its grayish blue/green matte glaze, featuring simple designs, sangkhalok ware will add a classic touch to any room. Modernised versions of the sangkhalok ware showcase more complex designs and feel rather contemporary.

Sukhothai&rsquos gold and silver jewellery craft is equally as unique. Rather than molded into a pre-desired shape, these jewellery pieces are hand-woven into various designs from tiny strands of gold or silver. The designs are usually modelled after the relief patterns found inside Si Satchanalai and Sukhothai Historical Parks. If you are looking for a piece of fabric to embellish your home, head to Hat Siao textile village and have a look at their colourful collection of embroidered textiles.

Sukhothai Activities

Besides sightseeing at the Sukhothai Historical Park and cruising the Yom River in a long-tail boat, there&rsquos little else to do in Sukhothai. While inside the park, you have a few options, such as riding an ox-drawn cart from Wat Phra Pai Luang to Wat Sri Chum, exploring the park on a bicycle, or simply enjoying a picnic in the park.

Getting Around Sukhothai

Unlike Ayutthaya, where the ancient and modern worlds merge right in the city centre, Sukhothai Historical Park is located about 12km from the &lsquonew&rsquo city. Hiring a tuk-tuk (motorised three-wheelers) or hopping on a songtaew (passenger-carrying trucks) is the best way to commute between the two sites. The songtaews leave from Jarot Withithong Road, near the Yom River, at 06:30-18:00 every day. Once you arrive at the Sukhothai Historical Park (old city), rent a bicycle or motorcycle from one of the many rental stalls.

Sukhothai Historical Park has a simple layout. The original city is contained inside a square area, with Wat Phra Pai Luang at its epicentre. Later during King Ram Khamhaeng the Great&rsquos reign (1279-1298), the king relocated the city slightly to the south, to what is today the majority of the historical park. This new site is a large, rectangular area surrounded by the city walls and a moat with Wat Mahathat at its epicentre. You will find all major historical sites inside these two ancient cities.

Getting from Sukhothai to Si Satchanalai

About 60km north of Sukhothai Historical Park is its sister city called Si Satchanalai, home to another civilisation as magnificent as Sukhothai. Archaeological evidence suggests that this ancient city used to be a centre for ceramic trade with China. To get to Si Satchanalai from Sukhothai, it&rsquos best to charter a van for the entire day. You can also take a public bus from Sukhothai municipal market. The trip should take about one hour. Some hotels and guesthouses in Sukhothai itself may offer tour services to Sukhothai Heritage Park and Si Satchanalai.

Sukhothai Map

About 60km north of Sukhothai Historical Park is its sister city called Si Satchanalai, home to another civilisation as magnificent as Sukhothai. Archaeological evidence suggests that this ancient city used to be a centre for ceramic trade with China. To get to Si Satchanalai from Sukhothai, it’s best to charter a van for the entire day. Read More.


Sukhothai Historical Park

Located in a beautiful setting of lawns, lakes and trees in north-central Thailand, Old Sukhothai, where the Historical Park is now, was the capital of the Sukhothai Kingdom which began in 1238. The central area is enclosed by a moat and contains 21 temples, the greatest of which has 200 pagodas.

Patrimônio Mundial da UNESCO

Sukhothai was the capital of the first Kingdom of Siam in the 13th and 14th centuries. It has a number of fine monuments, illustrating the beginnings of Thai architecture. The great civilization which evolved in the Kingdom of Sukhothai absorbed numerous influences and ancient local traditions the rapid assimilation of all these elements forged what is known as the 'Sukhothai style'.

História

Founded in 1238, Sukhothai was the first unified Kingdom of Siam. Prior to this, modern-day Thailand was governed by local rulers loyal to the Khmer empire of Angkor. As the power of the Khmer began to wane, two Thai generals banded together to expel the Khmer from the central plains, founding the new kingdom of Sukhothai with one of the generals, Intradit, as the first ruler.

The kingdom flourished for 200 years, during which its capital at Old Sukothai was a highly influential political and religious center. Eight kings would rule from the royal capital, the most important of whom was King Ramkhamhaeng (1278–99), the youngest son of the founding king.

Among other accomplishments, he established Theravada Buddhism as the national religion (replacing Khmer Hinduism) and introduced an early form of the Thai alphabet.

6-Day Bangkok and Chiang Mai Highlights Tour:

Loy Krathong at Sukhothai

Loi Krathong is a Thai Festival, celebrated on a full moon of the twelfth month in the Thai lunar calendar (which is usually November), when the rivers reach their highest point. In the evening, people release little floats in the water. This can be done to make a wish, to let go of negative thoughts, to honor Buddha or to thank the Water Goddess.

The town Sukhothai, which means “Dawn of Happiness”, dates back to the 13th century and has a lot to offer, not only historically. Since 1939 the province it belongs to, is also called Sukhothai. It is probably most famous for the historic city of Sukhothai (a UNESCO World Heritage Site), which lies about 12km away from the ‘new’ town of Sukhothai. And it is these grounds where the Loi Krathong Festival takes place.


Wat Chetuphon, in the South Zone, has a large mondop that was surrounded by four Buddha statues in different poses. Unfortunately, they show many signs of age today. The site has several other ruined buildings and statues too. Wat Mangkor is the only ruin in Sukhothai to show local pottery in its construction. Wat Sorasak and Wat Chang Rob are good places to see an elephant-surrounded chedi.

Wat Mae Chon has a large seated Buddha statue, the Ta Pha Daeng Shrine is thought to be the area’s oldest remaining religious ruin, and the free-standing chedi at Wat Chedi Sung is one of the tallest in Sukhothai. Other sites to add to your list include Wat Tuk, Wat Son Khao, Wat Chedi Si Hong, and Wat Traphang Thong Lang.


Assista o vídeo: Historic Town of Sukhothai Thailand